O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Liverpool na final

Liverpool FC 1-0 Chelsea FC (total: 1-1, 4-1 nas grandes penalidades)
Pepe Reina defendeu dois penalties e colocou os "reds" no jogo decisivo de Atenas.

O Liverpool FC venceu o Chelsea FC por 4-1 nos penalties e é a primeira equipa apurada para a final da UEFA Champions League, agendada para 23 de Maio, em Atenas, Grécia. Pepe Reina defendeu dois remates e colocou os "reds" na segunda final da prova em três anos, depois do triunfo em 2005.

Eliminatória empatada
Daniel Agger anulou aos 22 minutos o tento de Joe Cole no primeiro encontro e empatou a eliminatória na segunda mão das meias-finais, disputada em Anfield. Dirk Kuyt atirou à barra no início da segunda parte e viu o guarda-redes adversário, Petr Cech, negar o golo em diversas ocasiões, a última das quais nos momentos finais do encontro, levando o desafio para os penalties.

Alonso no banco
O técnico do Liverpool, Rafael Benítez, surpreendeu ao deixar no banco de suplentes o médio espanhol Xabi Alonso, o jogador mais utilizado na UEFA Champions League, com 13 jogos, contando com os dois da terceira pré-eliminatória. No meio-campo dos "reds", surgiram então Jermaine Pennant e Boudewijn Zenden.

Duelo a meio-campo
Em desvantagem por 1-0 na eliminatória, o Liverpool assumiu o comando do encontro na fase inicial. Apesar de o jogo ter sido muito disputado a meio-campo nos primeiros momentos e depois de apenas um remate inofensivo da autoria do capitão dos "reds", Steven Gerrard, a formação da casa adiantou-se no marcador aos 22 minutos.

Agger marca
Quando toda a gente esperava que Gerrard marcasse o livre do lado esquerdo do ataque para o coração da área, o médio, numa jogada estudada, cruzou rasteiro para a entrada da grande área, onde apareceu o dinamarquês Daniel Agger a rematar colocado com o pé esquerdo, não dando hipóteses a Petr Cech.

Chelsea reage
A equipa de José Mourinho, que não pôde contar nesta partida com os influentes Ricardo Carvalho, Michael Ballack e Andryi Shevchenko, todos lesionados, tomou então as rédeas do desafio e podia ter chegado à igualdade pouco depois da meia-hora. Didier Drogba esgueirou-se pela direita, entrou na área e rematou fortíssimo, mas o guarda-redes Reina opôs-se a preceito e afastou o perigo.

Drogba ameaça
O melhor marcador dos "blues" na prova, com seis golos, voltou a ameaçar a baliza adversária cinco minuto antes do intervalo ao ganhar de cabeça à defensiva do Liverpool, após canto, mas Michael Essien não conseguiu desviar com êxito a bola e esta perdeu-se pela linha de fundo.

Liverpool responde
O começo da etapa complementar foi o espelho do final da primeira parte, maior domínio do Chelsea e o Liverpool a apostar em contra-ataques rápidos. Drogba errou o alvo pouco depois do apito do árbitro, mas em dois lances no espaço de três minutos o conjunto de Benítez podia ter voltado a marcar.

Kuyt à barra
Primeiro, aos 56 minutos, foi Peter Crouch a ganhar nas alturas e a atirar de cabeça para excelente defesa de Cech, e depois Dirk Kuyt atirou, também de cabeça, à barra da baliza do guardião checo. Meia-dúzia de minutos volvidos, Terry falhou a intercepção e permitiu que Pennant surgisse em boa posição para rematar, mas Ashley Cole interceptou o pontapé do extremo inglês na altura exacta.

Cech salvador
Aos 76', Cole fugiu pelo lado esquerdo e, já dentro da área, cruzou rasteiro, mas Jamie Carragher anulou o lance quando o incansável Drogba se preparava para fazer o golo à boca da baliza. Benítez refrescou o meio-campo com a entrada de Alonso por Pennant pouco depois. A três minutos do final, Zenden rematou com o pé direito, Cech defendeu com dificuldade para a frente, mas ninguém do Liverpool conseguiu fazer a emenda e o desafio terminou, obrigando a prolongamento.

Golo anulado
Ainda na primeira parte do tempo extra, Mourinho tirou Joe Cole e fez entrar o extremo holandês Arjen Robben, depois de quase mês e meio ausente devido a lesão. Aos dez minutos, Alonso rematou de longa distância, Cech defendeu e Kuyt fez a recarga com êxito, mas o lance seria anulado pelo árbitro por eventual posição irregular do dianteiro dos "reds" na altura do pontapé do espanhol.

Drogba atrasado
Craig Bellamy entrou para o lugar do gigante Crouch no curto intervalo do prolongamento e Mourinho respondeu ao colocar em campo o veloz Shaun Wright-Phillips, fazendo sair o apagado Salomon Kalou. O extremo inglês criou perigo a quatro minutos do fim quando escapou pela direita e cruzou para a área. No entanto, Drogba chegou ligeiramente atrasado e a bola passou à frente de Pepe Reina.

Cech adia decisão
A pensar nas grandes penalidades, Benítez trocou Robbie Fowler pelo esgotado Javier Mascherano e do outro lado Claude Makelele cedeu o posto a Geremi. Mas seria Cech a negar, mais uma vez, o tento do Liverpool ao defender um remate de Kuyt pouco antes do final dos 120 minutos regulamentares. No desempate através das grandes penalidades, o Liverpool foi mais feliz, tendo Reina travado dois remates, de Robben e Geremi.