Jogadores que nunca foram expulsos

Philipp Lahm, que está prestes a terminar a carreira, faz parte de um grupo restrito de jogadores que nunca foram expulsos. O UEFA.com destaca outros futebolistas com boa nota no comportamento.

Raúl González, lendário avançado do Real Madrid, nunca viu um cartão vermelho ao longo da sua brilhante carreira
Raúl González, lendário avançado do Real Madrid, nunca viu um cartão vermelho ao longo da sua brilhante carreira ©Getty Images

Se Philipp Lahm conseguir chegar ao final época sem ver um cartão vermelho, irá terminar a carreira sem ser expulso. O UEFA.com apresenta outros futebolistas que conseguiram a mesma proeza que o capitão do Bayern München, assim como dois que falharam por pouco.

Raúl González (Real Madrid, Schalke, al-Sadd, New York Cosmos e Espanha)
Dezassete anos como jogador; 388 golos em 932 jogos de clubes; 44 golos por Espanha; Vencedor da UEFA Champions League em 1998, 2000 e 2002, tornando-se o primeiro jogador a marcar em duas finais. Seis títulos espanhóis em destaque num vasto palmarés; Nenhum cartão vermelho.

Gary Lineker nunca foi sequer admoestado
Gary Lineker nunca foi sequer admoestado©Bob Thomas/Getty Images

Gary Lineker (Leicester, Everton, Barcelona, Tottenham, Nagoya Grampus Eight e Inglaterra)
O registo de 281 golos em 567 jogos ao longo da carreira já é impressionante, mas o antigo avançado de Inglaterra não só nunca foi expulso, com nem sequer viu qualquer cartão amarelo.

Andrés Iniesta (Barcelona e Espanha)
Outro jogador cuja uma carreira recheada de troféus, no Barça e na selecção. Iniesta disputou mais de 750 jogos em todas as competições e nunca foi expulso.

Karim Benzema (Lyon, Real Madrid e França)
O francês com mais golos marcados pelo Real Madrid e na Liga espanhola já disputou 649 jogos e nunca viu um cartão vermelho.

Andrés Iniesta nunca viu um cartão vermelho
Andrés Iniesta nunca viu um cartão vermelho©Getty Images

João Moutinho (Porto, Sporting, Mónaco e Portugal)
O médio de 30 anos tem prolongado o seu impressionante registo disciplinar no Mónaco, onde já disputou 153 jogos, que pode juntar aos 140 realizados ao serviço do Porto, a 259 no Sporting e aos 94 pela selecção de Portugal. Se juntarmos as 17 internacionalizações pelos sub-21, são já 663 jogos como profissional sem qualquer cartão vermelho.

Michel Platini (Nancy, Saint-Étienne, Juventus e França)
O organizador que jogo que foi distinguido três vezes com a Bola de Outro disputou um total de 655 jogos pelos seus clubes e pela selecção sem qualquer mancha disciplinar. "O futebol era mais violento do que hoje", recordou em 2014. "Actualmente os árbitros protegem melhor os jogadores com recurso aos cartões amarelos e vermelhos, o que é excelente para o espectáculo".

Damien Duff (Blackburn, Chelsea, Newcastle, Fulham, Melbourne City, Shamrock Rovers e República da Irlanda)
Duff é um extremo muito viajado que disputou mais de 700 jogos ao longo de uma carreira que se prolongou por 19 anos.

Karim Benzema é um dos jogadores em actividade que nunca foi expulso
Karim Benzema é um dos jogadores em actividade que nunca foi expulso©Getty Images

Aaron Hughes (Newcastle, Aston Villa, Fulham, Queens Park Rangers, Brighton, Melbourne City, Kerala Blasters, Hearts e Irlanda do Norte)
O antigo defesa de Newcastle United e Fulham disputou 455 jogos na Premier League e continua a aumentar o pecúlio de 103 internacionalizações pela Irlanda do Norte, sem nunca ter visto qualquer cartão vermelho. Hughes considera que: "Quando se é expulso, tornamo-nos imediatamente perdedores".

Marco Bode (Werder Bremen e Alemanha)
O extremo-esquerdo cumpriu toda a carreira com a camisola do Bremen e é actualmente o presidente do clube alemão. Finalista do Campeonato do Mundo de 2002, vencedor da Taça dos Vencedores das Taças de 1992, campeão da Bundesliga e vencedor da Taça da Alemanha, viu apenas 13 cartões amarelos em 529 jogos.

Giorgos Sideris (Atromitos Pireu, Olympiacos, Royal Antwerp e Grécia)
Liderou o ataque do Olympiacos durante 11 épocas, a partir de 1959, marcando 224 golos em 284 desafios, incluindo 70 na Taça da Grécia, seis dos quais em finais, dois registos que continuam a ser recordes. Em 1970 assinou pelos belgas do Royal Antwerp e tornou-se no primeiro futebolista grego a jogar no estrangeiro. Distinguiu-se pelo poderio físico e pelas batalhas com os defesas, mas nunca foi expulso. 

O português João Moutinho também tem um registo disciplinar impecável
O português João Moutinho também tem um registo disciplinar impecável©AFP/Getty Images

Dinos Kouis (Agrotikos Asteras, Aris e Grécia)
O melhor jogador da história do Aris esteve 17 anos ao serviço do clube, entre 1974 e 1991. O versátil médio apontou 142 golos em 473 jogos do campeonato e continua a ser o melhor marcador e o jogador com mais desafios disputados pelo emblema de Salónica.

Ján Popluhár (Slovan Bratislava, Rudá Hvězda Brno, Lyon, Zbrojovka Brno, Slovan Viena e Checoslováquia)
Eleito o melhor jogador eslovaco do Século XX, o defesa foi distinguido com um prémio de “fair play” em 1967 e nunca foi expulso em 306 jogos do campeonato e 62 desafios internacionais.

Dudu Georgescu (Progresul Bucareste, CSM Reşiţa, Dínamo Bucareste, Bacău, Gloria Buzău, Flacăra Moreni, Muscelul Câmpulung, Unirea Urziceni)
Conhecido como um cavalheiro, dentro e fora do campo, passou a maior parte da carreira no Dínamo, vencendo quatro campeonatos e uma Taça da Roménia, conquistando ainda a Bota de Ouro europeia em 1975 e 1977.

Michel Platini a jogar pela Juventus
Michel Platini a jogar pela Juventus©Getty Images

Cüneyt Tanman (Galatasaray e Turquia)
O desportista capitão do Galatasaray nunca viu um cartão vermelho em 17 anos de carreira e conquistou dois campeonatos e duas Taças da Turquia pelos gigantes de Istambul na década de 1980.

Maxime Bossis (Nantes, RC Paris e França)
O defesa campeão da Europa por França em 1984 viu apenas quatro cartões amarelos em 710 desafios ao serviço dos clubes e do seu país.

Dominique Rocheteau (Saint-Étienne, Paris, Toulouse e França)
O atacante, que também ajudou a França a vencer o EURO 1984, tinha a alcunha de "anjo verde" e viu apenas três cartões amarelos em 571 jogos ao longo da sua carreira.

Andrej Kvašňák (Sparta Praga e Checoslováquia)
Kvašňák foi eleito jogador do século do Sparta e finalista vencido no Campeonato do Mundo de 1962. Nunca foi expulso em 433 jogos pelo seu clube e era famoso por se oferecer para ajudar os árbitros a acalmar qualquer situação mais tensa em campo.

Ryan Giggs viu o único cartão vermelho da carreira ao serviço do País de Gales
Ryan Giggs viu o único cartão vermelho da carreira ao serviço do País de Gales©Getty Images

E dois que estiveram muito perto

Ryan Giggs: Nunca foi expulso em 963 jogos pelo Manchester United e também disputou 62 encontros pelo País de Gales. Foi numa dessas internacionalizações, frente à Noruega em 2001, que Giggs foi tomar banho mais cedo por causa de dois cartões amarelos.

Lionel Messi: Nunca viu um cartão vermelho ao serviço do Barcelona, mas a carreira internacional não poderia ter começado pior. O atacante foi expulso por responder a uma entrada de um adversário, apenas um minuto depois de ser lançado num encontro particular entre a Argentina e a Hungria em Agosto de 2005. Entretanto já compensou o seu país com 57 golos.