O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Atlético perto de voltar a afastar o Leverkusen

O Atlético superiorizou-se ao Leverkusen nesta mesma fase da prova há dois anos e, com uma vantagem de 4-2 trazida do terreno do adversário na primeira mão, parece bem posicionado para voltar a seguir em frente.

A festa dos jogadores do Atlético durante a vitória em Leverkusen
A festa dos jogadores do Atlético durante a vitória em Leverkusen ©Getty Images

O Bayer 04 Leverkusen tem muito trabalho pela frente se quiser desforrar-se do Club Atlético de Madrid nos oitavos-de-final da UEFA Champions League; há duas épocas, nesta mesma fase da competição, a equipa da capital espanhola levou a melhor sobre os germânicos e está em boa posição para voltar a fazer o mesmo.

• O Atlético está no controlo da eliminatória depois de uma vitória na Alemanha, na primeira mão, onde golos de Saúl Ñiguez, Antoine Griezmann, Kevin Gameiro e Fernando Torres valeram um triunfo por 4-2; um golo de Karim Bellarabi e um autogolo de Stefan Savić deram ao Leverkusen, ainda assim, uma réstia de esperança para a segunda mão.

• Apenas por duas vezes na história da UEFA Champions League uma equipa foi capaz de se apurar depois de uma derrota caseira sofrida na primeira mão de uma eliminatória da prova: o feito foi alcançado pelo AFC Ajax, frente ao Panathinaikos FC, nas meias-finais da edição de 1995/96 (0-1 em casa, 3-0 fora) e pelo FC Internazionale Milano, contra o FC Bayern München, nos oitavos-de-final da edição de 2010/11 (0-1 em casa, 3-2 fora).

Confrontos anteriores
• Em 2014/15, na primeira mão dos oitavos-de-final, Hakan Çalhanoğlu marcou perto da hora de jogo e permitiu ao Leverkusen vencer em casa por 1-0; o médio português Tiago foi expulso nos visitantes.

• O Atlético igualou a eliminatória no jogo da segunda mão graças a um golo de Mario Suárez, o que levou a decisão para os penalties, apurando-se aí com um triunfo por 3-2. Hakan Çalhanoğlu, Ömer Toprak e Stefan Kiessling falharam para os visitantes, Raúl García e Koke desperdiçaram para o Atlético; Fernando Torres selou a vitória ao converter a quinta grande penalidade para o Atlético.

• Nessa partida da segunda mão, no Vicente Calderón, a 17 de Março de 2015, as equipas foram as seguintes:
Atlético: Moyà (Oblak 23), Juanfran, Giménez, Miranda, Gámez, Arda Turan, Mario Suárez, Koke, Cani (Raúl García 46), Griezmann, Mandžukić (Torres 83).
Leverkusen: Leno, Hilbert, Ömer Toprak, Spahić, Wendell, Bender (K. Papadopoulos 104), Castro, Bellarabi , Hakan Çalhanoğlu, Son Heung-Min (Rolfes 77), Drmić (Kiessling 69).

• Atlético e Leverkusen empataram por duas vezes a um golo na fase de grupos da UEFA Europa League 2010/11. Uma grande penalidade apontada por Simão Sabrosa (aos 51 minutos) restabeleceu a igualdade em Madrid, a 30 de Setembro de 2010, depois de Eren Derdiyok ter dado vantagem aos alemães; Fran Mérida marcou (aos 72 minutos) o golo que ditou nova igualdade, agora em Leverkusen, a 16 de Dezembro, após Patrick Helmes ter aberto o marcador ( aos 69 minutos).

• As equipas desse jogo em Espanha foram as seguintes:
Atlético: De Gea, Ujfaluši, Perea, Álvaro Domínguez, Filipe Luis, Paulo Assunção, Raúl García (Mérida 46), Simão, Reyes, Forlán (Tiago 46), Diego Costa.
Leverkusen: Adler, Schwaab, M Kadlec, Hyypiä, Reinartz, M Friedrich, Vidal (Bender 61), Barnetta, Balitsch (Rolfes 61), Sam, Derdiyok (Helmes 68).

• O Leverkusen, então treinado por Jupp Heynckes, terminou no primeiro lugar desse grupo da UEFA Europa League, enquanto o Atlético, na altura detentor do troféu e orientado por Quique Sánchez Flores, acabou por ficar pelo caminho em virtude desse empate em Leverkusen na sexta jornada.

Retrospectiva

Atlético
• Na temporada passada, o conjunto de Madrid foi vice-campeão europeu pela terceira vez, após perder por 5-3 no desempate por grandes penalidades com o vizinho Real Madrid CF, na final de Milão, a 28 de Maio.

• Os "colchoneros" procuram atingir os quartos-de-final da mais importante prova europeia de clubes pela nona vez. A temporada passada foi a segunda consecutiva em que precisaram de recorrer aos penalties para ultrapassarem os oitavos-de-final, tendo batido o PSV Eindhoven por 8-7 após dois empates sem golos – algo inédito na UEFA Champions League.

• Os pupilos de Diego Simeone perderam por 1-0 no terreno do FC Bayern München na sexta jornada, resultado que os impediu de se tornarem na sétima equipa a somar seis vitórias numa fase de grupos da UEFA Champions League. Ainda assim, terminaram como vencedores do grupo.

• O Atlético ganhou 28 dos últimos 33 jogos europeus realizados no Vicente Calderón, tendo somado apenas duas derrotas.

• O Atlético atravessa uma série de sete jogos seguidos sem perder em casa frente a equipas alemãs (V6 E1), desde o desaire por 1-0 com o Borussia Dortmund na fase de grupos da época 1996/97.

• O seu registo caseiro frente a adversários da Bundesliga é: 18J 13V 2E 3D.

• Os "colchoneros" venceram as últimas sete eliminatórias a duas mãos que disputaram contra equipas alemãs. A sua última derrota num embate a duas mãos com germânicos ocorreu frente ao 1. FC Dynamo Dresden na primeira eliminatória da Taça UEFA 1979/80.

• O Atlético perdeu a final da Taça dos Clubes Campeões Europeus de 1974 contra o Bayern ao ser derrotado por 4-0 no jogo de desempate, após igualdade 1-1.

• O Atlético apurou-se em todas as 20 eliminatórias de provas da UEFA em que triunfou fora no jogo da primeira mão, a última das quais frente ao AC Milan, nos oitavos-de-final da edição de 2013/14 da UEFA Champions League (1-0 fora, 4-1 em casa).

• Registo do Atlético em desempates por grandes penalidades nas competições da UEFA: V2 D4:
6-7, Derby County FC, segunda eliminatória da Taça UEFA de 1974/75
1-3, ACF Fiorentina, primeira eliminatória da Taça UEFA de 1989/90
1-3, Villarreal, final da Taça Intertoto de 2004
3-2, Leverkusen, oitavos-de-final da UEFA Champions League de 2014/15
8-7, PSV Eindhoven, oitavos-de-final da UEFA Champions League de 2015/16
3-5, Real Madrid, final da UEFA Champions League de 2015/16

Leverkusen
• A formação alemã, qualificada como segunda classificada do Grupo E, atrás do AS Monaco FC, nunca venceu uma eliminatória dos oitavos-de-final da UEFA Champions League e sofreu mesmo já algumas derrotas pesadas nesta fase da competição:
2013/14 Paris Saint-Germain 0-4 c, 1-2 f (1-6 total)
2011/12 FC Barcelona 1-3 c, 1-7 f (2-10 total)
2004/05 Liverpool FC 1-3 f, 1-3 c (2-6 total)

• Apesar de ter chegado à final em 2002, a qual perdeu para o Real Madrid CF, tal sucedeu numa altura em que a prova contava com uma segunda fase de grupos.

• Na presente edição da fase de grupos, o Leverkusen somou dois empates fora e venceu o Tottenham Hotspur FC por 1-0. Nos últimos seis jogos fora nas competições da UEFA, venceu dois e empatou três.

• Na temporada passada, os pupilos de Roger Schmidt ficaram pelo caminho logo fase de grupos – tendo perdido 2-1 no terreno do Barcelona e empatado 1-1 em casa com os catalães – e chegaram depois aos oitavos-de-final da UEFA Europa League, fase em que foram afastados por outra equipa espanhola, o Villarreal CF (0-2 f, 0-0 c).

• O Leverkusen perdeu nas últimas três deslocações a Espanha, onde o seu registo global é: V3 E2 D12. A última visita terminou com uma vitória por 1-0 diante da Real Sociedad de Fútbol, na fase de grupos de 2013/14, numa partida em que o tento solitário de Toprak garantiu o apuramento para os oitavos-de-final.

• O Leverkusen perdeu os seis últimos embates a duas mãos frente a adversários espanhóis. A derradeira ocasião em que levou a melhor aconteceu quando derrotou o RCD Espanyol na final de 1988 da Taça UEFA (3-3 no conjunto das duas mãos, vitória por 3-2 no desempate por penalties).

• O Leverkusen viu-se eliminado nas dez anteriores eliminatórias de competições da UEFA em que também perdeu em casa na partida da primeira mão, a mais recente das quais quando acabou afastado pelo Paris nos oitavos-de-final da edição de 2013/14 da UEFA Champions League (0-4 em casa, 1-2 fora). Efectivamente, em apenas uma dessas dez eliminatórias a turma alemã conseguiu depois ganhar fora na partida da segunda mão, ainda que nem aí esse triunfo tenha sido suficiente para se apurar.

• Registo do Leverkusen em desempates por grandes penalidades nas provas da UEFA: V1 D2:
3-2, RCD Espanyol, final da Taça UEFA de 1987/88
3-5, FC Tirol Innsbruck, quartos-de-final da Taça Intertoto de 1995
2-3, Atlético, oitavos-de-final da UEFA Champions League de 2014/15

Ligações entre jogadores e treinadores
• Javier Hernández marcou o único golo da eliminatória na vitória por 1-0 no conjunto das duas mãos do Real Madrid sobre o Atlético nos quartos-de-final da UEFA Champions League 2014/15.

• Hernández também marcou na vitória do México sobre a Croácia de Šime Vrsaljko,  por 3-1, na fase final do Campeonato do Mundo de 2014 da FIFA.

• Hakan Çalhanoğlu marcou no empate 1-1 da Turquia ante a Croácia de Vrsaljko, em jogo da Qualificação Europeia para o Campeonato do Mundo disputado em Setembro de 2016.

• Diego Godín marcou na derrota por 3-1 do Uruguai frente ao México de Hernández na fase de grupos da Copa América 2016.

• Simeone defrontou o Leverkusen por duas vezes como jogador, ao serviço da SS Lazio, na primeira fase de grupos da edição 1999/2000 da UEFA Champions League, tendo saltado do banco nos dois jogos, ambos culminados com empates 1-1, tanto na Alemanha como em Itália.

• Antoine Griezmann marcou os dois golos da França na vitória por 2-0 da selecção gaulesa sobre a Alemanha nas meias-finais do UEFA EURO 2016. Bernd Leno e Jonathan Tah foram suplentes não utilizados pela Alemanha nessa partida.

• Aleksandar Dragović marcou na derrota por 2-1 da Áustria num amigável frente ao Brasil de Filipe Luís em Novembro de 2014.

• Colegas de selecção:
Tin Jedvaj e Vrsaljko (Croácia)
Jan Oblak e Kevin Kampl (Eslovénia)