25 anos depois: Conheça os primeiros campeões europeus do Barcelona

O "Dream Team" de Johan Cruyff conseguiu a proeza inédita de vencer quatro Ligas espanholas seguidas na década de 1990, mas hoje passam 25 anos sobre o primeiro triunfo na Taça dos Campeões.

25 anos depois: Conheça os primeiros campeões europeus do Barcelona
25 anos depois: Conheça os primeiros campeões europeus do Barcelona ©Getty Images

"Johan Cruyff pintou a capela", afirmou Josep Guardiola durante a passagem de enorme sucesso pelo comando do Barcelona. “Os treinadores do Barcelona desde então limitaram-se a restaurar a pintura e melhorá-la um pouco.” As sementes dos recentes sucessos do clube foram plantadas pelo treinador holandês, que levou os catalães a conseguirem a proeza inédita de conquistar quatro títulos espanhóis consecutivos entre 1990/91 e 1993/94. Foi também o técnico no triunfo frente à Sampdória, após prolongamento, que permitiu ao Barcelona conquistar pela primeira vez a Taça dos Clubes Campeões Europeus.

A equipa era uma combinação de talento nacional e estrangeiro, com Guardiola e Albert Ferrer a jogarem ao lado de Michael Laudrup e Hristo Stoichkov. Ronald Koeman, outra das estrelas da equipa, marcou o único golo na excelente final de Wembley com a Sampdória e acabou com o nulo no prolongamento graças a um dos seus famosos livres sem hipóteses de defesa ao guarda-redes Gianluca Pagliuca.

1 Juan Carlos
Nos três anos que esteve em Barcelona – de 1991 a 1994 –, o defesa-esquerdo juntou três títulos espanhóis e o triunfo na Taça dos Campeões Europeus de 1992, mas ficou no banco na derrota com o Milan na final da UEFA Champions League de 1994. Iniciou e terminou a carreira de jogador no Valladolid e recentemente regressou ao clube castelhano como director.

Resumo da final de 1992: Barcelona 1-0 Sampdoria
Resumo da final de 1992: Barcelona 1-0 Sampdoria

2 José Mari Bakero
Jogador pouco utilizado quando a Real Sociedad venceu dois campeonatos no início da década de 1980, o médio-ofensivo juntou-se aos antigos colegas de equipa Andoni Goikotxea e Julio Salinas no “Dream Team” do Barcelona. Terminou a carreira em 1997 após jogar no México e passou a desempenhar as funções de treinador e consultor. O o Deportivo La Guaira, na Venezuela, foi o seu último clube.

3 Ion Andoni
 Goikoetxea
Entrado para o lugar de Julio Salinas aos 65 minutos da épica final de 1992, o médio foi campeão nas quatro épocas em que jogou no Barcelona, mas manteve sempre ligações ainda mais fortes com o Osasuna, o clube da sua cidade natal, onde começou e terminou a carreira de jogador. Actualmente é director-desportivo do clube de Pamplona.

4 Johan Cruyff

Um dos maiores jogadores da sua era, Cruyff ajudou o Ajax a conquistar três Taças dos Clubes Campeões Europeus consecutivas entre 1970/71 e 1972/73, antes de alterar o ADN futebolístico de Barcelona como treinador entre 1988 e 1996. Foi obrigado a deixar os bancos por questões de saúde, mas continuou ligado ao futebol como comentador e conselheiro até à sua morte, em 2016, aos 68 anos.

A herança de Johan Cruyff no Barcelona
A herança de Johan Cruyff no Barcelona

5 Josep Guardiola

Colocado por Cruyff a jogar como "pivot" defensivo, posição que desconhecia, a primeira Taça dos Campeões ganha por Guardiola no Barcelona foi a última como jogador, mas conduziu os catalães a mais dois triunfos na UEFA Champions League como treinador. Posteriormente ganhou três títulos da Bundesliga pelo Bayern, antes de se mudar para o Manchester City no Verão de 2016.

6 Michael Laudrup
O triunfo do médio-atacante na Taça dos Campeões Europeus seguiu-se à decisão de não representar, nesse ano, a Dinamarca no EURO '92, falhando desta forma o sensacional triunfo na Suécia. Laudrup tem treinado equipas um pouco por todo o mundo e actualmente comanda o al-Rayyan, do Catar.

Hristo Stoichkov com a Bola de Ouro em 1994
Hristo Stoichkov com a Bola de Ouro em 1994©Getty Images

7 Hristo StoichkovO talentoso “Pistolero” esteve impressionante em 1992, mas atingiu o pico de forma dois anos mais tarde, quando ajudou a Bulgária a atingir as meias-finais no Campeonato do Mundo de 1994. Foi seleccionador da Bulgária e treinador do Celta, antes de regressar a casa para curtas passagens pelo comando de Litex Lovech e CSKA Sófia. Vive actualmente em Miami e trabalha como comentador de televisão.

8 Nando

A final de 1992 foi um dos últimos jogos do defesa-central pelo Barça, já que no final da época acertou o regresso ao Sevilha. Mudou-se para o Real Madrid imediatamente e jogou de forma irregular de 1992 a 1996. Passou o resto da carreira na Catalunha ao serviço do Espanhol e dedicou-se ao negócios depois de pendurar as chuteiras.

O reencontro entre Guardiola e Koeman na Premier League
O reencontro entre Guardiola e Koeman na Premier League©Getty Images

9 Ronald Koeman
O defesa goleador marcou à Sampdoria e conquistou a sua segunda Taça dos Clubes Campeões Europeus, tendo iniciado a colecção em 1988 ao converter a primeira grande penalidade no desempate do PSV com o Benfica. É a única pessoa que jogou e treinou PSV, Ajax e Feyenoord. Entre outros esteve no comando do Benfica e actualmente está no Everton.

10 Julio Salinas

Os golos, e as oportunidades, estavam a escassear para o avançado no final da época de 1992, já que as primeiras três campanhas depois de ter sido contratado pelo Barcelona ao Atlético, em 1988, foram bem mais produtivas. Retirou-se dos relvados aos 38 anos após passagens por diversos clubes e desde então tem trabalhado como comentador de televisão.

11 Eusebio Sacristán

Eusebio, Salinas e José Ramón Alexanko foram os únicos a jogar pelo Barcelona na final da Taça dos Vencedores das Taças de 1989 e no triunfo na Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1992. Um dos favoritos de Cruyff, o médio foi depois adjunto de Frank Rijkaard em Camp Nou e treinou a equipa B do Barcelona. Actualmente é treinador da Real Sociedad.

Artigos semelhantes
Foto: Quinze anos depois: Real Madrid vence Champions League em 2002
Foto: Real Madrid vence Bayern e fica perto do nono título
Foto: Ronaldo ovacionado de pé em Old Trafford
Foto: Ronaldo estreia-se a marcar pelo Real Madrid
Foto: Trezeguet ajuda Juventus a afastar o Real
Foto: Quando o Mónaco surpreendeu o poderoso Real
Foto: Barcelona silencia o Real no Bernabéu

Topo