Di Matteo continua ao leme do Chelsea

O Chelsea, actual campeão europeu de clubes, anunciou que Roberto Di Matteo assinou um novo contrato, que o manterá como treinador principal da formação londrina durante mais dois anos.

Chelsea e Roberto Di Matteo assinaram um contrato válido por duas temporadas
Chelsea e Roberto Di Matteo assinaram um contrato válido por duas temporadas ©Getty Images

O Chelsea FC, actual campeão europeu de clubes, anunciou que Roberto Di Matteo assinou um novo contrato, que o manterá como treinador principal da formação londrina durante mais dois anos.

O antigo médio italiano substituiu André Villas-Boas no cargo, a título interino, em Março último e teve impacto imediato no clube, guiando-o à conquista da sua sétima Taça de Inglaterra, com um triunfo sobre o Liverpool FC, no Estádio de Wembley, menos de dois meses depois. O melhor, contudo, ainda estava para vir, com Di Matteo a levar a turma de Londres à conquista da sua primeira UEFA Champions League, graças a um triunfo sobre o FC Bayern München no desempate por penalties, em Munique.

"Estou, naturalmente, muito satisfeito por ter sido escolhido para orientar a equipa a título definitivo", referiu o técnico de 42 anos, que perdeu apenas três jogos ao longo das 11 semanas em que orientou a equipa na última época. "Alcançámos algo de incrível na temporada passada e fizemos história neste grande clube. O nosso objectivo é dar seguimento ao que já alcançámos e já estou a planear a equipa, ansioso por trabalhar com ela desde o arranque da pré-temporada."

Ron Gourlay, director-executivo do Chelsea, não tem dúvidas de que Di Matteo é o homem certo para melhorar o sexto lugar final que alcançou na última temporada. "A qualidade de Roberto ficou bem patente com a forma como ele conseguiu galvanizar a equipa e ajudar o clube a fazer história. Toda a direcção do clube está muito satisfeita por ele ir dar seguimento ao seu bom trabalho", afirmou.

"Acreditámos que ele era um treinador jovem, com muito para oferecer ao clube, quando lhe oferecemos interinamente o cargo em Março, e a forma como ele trabalhou connosco, com os jogadores e com o restante staff, aliada ao sucesso que se seguiu, mostrou que ele era a escolha óbvia para continuar à frente da equipa nas próximas épocas."