Milan defende vantagem na fortaleza do Barcelona

O Milan visita o reduto do Barcelona, equipa que não perde em casa há mais de três anos na UEFA Champions League mas tem de anular a desvantagem de 2-0 trazida da primeira mão.

Lionel Messi escapa a Philippe Mexès no triunfo do Barcelona, por 3-1, na recepção ao Milan, na época passada
Lionel Messi escapa a Philippe Mexès no triunfo do Barcelona, por 3-1, na recepção ao Milan, na época passada ©Getty Images

O FC Barcelona recebe o AC Milan em Camp Nou na esperança que os bons resultados que habitualmente consegue em casa permitam apurar-se para os quartos-de-final da UEFA Champions League.

• O Barcelona não perde qualquer desafio europeu em Camp Nou há mais de três anos, tendo afastado o Milan nos quartos-de-final da época passada e nas meias-finais da edição de 2005/06. Desta vez, porém, os italianos chegam a Espanha com uma vantagem de 2-0, depois de Kevin-Prince Boateng e Sulley Muntari terem marcado na primeira mão, em San Siro.

• As duas equipas conseguiram recuperar de desaires na primeira mão por 28 vezes para seguir em frente na UEFA Champions League, embora só em quatro a equipa vitoriosa tenha conseguido anular uma desvantagem de mais de um golo do primeiro jogo. Nunca qualquer dos clubes conseguiu anular dois golos de desvantagem da primeira mão sem ter beneficiado de um tento marcado fora.

• O Milan detém a maior vitória na primeira mão da era da UEFA Champions League que conseguiu ser anulada quando, depois de vencer em casa o RC Deportivo La Coruña, por 4-1, nos quartos-de-final de 2003/04, não evitou a derrota por 4-0 na Galiza.

Encontros anteriores
• Estes dois gigantes europeus encontraram-se em 16 ocasiões e o Barcelona soma seis triunfos, contra cinco do Milan, tendo marcado 22 golos contra 21 dos italianos. O registo do Barça em casa diante do Milan é: 3V 3E 1D.

• Nos quartos-de-final da época passada, Milan e Barcelona empataram 0-0 em San Siro, antes dos espanhóis prevaleceram por 3-1 na segunda mão, num jogo em que Lionel Messi bisou de grande penalidade na primeira parte, antes e depois do golo do empate da autoria de Antonio Nocerino, aos 32 minutos. Andrés Iniesta selou a vitória da equipa de Josep Guardiola ao apontar o terceiro tento aos 53 minutos.

As equipas alinharam da seguinte forma a 3 de Abril:
Barcelona: Valdés, Alves, Piqué (Adriano 75), Mascherano, Puyol, Xavi (Thiago 63), Busquets, Fàbregas (Keita 78), Iniesta, Messi, Cuenca.
Milan: Abbiati, Abate, Mexès, Nesta, Antonini, Nocerino, Ambrosini, Seedorf (Aquilani 61), Boateng (Pato 69; Maxi López 82), Robinho, Ibrahimović.

• Os clubes dois também mediram forças na fase de grupos de 2011/12. O encontro da primeira jornada em Camp Nou, a 13 de Setembro de 2011, terminou com 2-2: Thiago Silva fez empate para o Milan aos 92 minutos, depois de Pedro Rodríguez e David Villa terem conseguido a reviravolta na resposta a um golo de Pato no primeiro minuto.

• O Barcelona ganhou depois em Milão, por 3-2, a 23 de Novembro, resultado que relegou o conjunto da casa para o segundo posto do grupo. Xavi Hernández apontou o golo da vitória no minuto 63, após Zlatan Ibrahimović e Boateng terem feito o empate respondendo ao autogolo de Mark van Bommel e a uma grande penalidade convertida por Messi, respectivamente.

• Treinado então por Frank Rijkaard, o Barcelona ganhou por um total de 1-0 frente ao Milan de Carlo Ancelotti nas meias-finais da temporada 2005/06, na caminhada rumo à conquista da segunda de quatro vitórias na UEFA Champions League. O tento de Ludovic Giuly na primeira mão, em San Siro, revelou-se decisivo numa eliminatória em que Massimo Ambrosini actuou pelo Milan e Víctor Valdés, Carles Puyol e Iniesta o fizeram pelo Barcelona.

• O triunfo do Milan na primeira mão terminou com a série de sete jogos sem vencer o Barcelona, situação que remontava a 20 de Outubro de 2004, quando Andriy Shevchenko assinou o único golo do encontro da fase de grupos. O suplente Ambrosini jogou pelos "rossoneri", ao passo que Valdés, Puyol, Xavi e o também entrado Iniesta alinharam pelos "blaugrana". Ambrosini é o único sobrevivente da vitória em Camp Nou, por 2-0, a 26 de Setembro de 2000, com golos de Francesco Coco e Oliver Bierhoff.

• O encontro mais importante entre os dois emblemas ocorreu na final de 1994 da UEFA Champions League, em Atenas, na qual o Milan de Fabio Capello venceu por 4-0, graças a golos de Daniele Massaro (22, 45), Dejan Savićević (47) e Marcel Desailly (58). O Milan levou também a melhor quando encontrou o Barcelona na SuperTaça Europeia de 1989, tendo ganho 1-0 em casa e empatado 1-1 fora.

• O Barcelona seguiu em frente na primeira vez que os dois clubes se defrontaram numa eliminatória a duas mãos, ao derrotar o Milan por um total de 7-1 por ocasião da primeira eliminatória da edição de 1959/60 da Taça dos Clubes Campeões Europeus.

Retrospectiva
• O Barcelona ambiciona a sexta presença consecutiva nos quartos-de-final e está imbatível em casa há 19 jogos na UEFA Champions League, tendo somado 15 triunfos desde a derrota, por 2-1, frente ao FC Rubin Kazan, a 20 de Outubro de 2009.

• O Milan saiu derrotado de em Espanha na época corrente, quando perdeu por 1-0 diante do Málaga CF, mas somou dois triunfos fora na fase de grupos, sempre com três golos marcados, frente ao FC Zenit St Petersburg e ao RSC Anderlecht.

• O registo fora do Milan contra clubes espanhóis é: 4V 6E 13D. O último triunfo dos “rossoneri” em Espanha aconteceu quando bateram o Real Madrid CF, por 3-2, na fase de grupos de 2009/10, graças a um golo de Pato aos 88 minutos.

• Na recepção a emblemas italianos, o Barcelona soma: 10V 5E 2D.

• O Barcelona venceu 11 eliminatórias das competições europeias depois de perder a primeira mão fora, embora tenha ficado pelo caminho noutras 13 ocasiões, mais recentemente nas meias-finais da época passada, quando à derrota por 1-0 no terreno do Chelsea FC seguiu-se o empate 2-2 em Camp Nou. Os catalães venceram cinco das 12 eliminatórias em que eram obrigados a anular uma desvantagem da primeira mão de dois ou mais golos.

• O Milan afastou o Arsenal nos oitavos-de-final da época passada e terminou com a série de três desaires nesta fase, facto que o apurou para os quartos-de-final pela primeira vez desde 2006/07.

• Enquanto o Milan saiu vencedor de 36 das 41 eliminatórias das competições europeias em que triunfou na primeira mão em casa, os italianos venceram 12 das 13 em que ganharam o primeiro jogo por 2-0 perante os seus adeptos. A única excepção aconteceu frente ao FC Girondins de Bordeaux, nos quartos-de-final da Taça UEFA de 1995/96, quando não evitaram uma derrota por 3-0 no sul de França.

• O registo do Barcelona em desempates por grandes penalidades nas provas da UEFA é:
5-4 - Lech Poznan, segunda eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças de 1988/89
0-2 - FC Steaua Bucureşti, final da Taça dos Campeões Europeus de 1985/86
5-4 - IFK Göteborg, meias-finais da Taça dos Campeões Europeus de 1985/86
4-1 - RSC Anderlecht, segunda eliminatória da Taça dos Vencedores das Taças de 1978/79
3-1 - Ipswich Town FC, terceira eliminatória da Taça UEFA de 1977/78
5-4 - AZ Alkmaar, segunda eliminatória da Taça UEFA de 1977/78

• O registo do Milan em desempates por grandes penalidades é:
2-3 - Liverpool FC, final da UEFA Champions League de 2004/05
3-2 - Juventus, final da UEFA Champions League de 2002/03
7-6 - FK Lokomotiva Košice, segunda eliminatória da Taça UEFA de 1978/79

Ligações entre as equipas
• Este jogo marca o regresso a casa de Bojan Krkić, produto da academia de La Masia e que jogou na primeira equipa dos espanhóis entre 2007 e 2011, pela qual fez 104 jogos no campeonato e marcou 26 golos. Bojan somou ainda cinco tentos pelo Barcelona em 28 partidas da UEFA Champions League e foi suplente não utilizado nas vitórias das finais de 2009 e 2011.

• Riccardo Montolivo e Ignazio Abate jogaram na derrota da Itália por 4-0 ante a Espanha na final do UEFA EURO 2012, disputada em Kiev, em Julho. Jordi Alba marcou um dos golos, numa selecção espanhola que contou também com Gerard Piqué, Xavi, Iniesta, Cesc Fàbregas, Sergio Busquets e Pedro, este entrado na segunda parte.

• Fàbregas marcou cedo no empate 1-1 entre as duas selecções na fase de grupos, em Gdansk, numa partida em que o único representante do Milan foi o suplente Nocerino.

• Fàbregas marcou a grande penalidade que deu à Espanha a vitória sobre a Itália nos quartos-de-final do UEFA EURO e foi o autor do tento inaugural do Arsenal FC na vitória fora por 2-0 ante o Milan, o qual utilizou Ambrosini na segunda mão dos oitavos-de-final, em 2007/08; os ingleses seguiram em frente com esse resultado no conjunto das duas mãos. Mathieu Flamini actuou nessa noite ao lado de Fàbregas na equipa do Arsenal e também jogou com Alex Song durante a passagem por Londres.

• Messi fez o golo do empate da Argentina, quando deu a volta e venceu por 2-1 a selecção da Colômbia capitaneada por Mario Yepes, num encontro de qualificação para o Campeonato do Mundo disputado em Barranquilla, em Novembro de 2011.

• Iniesta marcou no prolongamento o golo da vitória quando a Espanha levou a melhor sobre a Holanda, na qual actuou Nigel de Jong, na final do Mundial 2010.

• Christian Abbiati (Club Atlético de Madrid), Robinho (Real Madrid) e Cristián Zapata (Villarreal CF) passaram pelo futebol espanhol. Zapata jogou na derrota do Villarreal por 5-0 em Camp Nou, em Agosto de 2011, mas Robinho fez parte da equipa do Real Madrid que venceu em Barcelona por 1-0 em Dezembro de 2007.

• Thiago Alcántara nasceu em San Pietro Vernotico, em Itália, numa altura em que o seu pai, Mazinho, jogava no US Lecce e representou também a ACF Fiorentina. Thiago estreou-se pela selecção da Espanha numa derrota por 2-1 ante a Itália, em Bari, em Agosto de 2011, partida na qual Montolivo marcou pelos "azzurri".

• Alexis Sánchez marcou no empate 4-4 da Udinese Calcio na visita ao reduto do Milan, em 2010/11. Em sete jogos no campeonato e um na taça, essa foi a única vez que marcou aos "rossoneri" durante as três épocas que passou em Udine, tendo a sua equipa registado três vitórias, dois empates e duas derrotas.

• Javier Mascherano estava na equipa do Liverpool FC derrotada por 2-1 pelo Milan de Ambrosini na final de 2007 da UEFA Champions League, em Atenas.

• Villa bateu o guarda-redes Marco Amelia quando marcou aos 82 minutos, de grande penalidade, o golo da vitória do Valencia CF sobre o Genoa CFC, por 3-2, na fase de grupos da edição de 2009/10 da UEFA Europa League. O avançado do Barcelona assinou o tento do triunfo aos 95 minutos no jogo de volta, em Itália, onde Amelia não jogou.