O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

João Cancelo sobre mudanças, a influência de Guardiola e a ambição europeia

O defesa português fala sobre como atingiu um novo patamar evolutivo, aborda as dificuldades do City frente ao Dortmund e um sonho que gostaria de concretizar.

João Cancelo durante o primeiro jogo entre Manchester City e Dortmund nos quartos-de-final da UEFA Champions League
João Cancelo durante o primeiro jogo entre Manchester City e Dortmund nos quartos-de-final da UEFA Champions League UEFA via Getty Images

Aos 26 anos, João Cancelo já se pode gabar de ter no currículo passagens por vários clubes ilustres. Há duas épocas no Manchester City, o lateral português, conhecido pela sua vocação ofensiva, tem ganho uma nova dimensão no seu jogo, agora pautada também pela versatilidade.

Nesta entrevista ao UEFA.com, Cancelo fala de como o trabalho com o treinador Josep Guardiola o tem beneficiado e também sobre mais um duelo com o Dortmund, na segunda mão dos quartos-de-final, rumo a um sonho seu desde criança: conquistar a UEFA Champions League.

Sobre a versatilidade e evolução do seu jogo

O treinador falou comigo muitas vezes sobre a forma como me pode ajudar a jogar nas posições em que tenho alinhado esta temporada. Sempre estive disponível para ajudar a equipa e estou muito feliz com a forma como o treinador me ajudou a adaptar ao meu posicionamento. Sinto que evolui muito e que estou um jogador mais completo e mentalmente mais forte. Isso tornou-me um jogador muito mais versátil e permite-me fazer muito mais do que fazia antes de chegar aqui. Antes, eu era um lateral clássico. Gosto muito de atacar, transportar a bola e fazer assistências. Ainda posso fazer isso agora, mas sou mais cauteloso.

João Cancelo momentos antes de celebrar o seu primeiro golo na  UEFA Champions League ao serviço do Manchester City, frente ao Olympiacos
João Cancelo momentos antes de celebrar o seu primeiro golo na UEFA Champions League ao serviço do Manchester City, frente ao OlympiacosGetty Images

A influência de Guardiola

Ele pensa muito sobre futebol, às vezes até demais (sorrisos). Na minha opinião, ele é um dos melhores treinadores de todos os tempos. É bastante meticuloso na maneira como pensa o futebol e na maneira como tenta ajudar-nos a mostrar as nossas qualidades em campo. É isso que faz um treinador. Ele é bom a preparar a equipa para os jogos e isso torna tudo mais fácil para mim e para todos os meus companheiros.

Sobre a vitória sobre o Dortmund na primeira mão

Foi um jogo muito difícil. O Borussia Dortmund dificultou-nos as coisas, mas acho que isso se deve à qualidade dos seus jogadores. Eles têm jogadores com muito talento. São uma equipa capaz de chegar à nossa baliza em apenas alguns toques e forte nas transições. Teremos de ser mais cuidadosos na segunda mão.

Antevisão do jogo da segunda mão

Nesta altura, temos uma pequena vantagem. É importante perceber isso, e acho que vai ser um jogo muito difícil, talvez até um dos jogos mais difíceis da temporada. Não é tão comum um adversário causar-nos tantos problemas. A nossa equipa baseia-se muito na posse de bola, pressionar o adversário e conceder poucas possibilidades de marcar, mas na primeira mão o Dortmund teve algumas ocasiões. Teremos de acautelar isso agora e jogar ainda melhor do que na semana passada.

Resumo: Manchester City 2-1 Dortmund
Resumo: Manchester City 2-1 Dortmund

Os objectivos na UEFA Champions League

Não é segredo para ninguém. Desde criança que sonho com isso, quando via o meu ídolo de infância, o Ronaldinho Gaúcho. Quando era miúdo, costumava ver os jogos da UEFA Champions League e cresci a sonhar em ganhá-la. Temos que dar um passo de cada vez, mas para mim, chegar às meias-finais de uma competição tão importante como a UEFA Champions League seria algo importante e que me deixaria muito feliz e orgulhoso, e o mesmo se passaria com o clube. Este ano enfrentámos tantos desafios, fomos capazes de os superar e acho que merecemos.