Regresso ao Jogo: a UEFA está a preparar-se para o regresso seguro das suas competições de elite.
Saiba mais >
 

Thibaut Courtois fala sobre o confinamento e o regresso ao trabalho

Agora que o Real Madrid regressou aos treinos, o UEFA.com conversou (virtualmente) com Thibaut Courtois.

Thibaut Courtois fala (virtualmente) com o UEFA.com
Thibaut Courtois fala (virtualmente) com o UEFA.com

O Real Madrid regressou ao trabalho para preparar o fim da época 2019/20, que entra numa fase decisiva, e isso significa o fim do confinamento para Thibaut Courtois.

O guarda-redes belga falou ao UEFA.com sobre como passou dois meses sem futebol e a sensação por estar de volta aos relvados.

Sobre o regresso aos treinos…

Courtois num treino deste mês
Courtois num treino deste mêsReal Madrid via Getty Images

Estamos a lidar muito bem com isso. É sempre agradável passar algum tempo em casa com a família, mas ao fim de algumas semanas começa a ser aborrecido. Quer-se voltar à rotina habitual, treinar e jogar. Acabei por treinar em casa, correndo na passadeira e fazendo levantamento de pesos. Foi bom este descanso e estou preparado para o que aí vem.

Temos um protocolo a respeitar e por isso a primeira semana foi estranha. Apesar de trabalhar com o treinador de guarda-redes, ele não podia fazer remates, passes ou coisas do género, mas depois acabamos por nos habituar. Aguardamos com muita expectativa pelos jogos nos treinos, com 11 contra 11, toda a gente a sorrir e sem este tipo de problemas. Mas para já vamos encarando as coisas passo a passo.

Sobre a quarentena…

Courtois mostra as mãos hábeis a jogar PlayStation
Courtois mostra as mãos hábeis a jogar PlayStation

No fim de contas, pode-se dizer que descansei dois meses, algo que em circunstâncias normais é quase impossível. Durante uma época nunca há dois meses em que não estamos expostos a stress e adrenalina constantes. Mas isso não é mau de todo. Sendo jogador de futebol, defronta-se grandes jogadores e participa-se em jogos importantes, e isso faz com que a adrenalina e a pressão no nosso corpo acabem por ser viciantes e positivas. E elas obrigam-nos a jogarmos ainda melhor.

Passei muito tempo em videojogos, participando em torneios.

Sobre manter-se em contacto…

O guarda-redes teve de estar longe dos filhos
O guarda-redes teve de estar longe dos filhos

Tenho falado com os meus filhos, que moram a cinco minutos de distância. Ainda assim, não os vejo há um mês. Posso ser portador assintomático do vírus, por isso não quis correr riscos até ter passado algum tempo e pudesse ter a certeza que não tinha [COVID-19].

Falo com alguns amigos com mais frequência do que antes, e aquilo que foi verdadeiramente diferente este ano foi o meu aniversário. A minha irmã preparou-me uma surpresa, como vídeos muito engraçados de pessoas que amo bastante. Também senti muita falta foi de ver jogos de futebol ao vivo, jogos da NBA, e corridas de Fórmula 1.

Topo