O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Andrea Pirlo e a experiência de treinador da Juventus

Esta semana marca a estreia de Andrea Pirlo como treinador da Juventus na UEFA Champions League - o agora técnico falou sobre o seu novo papel e explicou a razão pela qual Pep Guardiola é "um exemplo para todos nós".

O treinador da Juventus, Andrea Pirlo
O treinador da Juventus, Andrea Pirlo Juventus FC via Getty Images

Andrea Pirlo foi presença regular na UEFA Champions League por mais de uma década como jogador, tendo vencido a prova duas vezes.

Esta temporada, o antigo jogador de 41 anos está de regresso como treinador, liderando uma equipa da Juventus com vários antigos companheiros de equipa - antes da estreia no Grupo G, frente ao Dínamo Kiev, na terça-feira.

Como é treinar jogadores como Gianluigi Buffon, Giorgio Chiellini e Leonardo Bonucci, atletas com os quais partilhou tantas batalhas dentro de campo?

Andrea Pirlo com Giorgio Chiellini durante um treino
Andrea Pirlo com Giorgio Chiellini durante um treinoJuventus FC via Getty Images

É óptimo! Eles têm sido fantásticos. Talvez não tenha sido fácil para eles no começo, mas no espaço de algumas horas entenderam que o meu papel agora era diferente. A atitude deles mudou de forma rápida e facilmente. Chamaram-me de 'gaffer' ('mister') imediatamente, talvez inicialmente com um sorriso, mas depois habituaram-se.

Eles podem ser uma grande ajuda para mim, porque sabem o que significa jogar na Juve. Sabem o que significa vencer e o que significa trabalhar comigo, como fizeram durante todos aqueles anos que jogámos juntos. Têm a noção do espírito que quero trazer a esta equipa e serão certamente uma grande ajuda nesta temporada.

Como jogador, era conhecido pela sua tranquilidade. Podemos esperar a mesma abordagem no banco?

É definitivamente mais stressante no banco de suplentes. Em campo decidia o que fazer com a bola; do banco posso controlar, mas outros interpretam os seus papéis, então é um pouco mais difícil como treinador. Quando jogava tinha um certo estilo que me permitia assumir um papel preponderante em campo. Agora tenho que fazer isso da linha lateral.

Clube dos centenários da Champions League: Andrea Pirlo
Clube dos centenários da Champions League: Andrea Pirlo

Foi comparado a [Pep] Guardiola por causa da posição em que ambos actuaram e por ser chamado rapidamente para treinar um grande clube. Vê-o como um modelo a seguir?

Guardiola é um exemplo para todos nós, é um dos melhores. Deu um exemplo a jovens treinadores que desejam promover um determinado tipo de futebol de ataque. Todos nós temos as nossas próprias ideias e precisamos de levá-las a cabo, mas ele é definitivamente um modelo para todo o movimento futebolístico. Gosto do seu estilo de jogo: estar sempre no ataque e comandar o jogo, estar sempre apto a lidar com as situações. Esse é o nosso objectivo no futuro.

Jogou contra Cristiano Ronaldo muitas vezes como jogador e venceu por 3 -0 num jogo famoso pelo AC Milan, talvez numa das suas melhores actuações. Pensou alguma vez que iria treiná-lo?

Não, nunca imaginei, mas fico feliz de ter esse ícone do futebol mundial, de tê-lo à minha disposição, vê-lo treinar, vê-lo jogar. É um prazer enorme para mim, para toda a equipa. Ele trabalha da mesma forma agora, aos 35 anos, do que quando era jovem, com a mesma paixão por jogar futebol todos os dias. Ele é um exemplo para todos nós.

Andrea Pirlo e Cristiano Ronaldo
Andrea Pirlo e Cristiano RonaldoAFP via Getty Images

Quão especial é a Champions League para si?

A Champions League é um sonho para todos os que jogam futebol, cria uma forte emoção desde o momento em que se ouve a música. Tive a sorte de disputar quatro finais e vencer duas delas, então sei o que significa ganhar e perder este título. Perder esta competição dói, ganhar é absolutamente fantástico.

Até onde pode ir a Juve este ano?

A Champions League é muito difícil. Depende de pequenos momentos. O período mais difícil é por volta de Março, quando algumas equipas talvez não tenham voltado ao seu melhor ritmo [após a pausa de Inverno], enquanto outras já estão em boa forma. É preciso um pouco de sorte às vezes, talvez um sorteio mais favorável.