1958/59: Di Stefano decisivo

1958/59: Di Stefano decisivo
1958/59: Di Stefano decisivo ©AFP

Real Madrid CF 2-0 Stade de Reims Champagne

A temporada de 1958/59 originou uma reedição da primeira final da Taça dos Clubes Campeões Europeus, entre o Real Madrid CF e o Stade de Reims Champagne. A equipa de Albert Batteux integrava Just Fontaine, internacional francês que havia assinado 13 golos na fase final do Mundial de 1958. Fontaine marcou por duas vezes, quando o Reims deu a volta à eliminatória, após ter perdido a primeira mão, por 2-0, e vencido a segunda, frente ao R. Standard de Liège, conseguindo um resultado favorável de 3-2, nos quartos-de-final.

Classe de Puskás
Fontaine e companhia também estiveram em desvantagem, nas meias-finais, com os BSC Young Boys - apesar de não terem estado sozinhos nessa luta. O Real, impulsionado pela chegada do húngaro Ferenc Puskás, precisou de sorte no jogo das meias-finais, com o Club Atlético de Madrid. O Atlético havia conseguido a qualificação tendo ficado em segundo lugar, atrás do Real Madrid, no campeonato espanhol, mas não é claro que fosse a segunda melhor equipa. Depois de terem perdido, por 2-1, em Chamartín, os "rojiblancos" obrigaram à disputa de um "play-off", ao vencerem a segunda mão com um golo de Enrique Collar. Mas a classe de Puskás veio ao de cima, quando o "major galopante" assinou o terceiro e decisivo golo na eliminatória.

Vitória do Real
Outro grande clube da década de 50, o Wolverhampton Wanderers FC, perdeu com o FC Schalke 04 na primeira eliminatória. Ainda assim, as expectativas espanholas para a final foram confirmadas, com golos de Enrique Mateos e Alfredo di Stéfano a valerem uma vitória tranquila, por 2-0 - mesmo com a ausência de Puskás e a lesão de Raymond Kopa nos primeiros instantes da partida.