Milito devolve glória ao Inter

Bayern München 0-2 Internazionale Milano
Um "bis" de Diego Milito deu à equipa de José Mourinho a vitória na final da Champions League, acabando com um jejum de 45 anos.

Javier Zanetti ergue o troféu
Javier Zanetti ergue o troféu ©Getty Images

Um "bis de Diego Milito deu a vitória ao FC Internazionale Milano sobre o FC Bayern München na final da UEFA Champions League , em Madrid, acabando com o longo jejum de 45 anos dos "nerazzurri" na competição.

Este jogo continha algumas particularidades a nível colectivo e individual. Desde logo saber qual das equipas ia alcançar uma "tripla" histórica, juntando este troféu ao campeonato e taça. Depois, tratava-se de um duelo entre dois técnicos de renome: Louis Van Gaal e José Mourinho, em tempos mestre e aluno. Um deles entraria para um lote restrito de treinadores vencedores da competição por dois clubes diferentes.

Apesar de as duas equipas terem baixas de vulto, ambas por castigo – Franck Ribéry no Bayern e Thiago Motta no Inter – , não alteraram o seu esquema de jogo. Num Estádio Santiago Bernabéu completamente lotado, começou melhor o Inter. Fiel aos seus princípios, apostava na circulação de bola e saídas rápidas para o ataque. O Bayern, por seu lado, trocava a bola com mais cautela.

Aos nove minutos, apareceu o génio e imprevisibilidade de Arjen Robben, que na direita ultrapassou Christian Chivu em velocidade e serviu Ivica Olic, mas o remate do croata saiu ao lado. A pouco e pouco, o Bayern começava a ficar por cima dos acontecimentos. Aos 17 minutos, o Inter sacudiu a pressão na marcação de um livre por Sneijder, obrigando Butt a defesa apertada.

Robben continuava a ser o principal dinamizador do Bayern, numa partida onde imperava a rigidez táctica. E foi então que surgiu o primeiro golo, apontado por Diego Milito. A jogada começou num lançamento longo de Julio Cesar, o argentino ganhou de cabeça e colocou a bola em Sneijder, que fez um compasso de espera antes de desmarcar o ponta-de-lança, que à saída de Butt não perdoou. Na resposta, o melhor que o conjunto alemão conseguiu foi dois remates, de Altintop e Robben, mas sem perigo.

À beira do intervalo, o Inter quase aumentou a vantagem. Agora foi a vez de Milito servir Sneijder, mas o remate foi à figura d o guarda-redes. A terminar a primeira parte, Van Bommel, com tempo e espaço à entrada da área, rematou rasteiro ao lado.

A segunda parte começou a um ritmo vertiginoso. No seu primeiro ataque, o Bayern podia ter empatado, mas o remate de Thomas Müller foi defendido por Julio Cesar com os pés. Dois minutos depois, Goran Pandev rematou para excelente defesa de Butt. Aos 53 minutos, Altintop ameaçou a baliza de Julio Cesar, mas o remate rasteiro saiu à malha lateral.

Aos 62 minutos, Van Gaal alterou o figurino da equipa, fazendo entrar uma referência de área, Miroslav Klose. Dois minutos depois, remate em arco de Robben, para defesa soberba de Julio Cesar. Para reforçar o meio-campo, José Mourinho fez entrar Dejan Stankovic, para o lugar do fatigado Chivu.

E a 20 minutos do fim, o Inter sentenciou a partida. Samuel Eto’o assistiu Milito, descaído sobre a esquerda, e o avançado tirou do caminho Van Buyten, antes de rematar para o poste mais distante, assinando um belissímo golo, o seu segundo da noite. O Bayern apostou tudo, fazendo entrar mais um ponta-de-lança, Mario Gomez, mas o Inter dava mostras de não vacilar perante a pressão germânica.

Até ao final da partida, não se registaram mais ocasiões de golo, e após o derradeiro apito de Howard Webb os jogadores "nerazzurri" puderam dar largas à sua alegria, culminando uma época recheada de sucesso com a conquista de um troféu que cobiçavam há largos anos.