O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use o Chrome, o Firefox ou o Microsoft Edge.

Juventus-Dortmund: cinco pontos a considerar

Paolo Menicucci, repórter do UEFA.com, escreve que a Juventus foi feliz no triunfo por 2-1 sobre o Dortmund, mas o golo fora e a lesão de Andrea Pirlo deixam tudo em aberto.

A Juventus festeja o triunfo sobre o Dortmund
A Juventus festeja o triunfo sobre o Dortmund ©AFP/Getty Images

Golo fora pode revelar-se importantíssimo
Jürgen Klopp deixou bem vincado desde o início que o Borussia Dortmund não ia a Turim para defender, apresentando um "onze" ofensivo, com Pierre-Emerick Aubameyang, Marco Reus e Henrikh Mkhitaryan no apoio ao avançado Ciro Immobile. O prémio foi o precioso golo fora apontado por Reus.

Pelo contrário, o treinador da Juventus, Massimiliano Allegri, tinha frisado antes do encontro a importância de não sofrer golos em casa e isso foi evidente na abordagem da sua equipa ao jogo. "Queríamos convidar o Borussia a vir para a frente e assim abrir espaços para que pudéssemos explorar as suas fragilidades defensivas", explicou Allegri.

A desilusão do Dortmund após o apito final
A desilusão do Dortmund após o apito final©Getty Images

Resultado foi duro para o Dortmund
O golo da Juve logo aos 13 minutos, marcado por Carlos Tévez, devia ter tornado a vida mais fácil aos anfitriões, mas uma escorregadela infeliz de Giorgio Chiellini permitiu a Marco Reus restabelecer o empate apenas cinco minutos depois. "São coisas que acontecem", lamentou o defesa.

Motivado por esse golo, o Dortmund começou a dominar o encontro e a lesão de Andrea Pirlo trouxe ainda mais dores de cabeça à Juve. Porém, contra a corrente do jogo, foi a Juventus quem voltou a marcar, por intermédio de Morata. "Fomos a melhor equipa após o nosso golo, mas infelizmente oferecemos um golo fácil à beira do intervalo", lamentou Reus.

A Juventus foi melhor sem Pirlo?
A Juve jogou melhor na segunda parte, com Roberto Pereyra – que substituiu Pirlo aos 37 minutos – a jogar atrás dos avançados e Claudio Marchisio a recuar para a posição de Pirlo. O Dortmund tinha, até aí, conseguido impedir que o veterano médio tivesse muitas vezes a bola e construísse o jogo da sua equipa. "Procurámos pressioná-los logo na defesa, quando eles tinham a bola", confirmou Klopp.

Sem Pirlo, os anfitriões jogaram um futebol mais directo e Pereyra revelou-se mais perigoso do que Arturo Vidal no apoio aos avançados, tendo ficado perto de ampliar a vantagem da Juve. Allegri esperará, certamente, que a lesão de Pirlo nos gémeos não seja grave, mas ficou provado que há um "plano B" perfeitamente aceitável caso o médio não recupere a tempo da segunda mão. "Ele vai realizar alguns exames. Vamos ver o que revelam", avançou o técnico.

A posição do Dortmund na Bundesliga não engana ninguém
Três vitórias seguidas permitiram ao Dortmund fugir ao último lugar da Bundesliga, mas a UEFA Champions League continua a inspirá-lo. Sobretudo na primeira parte, o vice-campeão alemão mostrou o futebol de ataque brilhante que tantas cartas tem dado nas competições europeias ultimamente. "Nunca pensámos que defrontaríamos uma equipa que se encontra em dificuldades no seu campeonato. Sabemos o que eles são capazes de fazer", frisou Allegri.

Morata oferece outras opções à Juve
Morata oferece outras opções à Juve©AFP/Getty Images

Velocidade de Morata pode ser a salvação da Juventus
O avançado espanhol de 22 anos foi eleito Homem do Jogo após assistir Tévez para o primeiro golo e assinar o segundo. A sua velocidade foi determinante e o facto é que Morata oferece outras opções ao ataque da Juventus.

Com Morata, a Juve pode actuar de uma forma diferente em relação àquela quando utiliza Fernando Llorente, e Allegri talvez esteja inclinado em voltar a usar a sua velocidade na segunda mão, onde o campeão italiano terá ainda mais necessidade de alinhar em contra-ataque. "Um avançado tem de saber adaptar-se a todas as situações de jogo", frisou Morata.