Ferguson destaca exibição

O técnico do Manchester United, Sir Alex Ferguson, elogiou a boa exibição da sua equipa, enquanto o homólogo milanês, Carlo Ancelotti, preferiu destacar que "tudo está em aberto".

O treinador do Manchester United FC, Sir Alex Ferguson, lamentou as hesitações defensivas que permitiram ao AC Milan a obtenção de dois golos fora de casa na primeira mão das meias-finais da UEFA Champions League, mas elogiou o "desempenho tremendo" da sua equipa, que conseguiu recuperar de uma desvantagem de 2-1 para vencer pela margem mínima, graças a dois tentos de Wayne Rooney que deixaram as bancadas de Old Trafford em polvorosa. Quanto a Carlo Ancelotti, técnico dos transalpinos, acredita que a sua equipa pode encarar com confiança o encontro da segunda-mão, agendado para a próxima quarta-feira, não obstante as lesões que obrigaram às substituições de Gennaro Gattuso e Paolo Maldini.

Sir Alex Ferguson, treinador do Manchester United
Tratou-se de um desempenho tremendo da minha equipa, mas houve momentos em que o Milan praticou grande futebol. De qualquer maneira, não deixa de ser estranho que num grande jogo de futebol aconteçam golos tão banais; nós sofremos dois miseráveis. Quando se está a perder por 2-1 com uma equipa deste calibre as coisas tornam-se muito complicadas. Ao intervalo dissemos que se continuássemos a jogar com velocidade continuaríamos a ter hipóteses. Na etapa complementar, houve um momento em que estivemos um risco, quando fomos apanhados desprevenidos duas vezes e o Kaká poderia ter marcado. Mas isso acabou por nos dar vida novamente e nestas partidas também é necessário um pouco de sorte. No entanto, depois fomos sempre a melhor equipa, o segundo golo deu-nos alguma vantagem e, a partir desse momento, só poderia haver um vencedor. O golo de Wayne Rooney deixou-nos numa posição fantástica. Penso que a velocidade da nossa equipa nos confere a possibilidade de marcar em Milão, mas não sei se isso será suficiente. Sabemos que vai ser complicado, mas vamos encarar o desafio".

Carlo Ancelotti, treinador do Milan
O terceiro golo veio complicar a questão. Estivemos bem durante uma hora, mas será sempre difícil manter essa dinâmica ao longo de todo o encontro. Perdemos a experiência de Gatutuso e Maldini, e se eles estivessem em campo seguramente teriam dado um contributo importante. Estamos em melhor posição para a segunda mão do que quando defrontámos o FC Bayern München nos quartos-de-final. É verdade que o desfecho desta noite também serve ao Manchester, que poderá apostar no contra-ataque - uma das suas grandes qualidades -, mas vamos para o encontro cheios de confiança. O United possui uma pequena vantagem, mas está tudo em aberto.