Paris 0-1 Bayern: Golo de Coman decisivo

Um golo de Kingsley Coman ao seu antigo clube decidiu a final de Lisboa.

Resumo: Paris 0-1 Bayern
Resumo: Paris 0-1 Bayern

Kingsley Coman, antigo avançado do Paris, marcou o único golo da final da Champions League e deu o sexto título europeu ao Bayern.

Final: como tudo aconteceu, reacções


O jogo em poucas palavras

A equipa mais concretizadora da edição de 2019/20 demorou a soltar-se em Lisboa, mas manteve a calma depois de Coman inaugurar o marcador, de cabeça, aos 59 minutos.

Kingsley Coman bate Keylor Navas de com um remate de cabeça
Kingsley Coman bate Keylor Navas de com um remate de cabeçaUEFA via Getty Images

O Paris parecia estar ao nível da equipa de Hansi Flick até ao passe de Joshua Kimmich a descobrir Coman ao segundo poste, o qual Keylor Navas não conseguiu travar.

O Bayern sentiu dificuldades para encontrar espaço para jogar na primeira parte e Manuel Neuer impediu Neymar de inaugurar o marcador, antes de Robert Lewandowski acertar no poste da baliza dos franceses. Na resposta, Kylian Mbappé rematou à figura de Neuer pouco antes do intervalo, quando o Paris deixou em apuros a defesa do Bayern.

O golo obrigou o Paris a correr mais riscos e os franceses quase foram recompensados, só que mais uma boa defesa de Neuer impediu Marquinhos de fazer o empate. O Bayern conseguiu controlar as operações, enquanto o Paris falhava no último passe e o campeão alemão pôde festejar a ambicionada tripla de troféus.

Melhor em Campo: Kingsley Coman (Bayern)

"Coman ajudou o Bayern a pôr em prática o seu plano criativo e marcou o golo que decidiu o jogo-"
Packie Bonner, observador técnico da UEFA

Conheça todos os Melhores em Campo oficiais da UEFA Champions League.

Veja o momento em que o Bayern ergueu o troféu
Veja o momento em que o Bayern ergueu o troféu

Reacções

Hansi Flick, treinador do Bayern: "Foi uma partida em ritmo acelerado e de alta voltagem, com ocasiões para os dois lados. Temos o melhor guarda-redes do Mundo, Manuel Neuer, e ele manteve-nos em jogo em alguns momentos. Tornámos a vida realmente difícil para o adversário. Quando pensamos em como trabalhámos defensivamente até aos 92 minutos, Lewandowski estava a correr atrás da bola, foi incrível. Foi uma exibição completa da equipa.Não estabeleci um prazo para a festa acabar. É justo comemorar quando se ganha alguma coisa. Tem que haver festa e não sei quando vai acabar".

Serge Gnabry, extremo do Bayern: "Ganhar o troféu hoje é a melhor coisa que nos poderia acontecer. Trabalhamos muito e no final conseguimos ser a melhor equipa da Europa".

Joshua Kimmich, defesa do Bayern: "O maior dia da minha carreira. Quando se ganha um título como este com irmãos em campo, é o máximo que se pode pedir".

Alphonso Davies, defesa do Bayern: “Quem poderia imaginar que um canadiano venceria a Champions League? Há dois anos, se alguém me tivesse dito isso eu nunca teria acreditado”.

Thomas Müller, avançado do Bayern: "Todos sabemos de onde viemos nesta temporada. Não há segredos, seguimos apenas em frente. Obviamente, temos muita qualidade na equipa, mas também temos espírito, os jogadores estão preparados para sofrer".

Ander Herrera, médio do Paris: "Acho que fizemos de tudo para ganhar o jogo - tivemos cinco, seis ocasiões. Eles tiveram duas ou três, mas marcaram um golo na segunda parte. Sentimo-nos mal pelos nossos adeptos porque sabemos como importante seria para eles e para a história do clube".

Thomas Tuchel, treinador do Paris: "Demos tudo. Deixámos o coração e tudo o mais em campo. Podemos esperar isso numa final, mas nada mais. Não podemos controlar o resultado. Pensei antes do jogo que o primeiro golo poderia decidir esta partida. Houve uma diferença de um golo entre duas equipas muito fortes. Estou orgulhoso da nossa mentalidade e de como jogámos nossos últimos jogos. Isso é tudo o que se pode pedir como treinador. Sim, estou desiludido, mas não muito".

Estatísticas-chave

Kylian Mbappé rematou à figura de Manuel Neuer na melhor oportunidade do Paris
Kylian Mbappé rematou à figura de Manuel Neuer na melhor oportunidade do ParisUEFA via Getty Images
  • O Bayern venceu todos os 11 jogos na UEFA Champions League desta época e estabeleceu um novo recorde da prova de triunfos consecutivos.
  • O campeão alemão terminou a campanha com 43 golos, mais 18 do que qualquer outra equipa na competição. O tento de Coman foi o 500º do clube de Munique na UEFA Champions League, desde a fase de grupos até à final.
  • O golo de Coman, aos 59 minutos, foi o tento de abertura mais tardio numa final da UEFA Champions League desde o primeiro remate certeiro de Mario Mandžukić pelo Bayern, aos 60 minutos da final de 2013, ganha pelos germânicos por 2-1.
  • Coman é o primeiro francês a marcar o golo da vitória numa final da UEFA Champions League desde Zinédine Zidane em 2002.
  • O Paris ficou em branco pela primeira vez em 35 jogos da UEFA Champions League. A última vez que não tinha conseguido marcar na competição foi em Abril de 2016 frente ao Manchester City

Equipas

Paris: Navas; Kehrer, Thiago Silva, Kimpembe, Bernat (Kurzawa 80); Herrera (Draxler 72), Marquinhos, Paredes (Verratti 65); Di María (Choupo-Moting 80), Mbappé, Neymar

Bayern: Neuer; Kimmich, Boateng (Süle 25), Alaba, Davies; Thiago (Tolisso 86), Goretzka; Gnabry (Coutinho 68), Müller, Coman (Perišić 68); Lewandowski

O que se segue?

O Bayern, vencedor da UEFA Champions League, vai defrontar o Sevilha, vencedor da UEFA Europa League, na Supertaça Europeia, em Budapeste, na quinta-feira, 24 de Setembro. Paris e Bayern já tinham garantido um lugar no sorteio da fase de grupos da UEFA Champions League, em Atenas, a 1 de Outubro.