O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Steven Gerrard sobre a caminhada do Liverpool até à final da UEFA Champions League em 2005, frente ao Milan, em Istambul

Então capitão de equipa, Steven Gerrard recorda a campanha que levou o Liverpool à final da UEFA Champions League de 2005, preparando o terreno para o 'Milagre de Istambul'.

Steven Gerrard ergue o troféu da Champions League em 2005
Steven Gerrard ergue o troféu da Champions League em 2005 Bob Thomas Sports Photography vi

Neste artigo, apresentado pela Turkish Airlines, o ex-capitão do Liverpool, Steven Gerrard, recorda o progresso de sua equipa até a final da UEFA Champions League de 2005, naquela que terá sido a final mais dramática da história da competição.

Veja o resumo da final de 2005

Fase de grupos

Jornada 1: Liverpool 2-0 Mónaco
Jornada 2
: Olympiacos 1-0 Liverpool
Jornada 3: Liverpool 0-0 Deportivo La Coruña
Jornada 4: Deportivo La Coruña 0-1 Liverpool
Jornada 5
: Mónaco 1-0 Liverpool
Jornada 6: Liverpool 3-1 Olympiacos

A formação comandada por Rafael Benítez precisou de uma vitória por dois golos frente ao Olympiacos, na sexta jornada, para tirar o clube grego do segundo lugar do agrupamento e garantir a presença nos oitavos-de-final. A vitória por 3-1 em Anfield é um jogo que Gerrard lembra com carinho.

"Pensei que o sonho tinha acabado", diz, lembrando-se de Rivaldo ter colocado o Olympiacos em vantagem em Anfield. "Pensei: 'Agora acabou. Estamos fora.'" No entanto, Benítez deu aos seus pupilos uma palestra inspiradora no intervalo e Florent Sinama-Pongolle empatou no início do segundo tempo. Depois, Neil Mellor colocou os Reds na frente, aos 80 minutos, antes de Gerrard ter marcado o terceiro já perto do fim, para delírio dos adeptos ingleses.

Golaço de Gerrard frente ao Olympiacos

"Lembro-me de ver [Jamie] Carragher a fazer uma finta à Cruyff e pensei: 'O que estás a fazer?' Limitei-me a levantar os braços, como quem diz: 'Entra na área'. Tive que ajustar o meu posicionamento ligeiramente mas consegui rematar de forma perfeita. Percebi isso assim que efectuei o remate Depois foi só ver o jogo nos últimos minutos, mas foi uma das melhores noites da minha vida porque voltámos a sonhar."

Oitavos-de-final

Liverpool 3-1 Bayer Leverkusen
Bayer Leverkusen 1-3 Liverpool
(tot: 6-2)

Uma finalização de Luis García e livres de John Arne Riise e Dietmar Hamann ajudaram o Liverpool a conquistar uma vantagem significativa na primeira mão, tendo estado em excelente plano no embate da segunda mão. Luis García marcou mais dois e Milan Baroš fez o terceiro, antes de o Leverkusen reduzir perto do final.

Quartos-de-final

Sami Hyypiä após marcar frente à Juventus
Sami Hyypiä após marcar frente à Juventus Getty Images

Liverpool 2-1 Juventus
Juventus 0-0 Liverpool
(tot: 2-1)

Os golos de Sami Hyypiä e Luis García no primeiro tempo em Anfield deram o mote para esta eliminatória. "Hyypiä marcou um golo em vólei do outro mundo", disse Gerrard sobre o remate do finlandês aos dez minutos, após a marcação de um canto.

"Na verdade, foi um canto mal cobrado por mim. Lembro-me de tentar colocar na área mas Sami era incrível na área adversária. Ele marcava golos de belo efeito. Quando se marca primeiro em Anfield a confiança sobe em flecha."

Meias-finais

Luis García marcou o único golo frente ao Chelsea, em Anfield
Luis García marcou o único golo frente ao Chelsea, em AnfieldAFP via Getty Images

Chelsea 0-0 Liverpool
Liverpool 1-0 Chelsea
(tot: 1-0)

O Liverpool fez provavelmente o mais difícil depois de um empate a zero em Stamford Bridge, contra o Chelsea, e Gerrard recorda a importância dos adeptos na segunda mão: "Este é, de longe, o melhor ambiente que testemunhei em Anfield."

Um passe de Gerrard por cima da defesa dos Blues levou Luis García a marcar o único golo do jogo aos quatro minutos. Em retrospectiva, foi "o golo mais importante, provavelmente, de todas as nossas carreiras", garante Gerrard, lembrando que "sem esse golo não chegaríamos à final."

Cafu, do AC Milan, também analisou a caminhada da sua equipa até à finalaqui, enquanto Gerrard e Cafu vão recordar o jogo decisivo no nosso próximo artigo desta série.

Seleccionados para si