O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
A partir de 25 de Janeiro, o UEFA.com já não vai suportar o Internet Explorer.
Para obter a melhor experiência possível, recomendamos que use o Chrome, o Firefox ou o Microsoft Edge.

Chelsea termina longa espera pela glória

FC Bayern München 1-1 Chelsea FC (3-4 nos penalties)
Didier Drogba empatou perto do fim e cobrou o penalty que deu a primeira UEFA Champions League ao Chelsea.

Chelsea termina longa espera pela glória
Chelsea termina longa espera pela glória ©UEFA.com

O Chelsea sagrou-se pela primeira vez campeão europeu de clubes ao vencer a final da UEFA Champions League realizada em Munique, após derrotar o FC Bayern München no desempate por pontapés da marca de grande penalidade, com Didier Drogba a decidir o jogo depois de ter garantido o empate no final do tempo regulamentar.

Se do lado do Bayern não havia grandes dúvidas sobre a equipa que alinharia de início, já no Chelsea, face às suspensões do capitão John Terry e de Branislav Ivanović, mas também de Ramires e Raul Meireles, o treinador Roberto di Matteo teve que improvisar, fazendo com que Ryan Bertrand se tornasse no primeiro jogador a estrear-se na UEFA Champions League directamente na final da competição.

O Bayern, como lhe competia, uma vez alinhar perante o seu público, entrou forte e aos 12 minutos, Mario Gomez desperdiçou a primeira de três oportunidades de golo de que beneficiou no primeiro tempo, ganhando nas alturas a David Luiz mas cabeceando muito por cima. Seguiu-se, nove minutos depois, a ocasião mais perigosa do Bayern no primeiro tempo, com Arjen Robben a ganhar espaço na área e a rematar para uma defesa pouco ortodoxa de Petr Čech, que acabou por desviar a bola para o poste.

Até ao intervalo, Müller ficou muito perto do golo, mas o remate à meia-volta saiu ao lado e Gomez, após ganhar espaço a Gary Cahill, também rematou torto. Antes, aos 37 minutos, Salomou Kalou fez o primeiro remate do Chelsea, obrigando Manuel Neuer a defesa apertada.

Após o reatamento, Robben e Ribéry tentaram remates em posição frontal, mas ora saíram ao lado ora embatiam em defesas contrários. Os londrinos somente aos 73 minutos voltaram a acercar-se com perigo da área do Bayern, com Drogba a rematar à meia-volta para defesa de Neuer.

Seguiram três ocasiões de golo de Müller e, depois de um remate ao lado e de um cabeceamento à figura, o internacional alemão chegou mesmo ao golo. Aos 83 minutos, Kroos cruzou da esquerda e Müller surgiu sozinho no lado oposto a cabecear ao poste mais próximo, fazendo a bola passar entre a cabeça de Čech e a trave.

Acto contínuo, Jupp Heynckes fez sair Müller e entrar o defesa-central Daniel van Buyten numa tentativa de segurar o resultado. Contudo, o Chelsea, no único canto de que beneficiou em todo o encontro, empatou a dois minutos do final do tempo regulamentar. Mata levantou para a área e Drogba antecipou-se nas alturas, cabeceando para o fundo das redes e levando o jogo, contra todas as expectativas, para o prolongamento.

Logo aos quatro minutos, o Bayern podia ter decidido a final, ao beneficiar de uma grande penalidade a punir derrube de Drogba a Ribéry, que acabou por sair lesionado do lance e dado o lugar a Ivica Olić. Contudo, Robben rematou forte, mas denunciado, permitindo a defesa a Čech.

No desempate, Neuer defendeu a tentativa de Mata, mas Olić permitiu a defesa de Čech e Schweinsteiger acertou no poste, pelo que a decisão ficou nos pés de Drogba. O marfinense, que fora expulso na final de 2008, em Moscovo, frente ao Manchester United FC, perdida pelos "blues" também da marca dos 11 metros, reescreveu a história e enganou Neuer com um remate colocado que vai fazer a taça ir para Londres.