Treinadores portugueses e italianos dominam fase de grupos da #UCL

Portugal e Itália são os países que contam com mais treinadores - seis - ao leme das equipas que vão estar na fase de grupos da UEFA Champions League 2017/18, que hoje arranca. Confira todos os números.

José Mourinho está de regresso à UEFA Champions League, depois de na época passada ter conquistado a UEFA Europa League
José Mourinho está de regresso à UEFA Champions League, depois de na época passada ter conquistado a UEFA Europa League ©Getty Images

Os treinadores portugueses continuam a dar cartas no futebol europeu. E, a prová-lo, está o facto de apenas a Itália contar com tantos técnicos ao leme das equipas que vão estar na fase de grupos da UEFA Champions League 2017/18, que hoje arranca.

Ao todo, serão seis os técnicos portugueses que vão estar no banco a comandar as respectivas equipas nesta primeira jornada da fase de grupos quando a bola começar a rolar, já esta noite, pelas 19h45.

Não se trata, porém, de feito inédito. Já em 2014/15 Portugal tinha contado com seis treinadores na fase de grupos. E na época anterior, 2013/14, tinham sido, ao todo, nove os treinadores portugueses nas fases de grupos da UEFA Champions League (três) e da UEFA Europa League (seis). É, pois, o confirmar da tendência verificada nos últimos anos de encontrarmos um número considerável de técnicos portugueses nas fases adiantadas  das provas de clubes da UEFA: na época passada, por exemplo, houve, ao todo, cinco treinadores portugueses nos oitavos-de-final das duas principais provas europeias de clubes (três na UEFA Champions League e dois na UEFA Europa League), mais do que os oriundos de qualquer outro país.

Nacionalidade dos treinadores das 32 equipas da fase de grupos da UEFA Champions League 2017/18

Portugal: 6 (Rui Vitória, Benfica; José Mourinho, Man United; Leonardo Jardim, Mónaco; Sérgio Conceição, FC Porto; Paulo Fonseca, Shakhtar Donetsk; Jorge Jesus, Sporting)

Itália: 6 (Carlo Ancelotti, Bayern; Antonio Conte, Chelsea; Massimiliano Allegri, Juventus; Maurizio Sarri, Nápoles; Eusebio Di Francesco, Roma; Massimo Carrera, Spartak)

Espanha: 3 (Ernesto Valverde, Barcelona; Josep Guardiola, Man City; Unai Emery, Paris)

Argentina: 3 (Diego Simeone, Atlético de Madrid; Eduardo Berizzo, Sevilha; Mauricio Pochettino, Tottenham)

Suíça: 2 (René Weiler, Anderlecht; Raphaël Wicky, Basileia)

Holanda: 2 (Peter Bosz, Dortmund; Giovanni van Bronckhorst, Feyernoord)

Alemanha: 2 (Ralph Hasenhüttl, Leipzig; Jürgen Klopp, Liverpool)

Turquia: 1 (Şenol Güneş, Besiktas)

Irlanda do Norte: 1 (Brendan Rodgers, Celtic)

Grécia: 1 (Giorgos Donis, APOEL)

França: 1 (Zinédine Zidane, Real Madrid)

Eslovénia: 1 (Darko Milanič, Maribor)

Bielorrúsia: 1 (Viktor Goncharenko, CSKA)

Azerbaijão: 1 (Gurban Gurbanov, Qarabağ)

Albânia: 1 (Besnik Hasi, Olympiacos)

Topo