Cinco lições a retirar do Atlético - Barcelona

Atlético Madrid e Barcelona deram um grande espectáculo no sábado, mas o resultado de 1-1 abriu espaço para debate. O UEFA.com analisa as principais questões levantadas pelo duelo na capital espanhola.

Luis Suárez comemora depois de fazer o empate para o Barcelona frente ao Atlético
Luis Suárez comemora depois de fazer o empate para o Barcelona frente ao Atlético ©AFP/Getty Images

Messi não se cansa

Muitos questionaram-se como reagiria Lionel Messi depois de uma semana cansativa e emotiva ao serviço da sua selecção, mas ficou claro que não há motivos para preocupação. O atacante ajudou a Argentina a superar a crise de resultados e a garantir um lugar no Campeonato do Mundo da FIFA com um “hat-trick” no Equador na terça-feira e depois teve de fazer a longa viagem de regresso de Quito, mas mostrou estar em grande forma em Madrid. Esteve perto de marcar no primeiro minuto, tendo rematado à trave da baliza de Jan Oblak na segunda parte e foi uma ameaça permanente para a defesa “colchonera” durante todo o jogo.

Veja o golo soberbo de Saúl ao Bayern
Veja o golo soberbo de Saúl ao Bayern

Chamem o Saúl

Há jogadores que nasceram para os grandes momentos e Saúl Ñíguez merece um lugar de destaque nessa lista. O médio do Atlético ganhou o hábito de marcar golos vistosos nos grandes jogos, criando uma obra de arte frente ao Bayern nas meias-finais da UEFA Champions League de 2015/16 e colocando a sua equipa a ganhar por 1-0 no terreno do Real Madrid na mesma ronda na época passada. Saúl apontou o primeiro golo de Espanha no Campeonato da Europa de Sub-21 da UEFA deste ano, que terminou como melhor marcador, e voltou a brilhar no sábado. O jogador natural de Elche bateu Marc-André Ter Stegen com um excelente remate de pé direito e colocou a sua equipa em vantagem num jogo importante.

Barça não se deixa bater

Depois de somar nove vitórias consecutivas em todas as competições, o Barcelona encontrou-se numa posição pouco habitual perto do final do encontro em casa do Atlético. A perder por 1-0, os visitantes pareciam condenados à primeira derrota da época, mas Luis Suárez teve a última palavra a oito minutos do final. O empate deixou o Barça com cinco pontos de vantagem sobre Real Madrid e seis em relação ao Atlético.

Jan Oblak está em grande forma no Atlético
Jan Oblak está em grande forma no Atlético©AFP/Getty Images

Guarda-redes em destaque

Oblak esteve em destaque, mas não foi o único a brilhar num encontro que proporcionou uma aula de bem defender em ambas as balizas. Estiveram no Estadio Metropolitano alguns dos jogadores mais talentosos do futebol mundial, mas foram os guarda-redes que brilharam. Stegen e o homólogo esloveno fizeram uma série de defesas sensacionais e foi devido a eles que um jogo tão intenso produziu apenas dois golos. Em conjunto sofreram apenas oito golos num total de 16 jogos da Liga realizados esta época.

Alternativas de Valverde

Os planos da Barcelona para esta época sofreram um rude golpe quando o reforço Ousmane Dembélé sofreu uma lesão numa coxa em meados de Setembro. Os catalães ficaram privados do jogador escolhido para ocupar a vaga de Neymar à esquerda no esquema de 4-3-3 - o internacional francês só deve voltar a jogar em 2018 - mas Ernesto Valverde insistiu no sistema nas primeiras semanas. O treinador decidiu mudar de abordagem no encontro com o Atlético e optou por um 4-1-4-1, com Luis Suárez como único avançado. O uruguaio deu um ponto à sua equipa, mas teremos de esperar para ver qual é a opção de Valverde para o próximo desafio.

Topo