O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Chelsea 2-0 Real Madrid: Anfitriões seguem tranquilos para a sua terceira final

A equipa de Thomas Tuchel garantiu, com justiça, um lugar na final, com golos de Timo Werner e Mason Mount.

Veja o melhor da acção em Stamford Bridge, com golos de Timo Werner e Mason Mount a selarem uma vitória total de 3-1 para o Chelsea, que lhe valeu uma vaga na final.
Resumo: Chelsea 2-0 Real Madrid (2 mins)

O Chelsea vai estar numa final da UEFA Champions League pela primeira vez desde 2012 depois de um confortável triunfo por 3-1 no conjunto das duas mãos frente ao Real Madrid.

Como tudo aconteceu, reacções

O jogo em poucas palavras

O encontro arrancou a grande velocidade, com lances de perigo nas duas balizas, mas só a meio do primeiro tempo surgiu o primeiro golo. Pouco depois de Edouard Mendy negar o golo a Karim Benzema com uma defesa fantástica, foi o Chelsea a marcar, por intermédio de Timo Werner, que encostou de cabeça para o fundo das redes na recarga a um remate de Kai Havertz devolvido pela trave.

Havertz voltou a acertar nos ferros a abrir a segunda parte, com o Chelsea a aproveitar o balanceamento ofensivo do Real para criar várias oportunidades para sentenciar a eliminatória. Thibaut Courtois ainda foi adiando o segundo golo dos anfitriões e mantendo os "merengues" vivos na discussão da final, com defesas decisivas a remates de Havertz e N'Golo Kanté, isolados, mas nada conseguiu fazer quando Christian Pulišić, que havia entrado pouco antes, assistiu com um passe rasteiro e recuado Mount para este fazer, de forma fácil, o 2-0 e carimbar o apuramento do Chelsea.

Melhor em Campo: N'Golo Kanté (Chelsea)

"Cobriu praticamente todo o terreno de jogo, num encontro muito disputado. As suas transições, quer defensivas, quer ofensivas, foram excelentes."
John Peacock, Observador Técnico da UEFA

Confira os Melhores em Campo de todos os jogos da presente edição da UEFA Champions League.

Reações

Mason Mount, médio do Chelsea: "Podíamos ter marcado uns cinco golos. Aquele segundo golo perto do fim foi muito importante para nós. Ainda falta um jogo e nós entramos sempre para ganhar. Ainda não conquistámos nada, mas queremos muito conquistar. Vai ser um grande jogo. Esta noite fizemos uma grande exibição, num jogo muito complicado. Sabíamos o valor do Real e sabíamos que eles iam vir com tudo."

Casemiro, médio do Real Madrid: "Jogámos bem nos primeiros 25 minutos. Tivemos duas boas oportunidades pelo Karim [Benzema], mas depois eles começaram a jogar melhor e a criar mais oportunidades. Penso que o Chelsea foi melhor do que nós e jogou melhor do que nós. Mas o que nós temos conseguido até aqui também merece destaque. Não é fácil ganhar a Champions League como nós já o fizemos."

 Mason Mount festeja o segundo golo do Chelsea, que selou o triunfo
Mason Mount festeja o segundo golo do Chelsea, que selou o triunfoChelsea FC via Getty Images

Principais estatísticas

• O Chelsea não perde um jogo em que tenha marcado primeiro na UEFA Champions League desde que se viu batido por 3-1 pelo Atlético de Madrid nas meias-finais de 2014.

• Mount tornou-se no primeiro jogador inglês a marcar numa meia-final da prova desde que Wayne Rooney o fez pelo Manchester United contra o Schalke, há pouco mais de dez anos (26 de Abril de 2011).

• O Chelsea tornou-se no sexto clube a marcar 300 golos na UEFA Champions League (desde a fase de grupos até à final), depois de Real Madrid, Barcelona, Bayern, Manchester United e Juventus.

• O Real Madrid marcou em 24 dos últimos 26 jogos que disputou em fases a eliminar da UEFA Champions League. Ambos os jogos em que ficou em branco foram frente a clubes ingleses – Liverpool e, agora, Chelsea.

• Os madrilenos somaram o 12º jogo seguido sem ganhar na UEFA Champions League depois de estarem em desvantagem ao intervalo (2 empates, 10 derrotas).

Equipas

Chelsea: Mendy; Christensen, Thiago Silva, Rüdiger; Azpilicueta (James 88), Jorginho, Kanté, Chilwell; Havertz (Giroud 90), Werner (Pulišić 67), Mount (Ziyech 89)

Real Madrid: Courtois; Nacho, Éder Militão, Ramos, Mendy (Valverde 63); Kroos, Casemiro (Rodrygo 76), Modrić; Vinícius Júnior (Asensio 63), Benzema, Hazard (Mariano Díaz 89)

O que se segue?

O Chelsea ainda vai disputar cinco jogos a nível interno antes de defrontar o Manchester City na final da UEFA Champions League, em Istambul, a 29 de Maio. Quatro desses jogos serão para a Premier League, onde a equipa londrina procura garantir um lugar entre os quatro primeiros, e o outro será a final da Taça de Inglaterra, frente ao Leicester, a 15 de Maio.