O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Final da Champions League: como Hansi Flick revitalizou o Bayern

Hansi Flick teve um impacto notável na forma do Bayern desde que assumiu o comando da equipa no final do ano passado.

Hans-Dieter Flick durante uma sessão de treino do Bayern
Hans-Dieter Flick durante uma sessão de treino do Bayern POOL/AFP via Getty Images

Hansi Flick revitalizou o Bayern desde que assumiu o comando da equipa em Novembro, recuperando uma filosofia tradicional do clube que revigorou jogadores nucleares e levou o clube a uma inédita série de vitórias.

Antevisão da final da Champions League


“Vamos fazer poucas alterações", prometeu Hansi Flick quando foi nomeado treinador interino do Bayern em Novembro. O clube iria procurar um treinador mais sonante para o substituir, mas, no início de Abril, a busca já tinha terminado, com Flick a assinar um contrato de três anos.

Paris - Bayern: encontros anteriores
Paris - Bayern: encontros anteriores

"Há muitos anos que o Bayern é um símbolo de posse, domínio da bola, um forte jogo posicional e muitos golos", explicou Karl-Heinz Rummenigge, o director-executivo do clube,. "Hansi Flick trouxe de volta esta filosofia”.

É uma receita que já rendeu a conquista do oitavo título consecutivo da Bundesliga e a Taça da Alemanha, deixando Flick a um jogo de igualar a proeza de Jupp Heynckes que, em 2012/13, conseguiu uma tripla inédita.

A vitória sobre o Lyon nas meias-finais foi o 20º triunfo consecutivo do Bayern em todas as competições, o que significa que Flick venceu os primeiros sete jogos na UEFA Champions League. Vitórias que deixam o alemão à frente de Fabio Capello, antigo treinador do Milan, e de Luis Fernandez, antigo técnico do Paris, como o único treinador que conseguiu uma série de triunfos tão longa na prova.

E não podemos esquecer os golos. O Bayern marcou 42 golos nos dez jogos disputados até o momento, uma média de 4,2 por jogo, que supera o recorde anterior de 3,38 estabelecido pelo Paris em 2017/18. Só o Barcelona conseguiu melhor numa temporada da Champions League, precisando de 16 jogos para apontar 45 golos em 1999/2000.

Mais de um terço do total de golos marcados pelo campeão alemão foram da autoria de Robert Lewandowski. O internacional polaco está a fazer a melhor época da carreira, depois de marcar 34 golos em 31 jogos no campeonato, ficando apenas a dois golos do recorde de 17 tentos marcados por Cristiano Ronaldo na Champions League de 2013/14.

Resumo: Barcelona 2-8 Bayern
Resumo: Barcelona 2-8 Bayern

Se conseguir bater o Paris, o Bayern irá conquistar o sexto título europeu em 11 finais, igualando o Liverpool no terceiro lugar da lista de clubes mais vitoriosos de sempre. A equipa alemã está a honrar a sua história.

"No balneário não houve gritos de alegria, nem grande festejos, pois já estamos concentrados na final", explicou Joshua Kimmich, que pode ajudar o Bayern a tornar-se no primeiro clube a vencer todos os jogos numa edição da Champions League. "Não queremos descansar sobre os louros. Não é o momento ideal para isso”.

Este artigo faz parte do Programa Oficial da Final da UEFA Champions League. Adquira aqui a sua cópia.