O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

In the Zone: análise ao Real Madrid 1-2 Sheriff

A impressionante vitória do Sheriff no terreno do Real Madrid é o mais recente jogo da nossa nova série In the Zone: o painel do Observador Técnicos da UEFA faz a análise detalhada.

O Sheriff venceu por 2-1 no terreno do Real Madrid
O Sheriff venceu por 2-1 no terreno do Real Madrid

O painel do Observador Técnico da UEFA analisa a grande surpresa da segunda jornada, com o estreante Sheriff a derrotar o Real Madrid por 2-1 no Santiago Bernabéu.

Os forasteiros, comandados por Yuriy Vernydub, já haviam mostrado qualidades na sólida organização defensiva e rápido contra-ataque, ao derrotar o Shakhtar Donetsk no primeiro embate do Grupo D, duas semanas antes. Poucos teriam previsto uma repetição da exibição frente ao Real Madrid mas os campeões moldavos conseguiram exactamente isso, com Vernydub a apostar uma defesa compacta, sabendo que os anfitriões deixariam espaços para explorar no contra-ataque.

Golos

Resumo: Real Madrid 1-2 Sheriff
Resumo: Real Madrid 1-2 Sheriff

0-1: Jasurbek Yakshiboev (25)
Uma jogada de equipa bem trabalhada, iniciada por Danilo Arboleda, o defesa-central do lado direito, que conduziu a bola para a frente e executou um passe vertical para Adama Traore, já no meio-campo do Real, que por sua vez desviou para Sébastien Thill. O internacional luxemburguês, fundamental na maioria das jogadas ofensivas do Sheriff, mostrou a sua visão com um passe cruzado para a esquerda, onde Cristiano aproveitou o espaço. Depois de um cruzamento para o poste mais distante, Yakshiboev executou um cabeceamento poderoso para bater Thibaut Courtois. Excelente iniciativa de Cristiano, que apanhou Nacho e Miguel Gutiérrez, do Real Madrid, subidos no terreno.

1-1: Karim Benzema, penálti (65)
Um penálti convertido com a confiança própria de um avançado em excelente forma – um golo importante, já que significa que o dianteiro marcou em 17 diferentes temporadas UEFA Champions League. Uma palavra também para Vinícius Júnior, que procurou criar perigo com as suas arrancadas do centro para a esquerda e assim ganhou o penálti. Entrou na área pela esquerda, tentou progredir entre Edmund Addo e Fernando Costanza e foi para o chão após contacto com o joelho do ganês.

O golo da vitória do Sheriff de todos os ângulos
O golo da vitória do Sheriff de todos os ângulos

1-2: Sébastien Thill (90)
Thill esteve em grande destaque com o seu primeiro e histórico golo na UEFA Champions League – na verdade, o primeiro na fase de grupos por qualquer luxemburguês – não esquecer o trabalho de Traore, que perseguiu Eduardo Camavinga para forçar um lançamento lateral no meio-campo madrileno. Quando lançamento longo de Fernando Costanza o encontrou na área, desviou para Thill, que se enquadrou e, de pé esquerdo, desferiu um remate colocado, ao poste mais distante.

Melhor Jogador

A votação para eleger o Melhor em Campo da UEFA Champions League nesta famosa vitória do Sheriff foi ganha pelo guarda-redes grego, Giorgos Athanasiadis, jogador que está emprestado pelo AEK Atenas. Numa noite com 31 remates à baliza por parte do Real Madrid e uma contagem xG de 3.2, Athanasiadis fez dez defesas – incluindo uma defesa com a cara a um remate de Luka Modrić – e até adivinhou o lado para onde foi a bola na grande penalidade em que sofreu o golo. Nada mal para um jogador de 28 anos a fazer apenas o seu segundo jogo na competição.

Zonas do terreno onde aconteceram os remates do Real Madrid frente ao Sheriff - o tamanho do círculo representa a qualidade da ocasião
Zonas do terreno onde aconteceram os remates do Real Madrid frente ao Sheriff - o tamanho do círculo representa a qualidade da ocasião

Destaques

O Real Madrid começou o jogo em bom ritmo, a pressionar alto. No seu esquema de 4-3-3, Eden Hazard partia pela direita do ataque, mas avançava por dentro, deixando o flanco para Fede Valverde ou Nacho, enquanto na esquerda havia Vinícius Júnior. No final da primeira parte, os "merengues" tinham dominado na posse de bola (70%) e conseguido 13 remates, mas perdia por 1-0.

Por isso, o Sheriff merecia todo o crédito. Esteve sólido no seu posicionamento defensivo e sabia que ia ter pouca posse de bola, mas estava igualmente consciente da necessidade de ser o mais eficientes possível quando surgisse qualquer oportunidade. E foi isso que aconteceu, pois os moldavos marcaram dois golos em quatro tentativas e ainda tiveram um tento anulado.

O capitão e médio Frank Castañeda personificou a atitude da equipa, destacado-se não apenas pela sua habilidade e movimentação, mas também pela disposição para ajudar na defesa. O mesmo para Dimitris Kolovos, em teoria o homem a jogar atrás do avançado-centro, que foi importante tanto pelos esforços defensivos como pela sua capacidade técnica, uma vez que os visitantes tiveram de trabalhar muito.

Disposição táctica das equipas

O Real Madrid fez quatro substituições no minuto 66 e mudou oara um 4-4-2
O Real Madrid fez quatro substituições no minuto 66 e mudou oara um 4-4-2UEFA

O Real Madrid começou a noite com uma formação em 4-3-3, mas mudou para 4-4-2 aos 66 minutos – uma alteração que Carlo Ancelotti já tinha preparado quando o surgiu o golo do empate.

O técnico dos espanhóis fez entrar quatro jogadores – Rodrygo (21), Luka Jović (16), Toni Kroos (8) e Modrić (10) –, tirando de campo os dois laterais, Casemiro e Hazard. Foi uma abordagem ofensiva que deu ao Real Madrid um segundo avançado-centro, Jović, bem como dois extremos.

Também significou que Valverde (15) e Camavinga (25), que haviam começado a partida ao lado de Casemiro num meio-campo três, voltaram para posições mais laterais. O objectivo era claro.

O Sheriff, por sua vez, apresentou-se num 4-2-3-1 compacto em que a largura veio dos laterais Cristiano (15) e Fernando Costanza (13). Dos seus dois médios-defensivos, Addo (21) ficou mais recuado, ao passo que Thill (31) espreitava sempre terrenos mais adiantados.

O Sheriff  alinhou com um fluido 4-2-3-1
O Sheriff alinhou com um fluido 4-2-3-1

Atrás do avançado Jakhshibaev (17) estava o trio constituído por Castañeda (10), Kolovos (22) e Traore (9), embora tenham sido os laterais a daram largura ao seu jogo – com Cristiano em particular evidência.

Soa um pouco defensivo, mas o brasileiro não só fez o cruzamento para o primeiro golo, como também foi dele o passe para o golo anulado marcado pelo recém-entrado Bruno na segunda parte.

Avaliação dos treinadores

Carlo Ancelotti, treinador do Real Madrid: "Jogámos com intensidade e parecíamos bem. Perdemos devido a pequenos detalhes, embora a equipa tenha jogado bem. Poderíamos ter sido mais eficazes no último terço, mas é difícil de explicar. Tivemos oportunidades, estávamos a jogar pelas alas, o Jović entrou e teve algumas oportunidades. Penso que, no final, tudo correu bem para eles e mal para nós."

Yuriy Vernydub, treinador do Sheriff: "É claro que sabíamos que teríamos de defender. Fizemos isso bem e estivemos também muito bem no contra-ataque, e conseguimos marcar o golo da vitória mesmo no fim."