Resumo da Champions League: Paris mostra ter subido de nível

Neymar, Kylian Mbappé e Ángel Di María têm dado nas vistas, mas os campeões franceses também se têm mostrado sólidos a nível defensivo.

Kylian Mbappé e Neymar festejam o apuramento para a final
Kylian Mbappé e Neymar festejam o apuramento para a final

Presente pela primeira vez numa final da UEFA Champions League no ano em que comemora o 50º aniversário, o Paris aponta ao troféu com base numa defesa sólida e num ataque recheado de estrelas.

Antevisão da final da Champions League


Época até ao momento

Guia de forma: V8 E1 D1 GM25 GS5
Melhor marcador: Kylian Mbappé, Mauro Icardi (5)

Campanha em poucas palavras: Defesa sólida e muito perigoso a atacar: será esta a sua época?

Vencedor do Grupo A

Resumo: Paris 5-0 Galatasaray
Resumo: Paris 5-0 Galatasaray

Paris 3-0 Real Madrid (Di María 14 33, Meunier 90'+1)
Galatasaray 0-1 Paris (Icardi 52)
Club Brugge 0-5 Paris (Icardi 7 63, Mbappé 61 79 83)
Paris 1-0 Club Brugge (Icardi 22)
Real Madrid 2-2 Paris (Benzema 17 79; Mbappé 81, Sarabia 83)
Paris 5-0 Galatasaray (Icardi 32, Sarabia 35, Neymar 46, Mbappé 63, Cavani 84pen)

Oitavos-de-final

Primeira mão (18 de Fevereiro): Dortmund 2-1 Paris (Haaland 69 77; Neymar 75)
Segunda mão (11 de Março): Paris 2-0 Dortmund (Neymar 28, Bernat 45+1)
(3-2 total.) 

Quartos-de-final

Atalanta 1-2 Paris (Pašalić 27; Marquinhos 90, Choupo-Moting 90+3)

Meias-finais

Resumo: Leipzig 0-3 Paris
Resumo: Leipzig 0-3 Paris

Leipzig 0-3 Paris (Marquinhos 13, Di María 42, Bernat 58)

Após a derrota da primeira mão, a primeira nesta edição da UEFA Champions League, o Paris não deu hipóteses em casa, alcançando os quartos-de-final pela primeira vez desde 2015/16.

Opinião do especialista: Chris Burke, repórter do UEFA.com junto do Paris

A apenas 90 minutos de poder conquistar o seu primeiro título da Champions League, o Paris acredita mais do que nunca que 2020, ano em que celebra o 50º aniversário, pode ser o seu ano. O campeão francês é uma equipa transformada desde a derrota em casa do Dortmund, nos oitavos-de-final, tendo criado um espírito de grupo notável, que lhe permitiu dar a volta a essa eliminatória e ao jogo frente à Atalanta, com dois golos tardios. Adicione-se a isso o incrível talento com que derrotou o Leipzig tranquilamente e estamos perante uma equipa que possui os meios e a confiança para dar mais um passo histórico.

Quem é o treinador?

Após substituir Jürgen Klopp no Dortmund, Thomas Tuchel ingressou no Paris em 2018. Desde então ganhou dois títulos da Ligue 1, aos quais adicionou a Taça de França e a Taça da Liga esta época. Dado que também ganhou a Supertaça de França no início da campanha 2019/20, o técnico alemão pode agora completar um feito histórico, com cinco títulos na mesma época. Primeiro treinador a conduzir o Paris à final da UEFA Champions League, ganhou 12 dos 18 jogos pelo clube na competição.

Frase marcante: "Estou muito feliz por orientar esta equipa – é divertido. Eles não se limitam a falar; também fazem acontecer. Vamos dar o máximo; a final vai ser um grande jogo."

Abordagem táctica

Neymar tem sido a principal fonte de inspiração do Paris
Neymar tem sido a principal fonte de inspiração do ParisUEFA via Getty Images

O Paris começou 2020 com Neymar, Kylian Mbappé, Ángel Di María e Mauro Icardi como os principais destaques, num estável 4-4-2, mas desde então Tuchel teve de efectuar algumas mudanças para lidar com ausências. O campeão francês começou com Neymar como criativo num 4-3-1-2 frente à Atalanta e, depois, frente ao Leipzig, com Icardi no banco, o brasileiro actuou como falso nº9, num 4-3-3 que se revelou demasiado forte para os alemães. Tuchel pode sentir-se tentado a manter essa opção, ao mesmo tempo que mantém a crença numa defesa que sofreu apenas cinco golos em dez jogos, o que faz dela a defesa menos batida da prova.

Estrela: Neymar

Melhor marcador brasileiro na história da Champions League, Neymar tem sido a inspiração do Paris nas últimas eliminatórias, naquela que é a primeira vez desde que chegou ao clube, em 2017, em que enfrenta a fase a eliminar sem problemas com lesões. Apesar de ainda não ter marcado na fase final, o nº10 do Paris tem impulsionado a equipa a nível ofensivo graças a dribles estonteantes, capacidade de passe, energia e fome de vencer.