O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Bis de Ronaldo no histórico 12º título do Real Madrid

O Real Madrid tornou-se na primeira equipa a revalidar a conquista da UEFA Champions League no dia em que ganhou a 12ª taça, enquanto Cristiano Ronaldo bisou e venceu pela sexta vez o troféu de melhor marcador.

Watch the goals that made Real Madrid champions again

O Real Madrid tornou-se na primeira equipa da História a revalidar o título da UEFA Champions League. Foi o 12º troféu da Taça dos Clubes Campeões Europeus para os "merengues", graças a dois golos de Cristiano Ronaldo – o primeiro a marcar em três finais - que ajudaram na vitória por 4-1 sobre a Juventus, na primeira final disputada num estádio coberto, em Cardiff.

Com a Juventus por cima no jogo na maior parte da etapa inicial, foi o Real Madrid que abriu o activo, num contra-ataque que Dani Carvajal transformou em assistência para o 11º golo de Cristiano Ronaldo na prova, ao mesmo tempo que se tornou no primeiro a marcar em três finais da Champions League.

Gonzalo Higuaín (4') abrira cedo as hostilidades com um remate de fora da área, com Keylor Navas a ter de aplicar-se dois minutos depois para desviar um forte remate de Miralem Pjanić, mas nada pôde fazer quando, da esquerda, Alex Sandro (27') cruzou para Higuaín compor a finalização acrobática de Mario Mandžukić, que fez a bola passar por cima do costa-riquenho.

A maior posse de bola dos “merengues” na segunda parte resultou em dificuldades para a equipa de Turim que, obrigada a recuar no terreno e sem conseguir ter bola para as transições, viu o "colete-de-forças" ir apertando a cada minuto que passava.

Com 500 golos apontados na prova, o "rolo compressor" espanhol ditou leis quando Casemiro (61') arriscou o remate de fora da área, a bola desviou em Sami Khedira e foi entrar junto ao poste direito, de nada valendo a estirada de Gianluigi Buffon.

E se o conceituado guarda-redes foi batido no remate do brasileiro, o mesmo aconteceu quando Ronaldo lhe voltou a surgir pela frente três minutos depois para o terceiro do Real Madrid, com a certeza de que ficava com o troféu de melhor marcador da prova, deixando definitivamente para trás Lionel Messi.

O improvável Alex Sandro (81'), de cabeça, ainda fez sonhar os adeptos italianos, mas a bola saiu junto ao poste direito antes de Juan Cuadrado ver dois amarelos em 12 minutos, num lance com Sergio Ramos, e deixar a Juve reduzida a dez.

Em cima do minuto 90, a passe de Marcelo, o suplente Marco Asensio selou o resultado, num remate à entrada da pequena área.

Figura: Cristiano Ronaldo (Real Madrid)

Para ele não há impossíveis. Num final de época fulgurante, marcou pelo sexto jogo consecutivo e os dois tentos fizeram dele o primeiro jogador a ser por seis vezes o melhor marcador da prova, e o primeiro a facturar em três finais da Champions League.

Momento: Um bis com vista para a 12ª

Ao minuto 64, ainda a Juve procurava recompor-se do pontapé vitorioso de Casemiro e já Luka Modrić fugia pela direita para um cruzamento da linha de fundo que a visão de Cristiano Ronaldo transformou no seu segundo da noite, e na pincelada final na revalidação do título europeu “merengue”.

Reacções:

Zinédine Zidane, treinador do Real Madrid:
Eu sou apenas mais um que faz parte da equipa. O segredo do nosso sucesso é que todos se sentiram importantes ao longo da temporada – todos deram o seu contributo. A ligação entre este grupo de jogadores é extraordinária. Quando tal existe numa equipa há sempre boas hipóteses de se ter êxito.

A primeira parte foi equilibrada: a Juventus entrou muito bem e teve muita bola. Mas na segunda parte fomos superiores. Ao intervalo disse aos jogadores para continuarem a fazer o que estavam a fazer, mas colocando mais energia na pressão e no passe. Fomos espectaculares a partir daí. Os nossos passes e as nossas movimentações foram brilhantes. Não é fácil marcar quatro golos à Juventus.

Massimiliano Allegri, treinador da Juventus:
Primeiro que tudo quero felicitar os meus jogadores pelo que fizeram esta temporada – foi uma época extraordinária. Ganhámos o campeonato, a taça e chegámos à final da Champions League, pelo que só tenho de lhes agradecer por isso.

Na primeira parte jogámos de forma maravilhosa, na segunda o Real Madrid carregou no acelerador e nós não conseguimos responder. O futebol pode ser um pesadelo: o Pjanic fez um remate que sofreu um desvio, o Casemiro também, mas só um deles entrou.

O Real Madrid não estava nesta final por acaso – tem jogadores muito importantes. A única coisa que posso apontar é que depois do segundo golo deles devíamos ter-nos conseguido manter mentalmente no jogo de forma a garantirmos que continuávamos na luta.

Cristiano Ronaldo, eleito Homem do Jogo:
Preparei-me bem para esta fase final da temporada e marquei alguns golos importantes.

Este foi um jogo equilibrado. A Juve jogou muito bem na primeira parte e criou algumas oportunidades, mas na segunda fomos impressionantes. Penso que foi a melhor segunda parte que realizámos esta temporada. A Champions League é sempre difícil de conquistar, ainda para mais quando na final se encontra uma equipa que apenas sofreu três golos até aí chegar.

Voltámos a ter uma temporada fantástica. Fizemos a "dobradinha". Os números não mentem. Estou muito feliz. É um dos melhores momentos da minha carreira – e é fantástico continuar a poder dizer isto a cada ano que passa.