Final da Champions League: Dentro da bolha de Lisboa

Acompanhar esta fase final ao vivo nos estádios permitiu ter novas perspectivas sobre o jogo, explica Simon Hart, do UEFA.com.

O treinador da Atalanta, Gian Piero Gasperini, coloca uma máscara protectora em Lisboa
O treinador da Atalanta, Gian Piero Gasperini, coloca uma máscara protectora em Lisboa UEFA via Getty Images

O duelo dos quartos-de-final entre Atalanta e Paris Saint-Germain, na fase final da UEFA Champions League em Lisboa, já estava nos últimos dez minutos, foi então que tive a sensação de um desporto reduzido aos seus elementos mais básicos.

Um repórter encarregue das entrevistas no final do encontro deixa habitualmente o seu lugar na bancada de imprensa uns minutos antes do fim, de forma a deslocar-se para o local das entrevistas, que normalmente é perto do túnel de acesso ao relvado. Normalmente só percebemos o que se passa em campo devido ao ruído dos adeptos, mas desde vez, na longa caminhada em redor do recinto do Estádio do Sport Lisboa e Benfica, havia apenas silêncio. Foi então que ao chegar ao meu local, a primeira fila da bancada principal, que a emoção final surgiu. Um evento global de futebol de repente pareceu intensamente pessoal, resumido a apenas dois grupos de jogadores. Futebol no estado mais puro.

Poucos momentos antes tinha ouvido o guarda-redes da Atalanta, Marco Sportiello, a gritar para os colegas de equipa "Dai, Dai"! (Vamos!), numa altura em que os italianos tentavam segurar a vantagem. Agora os únicos sons que se escutavam vinham dos suplentes do Paris, que comemoravam o empate de Marquinhos. Gritavam "Allez, allez, allez" nos assentos à minha esquerda quando o jogo recomeçava. Os gritos de alegria dos jogadores normalmente não se conseguem ouvir nos estádios de futebol, pois são abafados pelo ruído dos adeptos. Aqui não. Foi um privilégio poder assistir a esta emoção pura, incluindo a visão do pobre Sportiello com a cara enfiada no relvado após o triunfo dos franceses.

Kylian Mbappé segue o jogo da bancada
Kylian Mbappé segue o jogo da bancadaGetty Images

Claro que neste novo ambiente do futebol existem novos desafios. Os fotógrafos dos bastidores da UEFA foram submetidos a testes à COVID-19 na véspera de cada jogo. Os repórteres de televisão fizeram as entrevistas no final do jogo com máscaras, com jogadores e treinadores colocados num local pré-definido e com distância de segurança. As conferências de imprensa de antevisão dos jogos foram realizadas remotamente, com o treinador numa zona do estádio e os jornalistas na bancada de imprensa (ou nos países de origem), assistindo a tudo no ecrã dos computadores e a clicarem num ícone de mão levantada para fazerem as perguntas.

As bancadas de imprensa têm sido locais bem mais silenciosos, com a imprensa escrita em cada jogo limitada a 25 jornalistas, incluindo dez do país de cada equipa.

Um operador de câmara com uma máscara protectora
Um operador de câmara com uma máscara protectoraUEFA via Getty Images

Segundo Darren Fletcher, comentador da BT Sport, o falso ruído do público, transmitido pelos auscultadores, tem ajudado na realização do trabalho. "Temos de comentar da melhor forma, em que falamos um pouco mais alto em certos momentos, e com o falso ruído dos adeptos continuamos a poder fazer isso, por isso tenho o som bem alto". Fletcher considera uma "enorme honra" estar aqui. "É como ter um bilhete dourado. As pessoas não podem estar aqui, por isso é um privilégio ter estado no estádio quando o Bayern goleou o Barcelona. No futuro, só um punhado de pessoas poderão dizer 'eu estive lá'".

Um verdadeiro privilégio. Com distanciamento social mas, ao mesmo tempo, perto e com intimidade O Lyon estava a perder por 3-0 nos últimos minutos da meia-final e o treinador Rudi Garcia continuava a encorajar os seus jogadores. Quando estava à espera da entrevista, ouvi um sonoro "Allez" e depois um "Bien joué" (bem jogado). As circunstâncias mudaram, mas a intensidade e a emoção continuam as mesmas.

Este artigo foi adaptado do Programa Oficial da Final da UEFA Champions League. Compre aqui a sua cópia.