O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

In the Zone: Análise ao Salzburg 2-1 LOSC

O painel do Observador Técnico da UEFA analisa a vitória caseira do Salzburgo sobre o LOSC na segunda jornada do Grupo G.

Após um empate encorajador com o Sevilha, os austríacos do Salzburgo bateram o campeão francês LOSC, novamente num jogo decidido por penáltis.

Na ronda anterior, a equipa de Matthias Jaissle tinha disposto de três mas convertido apenas um; desta vez teve dois e marcou ambos. E tal como frente ao Sevilha, a intensidade com que pressionou e a velocidade na transição deram nas vistas.

Golos

Resumo: Salzburgo 2-1 LOSC

1-0: Karim Adeyemi, penálti (35)
Quando recupera a bola, o Salzburgo lança-a rapidamente para o ataque, tentando explorar a velocidade de Adeyemi. E foi assim que o jovem alemão conquistou um penálti e o converteu. Em Sevilha tinha atirado rasteiro para a esquerda do guarda-redes e falhado, mas agora rematou por alto e à direita, de nada valendo o toque de Grbić.

2-0: Karim Adeyemi, penálti (53)
O segundo castigo máximo resultou de uma mão na bola após um livre, e desta vez enganou o guardião, rematando ao centro após o croata se estirar para o lado.

2-1: Burak Yılmaz (62)
O veterano turco usou toda a sua experiência neste golo, primeiro ganhando a falta em zona lateral e depois cobrando o livre. Ao rematar a bola para a zona de acção de Philipp Köhn, originou indecisão no guarda-redes devido à presença próxima de outros jogadores, fazendo com que abordasse mal o lance e deixasse escapá-la para o fundo das redes.

Melhor em Campo

O jovem começou Setembro a marcar na estreia pela Alemanha e terminou-o com um bis e o prémio de Melhor em Campo. A sua velocidade e acutilância causaram impacto significativo, com as arrancadas constantes em transição a serem a maior ameaça ao LOSC.

Destaques

O Salzburgo tinha um plano de jogo eficaz e de contra-ataque. Ao defender no próprio meio-campo, dispunha-se em bloco baixo, impedindo o LOSC de jogar na profundidade. Assim que o adversário penetrava no bloco, o Salzburgo pressionava e recuperava a bola graças a superioridade numérica.

Quando no meio-campo adversário, os austríacos pressionavam imediatamente após perderem a bola, conseguindo assim dificultar a construção ofensiva do LOSC.

O conjunto gaulês até começou bem, empurrando o Salzburgo para o seu meio-campo e circulando a bola para ganhar espaço. Mas quando os anfitriões acertaram as marcações isso desapareceu e ganharam o controlo do jogo, criando muito perigo graças à velocidade e jogo directo.

Disposição táctica das equipas

O Salzburgo alinhou em 4-3-1-2 durante todo o jogo
O Salzburgo alinhou em 4-3-1-2 durante todo o jogoUEFA

Disposto em 4-3-1-2, o Salzburgo começou a ganhar o jogo após uma correcção táctica de Jaissle. O treinador colocou os médios Seiwald e Camara mais próximo e assim conseguiu contrariar o dinamismo inicial dos visitantes. Seiwald também foi útil ao cobrir no lado direito da defesa quando Rasmus Kristensen subia no terreno.

O LOSC começou em 4-4-2 mas depois mudou para 3-5-2
O LOSC começou em 4-4-2 mas depois mudou para 3-5-2UEFA

O LOSC esquematizou-se em 4-4-2, com os laterais a tentarem dar largura. A perder por 2-0, o técnico Jocelyn Gourvennec primeiro fez substituições para refrescar a equipa, e logo três. Depois, a aposta no rápido e criativo Isaac Lihadji era em teoria interessante, só que o experiente Andreas Ulmer levou a melhor neste duelo.

Só aos 87 minutos Gourvennec mudou a táctica, para 3-5-2, passando Bamba da ala para o centro, ao lado de Burak Yılmaz, e recuando Ikoné para Nº10. Apesar de tudo, não conseguiu chegar ao empate.

Avaliação dos treinadores

Matthias Jaissle, treinador do Salzburgo: "Estou muito feliz. Conseguimos contrariar o ímpeto inicial do Lille e assumir uma posição forte para chegar à vitória. Continuamos com os pés assentes no chão mas foi muito bom comemorar a primeira vitória."

Jocelyn Gourvennec, treinador do LOSC: "Corrigimos coisas ao intervalo e tentámos não deixar que a frustração se apoderasse de nós. Mas em vantagem o Salzburgo apostou no contra-ataque e nós pressionámos de forma pouco organizada."