Lavezzi destaca-se no sucesso colectivo do PSG

Ezequiel Lavezzi brilhou na ausência de Zlatan Ibrahimović ao selar a presença do PSG nos quartos-de-final e disse ao UEFA.com: "Sabíamos que, sem ele, teríamos de trabalhar ainda mais."

Ezequiel Lavezzi, do PSG, em acção frente ao Valência
Ezequiel Lavezzi, do PSG, em acção frente ao Valência ©Getty Images

Ezequiel Lavezzi disse que ele e os colegas de equipa do Paris Saint-Germain FC "fizeram um sacrifício" para compensar a ausência de Zlatan Ibrahimović e garantir a qualificação do clube francês para os quartos-de-final, à custa do Valencia CF.

O castigo de Ibrahimovic levou a uma alteração da táctica por parte do treinador Carlo Ancelotti, que utilizou Lavezzi como único avançado, com a corrida incansável e ritmo do atacante a conferirem aos anfitriões uma ameaça importante no contra-ataque.

O Parc des Princes pode ter temido o pior quando Jonas inaugurou o marcador, aos 55 minutos, mas o empate, apontado por Lavezzi, nove minutos depois, chegou em boa hora, permitindo a passagem do PSG com um resultado total de 3-2. O jogador de 27 anos mostrou a sua satisfação por ter passado um teste difícil. "Foi muito complicado porque o Valência preparou-se muito bem, mas nós fomos um pouco mais conservadores", disse.

Sobre a ausência do seu parceiro de ataque habitual, revelou: "É um jogador de topo e muito importante para a equipa. Sem ele sabíamos que era preciso trabalhar ainda mais."

Lavezzi já aguarda com expectativa pelos quartos-de-final. "Esta é uma competição muito desafiante e emocionante. Disputar jogos a eliminar dá uma motivação extra, pois demos que estar 100 por centro concentrados", disse.

O entusiasmo de Lavezzi foi partilhado por Blaise Matuidi, que descreveu o apuramento como "um grande momento para o clube", acrescentando: "Não foi fácil. Defrontámos uma equipa do Valência muito forte, mas permanecemos unidos, defendemos bem e fomos cirúrgicos no contra-ataque. Sabíamos que só com uma boa exibição podíamos seguir em frente."

Sobre a exibição de Lavezzi, Matuidi disse: "É um jogador excepcional e temos sorte por o ter na equipa. Mas não apenas ele. Hoje vimos que podemos contar com todos os jogadores." O guarda-redes Salvatore Sirigu também teve uma contribuição vital, mas admitiu que foi uma segunda mão nervosa. "É normal sentir algum receio. Tínhamos consciência da força do adversário, por isso estamos muito satisfeitos com o apuramento, que é um feito notável."

Conteúdos relacionados