O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Perfeição na fase de grupos da Champions League: Man City e Real Madrid fazem o pleno

O Manchester City e, pela terceira vez, o Real Madrid juntaram-se a um restrito grupo de apenas 13 equipas ao terminarem a fase de grupos com um registo 100 por cento vitorioso – o UEFA.com traça o perfil dos anteriores recordistas.

Registos perfeitos na fase de grupos da Champions League

Milan (1992/93)

6V 0E 0D GM11 GS1
O Milan ganhou os quatro jogos nas primeiras duas eliminatórias para chegar à fase de grupos inaugural, tendo batido o Gotemburgo por 4-0, na primeira jornada, com todos os golos da autoria de Marco van Basten. Seguiram-se triunfos por 1-0 no terreno do PSV, em casa e fora ante o Porto e no campo do Gotemburgo, antes da vitória sobre o PSV, em San Siro, ter apurado o Milan para a final. No jogo decisivo, a equipa de Fabio Capello caiu ante o Marselha, por 1-0, em Munique.

Paris (1994/95)

George Weah festeja após marcar frente ao Bayern na primeira jornada de 1994/95
George Weah festeja após marcar frente ao Bayern na primeira jornada de 1994/95Icon Sport via Getty Images

6V 0E 0D GM12 GS3
O Paris de Luis Fernandez não abrandou depois de George Weah e Daniel Bravo marcarem na vitória da primeira jornada frente ao Bayern, por 2-0, pois seguiram-se triunfos por 2-1 nas visitas a Spartak Moscovo e Dínamo Kiev, o que colocou a equipa francesa no primeiro lugar do grupo. Weah marcou depois o único golo em casa do Dínamo e no terreno do Bayern, e mais dois na goleada por 4-1 ao Spartak, na última jornada.

A sequência de triunfos terminou com o empate 1-1 na visita ao Barcelona na primeira mão dos quartos-de-final, mas o Paris seguiu em frente graças ao 2-1 averbado em casa. O Milan acabou depois por ser demasiado forte nas meias-finais ao ganhar 1-0 em Paris e 2-0 em Milão.

Spartak Moscovo (1995/96)

6V 0E 0D GM15 GS4
O Spartak começou com duas vitórias magras, 1-0 na visita ao Blackburn Rovers e 2-1 ao Legia Varsóvia, antes de bater o Rosenborg na terceira e quarta jornadas. O emblema da Noruega foi derrotado por 4-2 em Trondheim – num jogo em que o Spartak perdia por 2-0 ao intervalo –, antes da vitória por 4-1 dos russos em casa ter antecedido o 3-0 em casa diante do Blackburn.

O segundo classificado Legia foi depois batido por 1-0 na Polónia, na sexta vitória consecutiva do Spartak, vencedor do grupo com uma margem recorde de 11 pontos de vantagem. Mas a equipa ficou-se por aqui e acabaria por ser eliminada pelo Nantes nos quartos-de-final.

Barcelona (2002/03)

O Barcelona de 2002/30
O Barcelona de 2002/30©Getty Images

6V 0E 0D GM13 GS4
A vitória por 3-2 em casa ante o Club Brugge, a 18 de Setembro de 2002 – no qual o actual treinador, Luis Enrique, abriu o activo –, deu início à sequência de nove vitórias seguidas do Barcelona, recorde da UEFA Champions League até ao Bayern ter estabelecido novo máximo em 2013/14. A sequência compreende vitórias fora contra o Galatasaray e Lokomotiv Moscovo, mais outra pela margem mínima ante o Club Brugge, com o Barça a terminar com uma vantagem de 11 pontos no agrupamento, igualando o registo do CSKA, igualado mais tarde pelo Real Madrid em 2014/15.

Passou depois também a segunda fase de grupos, mas caiu frente à Juventus nos quartos-de-final.

2011/12: Real Madrid

6V 0E 0D GM19 GS2
A equipa de José Mourinho arrancou com uma vitória por 1-0 na visita ao Dínamo Zagreb e esteve imparável a partir daí ao bater o Ajax por 3-0 e o Lyon por 4-0 no Santiago Bernabéu. Seguiu-se uma vitória por 2-0 em Lyon antes de o Dínamo se tornar na primeira – e única – equipa a marcar um golo ao Real Madrid nessa fase de grupos; nessa altura já o emblema croata estava a perder por 6-0.

O registo perfeito foi fixado com o 3-0 em Amesterdão, ante o Ajax, mas depois o Real perdeu nas meias-finais com o Bayern no desempate por penáltis.

Real Madrid (2014/15)

O Real Madrid esteve perfeito na campanha da fase de grupos  de 2014!5
O Real Madrid esteve perfeito na campanha da fase de grupos de 2014!5©AFP/Getty Images

6V 0E 0D 16GM 2GS
Campeão europeu pela décima vez em 2014
, o Real Madrid de Carlo Ancelotti começou da melhor maneira a defesa do troféu ao bater o Basileia por 5-1. Houve dificuldades inesperadas no jogo seguinte frente ao estreante Ludogorets e apenas um golo de  Karim Benzema, perto do fim, permitiu uma vitória por 2-1, antes de triunfo confortável por 3-0 no terreno do Liverpool.

Golos de Benzema e Cristiano Ronaldo, respectivamente, asseguraram depois vitórias de 1-0 sobre o Liverpool e fora contra o Basileia, e os "merengues" confirmaram-se como o primeiro clube a vencer os seis jogos da fase de grupos da UEFA Champions League com o 4-0 sobre o Ludogorets – a 19ª vitória numa série de 22 jogos em todas as competições. O recorde de dez triunfos seguidos terminou com o desaire de 4-3, em casa, diante do Schalke nos oitavos-de-final, numa campanha em que o Real foi afastado pela Juventus nas meias-finais.

Bayern (2019/20)

6V 0E 0D 24GM 5GS 
O Bayern levou a melhor sobre todas estas equipas na diferença de golos, com uma campanha em que marcou um número recorde de 16 tentos fora. Oito deles foram assinados por Robert Lewandowski, que, com dez, ficou a um do recorde conseguido por um só jogador na fase de grupos. A turma bávara bateu o Estrela Vermelha por 3-0 em casa antes de vencer por estrondosos 7-2 no terreno do Tottenham Hotspur.

Contra o Olympiacos triunfou por 3-2 fora e 2-0 em Munique, garantindo de seguida o primeiro lugar no grupo em grande estilo, com Lewandowski a marcar quatro na vitória por 6-0 em casa do Estrela Vermelha. A série perfeita ficou completa com um triunfo por 3-1 sobre o Tottenham, antes de o Bayern se tornar na primeira equipa a erguer o troféu após vencer os seis jogos da fase de grupos.

Ajax (2021/22)

Sébastien Haller apontou dez golos pelo impressionante Ajax
Sébastien Haller apontou dez golos pelo impressionante AjaxGetty Images

V6 E0 D0 GM20 GS5
Os neerlandeses começaram de forma impressionante ao golearem fora o Sporting por 5-1 muito por obra de quatro golos de Sébastien Haller, estreante na UEFA Champions League. O avançado da Costa do Marfim marcou em todos os seis jogos da fase de grupos, tornando-se apenas no segundo jogador a conseguir tal feito depois de Cristiano Ronaldo em 2017/18.

Jogadores como Antony e Dušan Tadić também impressionaram na vitória do Ajax sobre o Dortmund por 4-0 em casa e 3-1 fora, embora tenha sido o bis de Haller, vindo do banco, no triunfo sobre o Beşiktaş em Istambul, na quinta jornada, a garantir o primeiro lugar no Grupo C. Haller chegou depois aos dois dígitos quando abriu a contagem na vitória da equipa de Erik ten Hag, por 4-2, sobre o Sporting, terminando assim em beleza a fase de grupos.

Liverpool (2021/22)

V6 E0 D0 GM17 GS6
Os adeptos do Reds podem ter temido um caminho complicado para chegar aos oitavos-de-final, após o clube seis vezes vencedor da competição ter sido sorteado ao lado dos também sonantes Atlético, Milan e Porto. No entanto, a equipa de Jürgen Klopp fez valer a sua qualidade desde o início e deu o tom quando derrotou o Milan, por 3-2, em Anfield. Esse foi também o resultado da vitória na capital espanhola, onde um penálti de Mohamed Salah fez a diferença.

O Liverpool voltou a derrotar o Atleti por 2-0 em casa e depois marcou sete golos nos dois encontros seguintes contra o Porto, antes de terminar com 11 pontos de vantagem no topo, margem recorde, ao ganhar no terreno do Milan na sexta jornada.

Bayern (2021/22)

Os golos de Robert Lewandowski foram fundamentais para o Bayern
Os golos de Robert Lewandowski foram fundamentais para o BayernNurPhoto via Getty Images

V6 E0 D0 GM22 GS3
Dois anos depois de passar sem mácula pela fase de grupos, o Bayern igualou o feito. Os comandados de Julian Nagelsmann mostraram que ao que vinham com um triunfo por 3-0 no terreno do Barcelona, na primeira jornada, antes de fecharem com um triunfo sobre o mesmo adversário e pelo resultado.

Pelo meio, o Bayern goleou o Dínamo Kiev por 5-0 e o Benfica por 4-0, antes de sofrer o primeiro golo ao fim de 308 minutos – numa vitória em casa por 5-2 sobre o Benfica, na qual Robert Lewandowski fez um hat-trick na sua 100ª partida na Champions League. O avançado polaco também marcou no 2-1 sobre o Dínamo, elevando para nove o seu total nessa fase de grupos.

Bayern (2021/22)

V6 E0 D0 GM18 GS2
O Bayern completou três campanhas com o máximo de pontos em quatro anos, desta vez num grupo que parecia um dos mais assustadores no papel. Os bávaros começaram com triunfos nos dois primeiros jogos, vencendo fora o Inter por 2-0 antes de ganharem ao Barcelona pelo mesmo resultado, em Munique.

Os comandados de Julian Nagelsmann conseguiram 5-0 em casa e 4-2 fora frente ao Plzeň, antes de garantirem o primeiro lugar do grupo com um impressionante triunfo por 3-0 em Camp Nou. O Inter foi novamente o obstáculo final e o resultado foi o mesmo – uma vitória por 2-0 que tornou o Bayern na primeira equipa a somar o máximo de 18 pontos em três ocasiões distintas.

Bayern (2022/23)

V6 E0 D0 GM18 GS2
O Bayern chegou a três campanhas com o máximo de pontos em quatro anos, passando por um grupo que parecia, à primeira vista, mais complicado no papel. Os bávaros conseguiram ultrapassar a sua tarefa nos dois primeiros jogos, tendo vencido o Inter por 2-0 e, de seguida, batendo o Barcelona, novo clube de Lewandowski, pelo mesmo resultado em Munique.

Os comandados de Julian Nagelsmann venceram o Plzeň por 5-0 em casa e por 4-2 fora, antes de garantirem o primeiro lugar com um triunfo categórico, por 3-0, em Camp Nou. O último obstáculo foi novamente o Inter, e o resultado também foi o mesmo – uma vitória por 2-0 que tornou o Bayern na primeira equipa a somar 18 pontos em três ocasiões distintas.

Read Madrid (2023/24)

V6 E0 D0 GM16 GS7

As estatísticas sugerem que os comandados de Ancelotti passaram facilmente pela qualificação. Os merengues venceram todos os adversários e garantiram uma vaga nos oitavos-de-final ao cabo de apenas quatro jogos. Contudo, o Real Madrid venceu de forma dramática nos descontos em casa, o Union Berlim, recuperou de desvantagem em Nápoles e teve de trabalhar arduamente em Braga.

O segundo embate frente ao Braga foi mais confortável, mas depois voltaram as dificuldades. Os 14 vezes vencedores da prova marcaram dois golos nos instantes finais para derrotar o Nápoles por 4-2 e depois precisaram de uma vitória aos 89 minutos, ao recuperarem de desvantagem contra o Union Berlim, na Alemanha. Seis jogos e seis vitórias, em grande parte graças aos quatro golos de Jude Bellingham e muita tenacidade.

Manchester City (2023/24)

V6 E0 D0 GM18 GS7

Sendo apenas a segunda equipa inglesa a alcançar o feito, o City começou a sua busca pela renovação do título de forma ameaçadora. A sua excelência tem sido notavelmente consistente, com os comandados de Pep Guardiola a marcarem três golos em cada um dos seis jogos, mesmo com uma equipa com muitas alterações no terreno do Estrela Vermelha, na sexta jornada.

Nem tudo foi fácil e o City esteve a perder por 2-0 frente ao Leipzig na quinta jornada, antes de encenar uma recuperação que quase parecia inevitável. Erling Haaland marcou cinco golos e Julián Álvarez quatro, mas o poderio do City foi a verdadeira estrela do espectáculo, mesmo com Kevin De Bruyne lesionado.