O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

O que ter em atenção na final da Champions League

Tuchel leva vantagem sobre Guardiola? Será que Sergio Agüero terá uma despedida de sonho? Os repórteres do UEFA.com analisam os potenciais sub-enredos no jogo de sábado.

Sergio Agüero e Pep Guardiola durante o treino no Estádio do Dragão
Sergio Agüero e Pep Guardiola durante o treino no Estádio do Dragão UEFA via Getty Images

Frente-a-frente entre Guardiola e Tuchel

Esta é a terceira final da UEFA Champions League para o Chelsea, e em todas elas mudou de treinador a meio da época, com Thomas Tuchel a tornar-se no primeiro a disputar finais consecutivas com clubes diferentes. Frente a Pep Guardiola, o técnico alemão perdeu os primeiros três jogos, mas recentemente, em quatro, empatou dois e ganhou dois, com os triunfos a acontecerem em duelos entre Chelsea e City.

Duas equipas no auge

City e Chelsea prontos para o duelo final

Esses triunfos moralizam mas com cautela, pois em ambos o City alinhou com um "onze" muito alterado e num deles até experimentou uma táctica pouco comum. A última vez que o City se apresentou frente ao Chelsea na máxima força venceu e convenceu. Tuchel pode ter dado nova vida aos "blues", mas se os "citizens" voltarem a atingir esse nível, será muito complicado travá-los.

Ligações ao Porto

Ambos os finalistas defrontaram o Porto nesta edição: o Manchester City na fase de grupos e o Chelsea nos quartos-de-final. Mas as ligações não se ficam por aqui, sendo bastante fortes no caso do Chelsea: os treinadores José Mourinho e André Villas-Boas deram-se a conhecer nos "dragões" e depois rumaram a Londres, bem como vários jogadores. Além disso, o Chelsea venceu apenas um dos quatro jogos realizados neste estádio.

Agüero tenta cumprir promessa

Sergio Agüero: todos os seus golos na Champions League pelo Man. City

Sergio Agüero está de saída mas certamente gostaria de o fazer honrado uma promessa efectuada em 2014: ganhar a UEFA Champions League com os "citizens". Dificilmente será titular, mas se for chamado a jogo pode sempre esperar-se perigo do argentino, como foi o caso frente ao Everton, na última jornada do campeonato, em que entrou na segunda parte e ainda foi a tempo de bisar. Sair campeão europeu seria uma despedida em grande nível.