O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Quão brilhante foi a estrela do Chelsea, Didier Drogba?

O UEFA.com recorda a brilhante carreira do vencedor do Prémio Presidente da UEFA 2020, Didier Drogba.

Didier Drogba festeja a conquista da UEFA Champions League em 2012  (Foto de Darren Walsh/Chelsea FC via Getty Images)
Didier Drogba festeja a conquista da UEFA Champions League em 2012 (Foto de Darren Walsh/Chelsea FC via Getty Images) Chelsea FC via Getty Images

O antigo avançado de Marselha, Chelsea e Galatasaray, Didier Drogba, foi esta terça-feira anunciado como o vencedor do Prémio Presidente da UEFA 2020. O UEFA.com recorda a sua fantástica carreira de jogador.

O ponto alto de Drogba: resumo da final de 2012

O que dizem

"Ele é um dos poucos jogadores que segura bem a bola e marca muitos golos. Marcou quase um em cada duas oportunidades que teve durante a sua carreira. Há dois tipos de avançado nele."
Samuel Eto’o, antigo avançado de Barcelona, Inter e Chelsea

"Drogba fez o que todos os avançados devem fazer: marcar nos jogos decisivos. Marcou em finais da Taça de Inglaterra e da Taça da Liga inglesa e quem pode esquecer o que ele fez em Munique na final da Champions League? No seu melhor, era muito difícil de defrontar."
Jamie Carragher, antigo defesa do Liverpool

"Sempre vi o Drogba como um exemplo a seguir em termos de ponta-de-lança. Só vê-lo treinar já me ajudou. Só de vê-lo ficava maravilhado. Eu costumava ver o Chelsea só para ver Drogba."
Diego Costa, avançado do Atlético

"Drogba enviou-me uma mensagem recentemente. Disse-lhe que ainda estou a ver todos os golos que ele marcou há uns anos."
Pierre-Emerick Aubameyang, avançado do Arsenal

"Drogba – um dos melhores goleadores que já vi jogar. Ele tinha tudo: velocidade, era muito forte fisicamente e bom no jogo pelo ar; era incrível."
Gerard Piqué, defesa do Barcelona

"Sem ele, não teria desfrutado do sucesso pessoal que tive no Chelsea, mas também o clube não teria campeonatos e Champions League. Ele jogou sempre muito nos grandes jogos. Era um monstro no balneário e um grande amigo fora do futebol. Foi uma honra ter jogado com ele."
Frank Lampard, antigo médio do Chelsea e agora treinador da equipa

Gerard Piqué numa disputa de bola com Drogba
Gerard Piqué numa disputa de bola com DrogbaAFP via Getty Images

“Eu dizia às pessoas: 'Alguém poderia dar um tiro no Drogba?' porque as suas actuações eram inacreditáveis. Ele carregou a equipa, pensei eu, e continuou a fazer golos incríveis ... É um jogador poderoso, com um físico enorme. Tem força e joga sempre."
Alex Ferguson, antigo treinador do Manchester United

"Há muitos jogadores com uma técnica fantástica, mas não são líderes. Não aproveitaram ao máximo a sua carreira porque não têm um carácter, uma personalidade ou uma coragem fortes. É preciso isso tudo tanto quanto a técnica. O Didier tem tudo. Quando se encontra um jogador que tem talento e é altruísta, é um vencedor."
Carlo Ancelotti, antigo treinador do Chelsea

Números da carreira

Didier Drogba, ícone da Champions League
Didier Drogba, ícone da Champions League

Selecção: 106 jogos, 65 golos
Competições de clubes da UEFA: 102 jogos, 50 golos
Competições nacionais na Europa: 470 jogos, 180 golos

Caminho até à fama

Ligas francesas
• Tendo chegado a França com 15 anos de idade para se juntar aos pais em Paris, Drogba jogou pelo Lavallois, equipa local, até os 18; o clube joga agora no Stade Didier Drogba, o que levou o jogador a dizer: "Ter um estádio em França com o nome de um jogador da Costa do Marfim… é uma grande prova de integração."

• Estudava contabilidade em Le Mans quando começou a jogar pela Ligue 2 e aos 21 anos assinou o seu primeiro contrato profissional, em 1999 – o mesmo ano em que nasceu o mais velho dos seus três filhos com a sua esposa Lalla. "O nascimento do Isaac foi um momento decisivo na minha vida", confessou. "Isso endireitou-me."

• Ajudou o Guingamp a ficar no sétimo lugar da Ligue 1 em 2002/03, o melhor da história do clube, tendo marcado 17 golos numa excelente dupla no ataque com Florent Malouda. Sentiu dificuldades quando ingressou no clube a meio época 2001/02 e foi contratado pelo Marselha no Verão de 2003.

Drogba perdeu a final da Taça UEFA em 2004
Drogba perdeu a final da Taça UEFA em 2004©Getty Images

• Alcançou a final da Taça UEFA em 2004 na sua primeira época no Marselha (a sua equipa perdeu por 2-0 frente ao Valência), mas 19 golos na Ligue 1 valeram-lhe o prémio de Jogador do Ano concedido pelos seus colegas de profissão, enquanto 11 golos europeus persuadiram o Chelsea a despender um valor elevado para contratá-lo. Roman Abramovich, proprietário dos Blue, parece que não tinha ouvido falar de Drogba e o treinador José Mourinho disse-lhe: "Pague e não fale."

Chelsea
• A sua primeira temporada nos Blues não correu muito bem, embora a equipa tenha conquistado o primeiro título inglês em 50 anos e Drogba tenha marcado na vitória da final da Taça da Liga contra o Liverpool. Pensou em voltar ao Marselha nesse Verão, mas Mourinho convenceu-o a redobrar os seus esforços e o clube conquistou mais um campeonato em 2005/06.

• Ganhou a Bota de Ouro da Premier League em 2006/07, com 20 golos e marcou 33 no total dessa época – incluindo dois na final da Taça da Liga contra o Arsenal e o tento da vitória diante do Manchester United na final da Taça de Inglaterra –, o que fez dele o primeiro jogador a marcar pelo conjunto vitorioso em ambas as finais das taças em Inglaterra na mesma temporada.

• Melhor marcador da Premier League, com 29 golos, em mais uma conquista do título por parte do Chelsea em 2009/10, também facturou na final da Taça de Inglaterra contra o Portsmouth.

• Assinou o seu golo 100 na Premier League pelo Chelsea em Fevereiro de 2012 – facto inédito para um jogador africano.

Drogba com o troféu da UEFA Champions League em 2012
Drogba com o troféu da UEFA Champions League em 2012©Getty Images

• Expulso por conduta violenta na final da UEFA Champions League em 2008 frente ao Manchester United (que a sua equipa perdeu nos penáltis), Drogba redimiu-se na final de 2012, diante do Bayern, ao marcar o golo do empate aos 88 minutos e converter o penálti da vitória no desempate. "No que me diz respeito, [Drogba] ganhou a Champions League para o Chelsea", afirmou Alex Ferguson.

• O golo marcado ao Bayern foi o seu nono em nove finais pelo Chelsea (três na Taças da Liga, quatro na Taça da Inglaterra e duas na UEFA Champions League); Drogba continua a ser o único jogador a ter marcado em três finais da Taça da Liga e também o único a fazê-lo em quatro finais da Taça de Inglaterra.

• Deixou o Chelsea no Verão de 2012 para se juntar ao seu antigo companheiro de clube Nicolas Anelka nos chineses do Shanghai Shenhua, mas regressou à Europa em Janeiro seguinte para jogar pelo Galatasaray; venceu a Liga turca em 2012/13 e marcou noutra final – o golo do triunfo no jogo da Supertaça turca de 2013 contra o Fenerbahçe.

Drogba defrontou o Chelsea ao serviço do Galatasaray
Drogba defrontou o Chelsea ao serviço do Galatasaray©AFP/Getty Images

• Voltou ao Chelsea para jogar uma última temporada em Julho de 2014, quando Mourinho reassumiu o comando da equipa. "Foi uma decisão fácil", disse Drogba. "Não podia recusar a oportunidade de voltar a trabalhar com José Mourinho. Todos sabem da relação especial que tenho com este clube e sempre me senti em casa." Ganhou o quarto título inglês com o clube em 2014/15.

• Terminou a carreira no Chelsea como o melhor marcador estrangeiro do clube (164 golos) e o jogador de uma equipa inglesa que marcou mais vezes na UEFA Champions League (36). Continuou a jogar até os 40 anos na Major League Soccer, nos Estados Unidos, tendo marcado 34 golos em 54 partidas do campeonato ao serviço do Montreal Impact e depois do Phoenix Rising. Anunciou a retirada dos relvados Dezembro de 2018.

• Futebolista africano do ano em 2006 e 2009, marcou um recorde de 65 golos pela Costa do Marfim e participou em três edições do Campeonato do Mundo. Drogba também ajudou a selecção a chegar a duas finais da Taça das Nações Africanas, mas perdeu ambas no desempate por grandes penalidades.

O que talvez não saiba

Drogba recebeu a sua alcunha de infância de Josip Broz Tito
Drogba recebeu a sua alcunha de infância de Josip Broz TitoPopperfoto via Getty Images

• A mãe de Drogba, Clotilde, apelidou-o de "Tito" em homenagem a Josip Broz Tito, o ex-presidente da antiga Jugoslávia. “Quando estava grávida de Didier esse general, o Marechal Tito, era o líder da Jugoslávia, que eu apreciava muito pelos seus valores e pela sua perseverança. Gostava muito dele pelo seu espírito de luta e por isso demos-lhe o nome de Didier 'Tito'."

• Drogba foi para a França viver com o seu tio quando tinha apenas cinco anos, mas não demorou muito a regressar a Abidjan. "Quando cheguei a França chorava todos os dias", recordou. "Não porque estivesse em França – poderia estar em qualquer lugar –, mas porque estava muito longe dos meus pais. Sentia muita falta deles."

• O seu filho mais velho, Isaac, procura seguir as pisadas do pai; esteve nas camadas jovens do Chelsea e está actualmente no Guingamp, um dos clubes onde jogou Didier.

George Weah e Drogba em Marselha em 2005
George Weah e Drogba em Marselha em 2005AFP

• Drogba desempenhou um papel importante na tentativa de levar a paz à sua terra natal, a Costa do Marfim, como embaixador da boa vontade do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento. Mais tarde, afirmou: "Ganhei muitos troféus no meu tempo de jogador, mas não há nada melhor do que ajudar o meu país a vencer a batalha pela paz." Fez um trabalho substancial de solidariedade na Costa do Marfim através da Fundação Didier Drogba.

• A também antiga estrela africana George Weah encorajou Drogba a entrar na política. Drogba apoiou Weah quando este fazia campanha para se tornar Presidente da Libéria. Weah respondeu: "Obrigado Didier pelo apoio. Estamos ambos conscientes e cientes do destino do nosso povo. Segue o mesmo caminho."

• Drogba é tão forte fisicamente que jogou durante um mês em 2010/11 sem saber que sofria de malária; parecia fora de forma quando ficou quatro partidas sem marcar e só foi diagnosticado após uma febre o ter impedido de iniciar um jogo com o Liverpool (e mesmo assim foi suplente utilizado).

O que ele diz

Samuel Eto'o e Drogba: os melhores goleadores africanos do seu tempo
Samuel Eto'o e Drogba: os melhores goleadores africanos do seu tempoIcon Sport via Getty Images

"Quando comecei não pensava que teria uma carreira tão longa. Foi tão rápido – aconteceu tudo depressa."

"Nunca joguei contras os defesas mais fortes, mas defrontei-os todas as semanas nos treinos. Quando enfrentava John Terry, Ricardo Carvalho ou Alex, estava ansioso para que chegasse o fim-de-semana."

"É uma honra ser visto como o avançado-centro moderno. O futebol mudou; é preciso ser rápido, correr muito, fazer muitos jogos. A boa forma é a chave. Já vi jogos em diferentes ligas e podemos ver que houve mudanças. Os avançado têm de defender, e não apenas marcar, e criar também golos."

"Quando se tem Mourinho, Ancelotti e outros técnicos, e jogadores como Frank Lampard, John Terry, Michael Ballack, Petr Čech... aprende-se muito. Vivemos tanta coisa num balneário que quando me pergunto se ser treinador poderia ser uma opção, porque não? Acho que poderia sair-me bem."