Rostov elimina PSV e garante UEFA Europa League

O Rostov resistu ao assédio final do PSV para obter um nulo em Eindhoven que manteve a equipa no terceiro lugar no Grupo D e assegurou o apuramento para a UEFA Europa League.

See how Rostov qualified for the UEFA Europa League
See how Rostov qualified for the UEFA Europa League

O Rostov aguentou a pressão final do PSV Eindhoven para segurar o terceiro lugar no Grupo D e a presença nos 16 avos-de-final da UEFA Europa League a expensas do campeão holandês.

A precisar de uma vitória para ultrapassar o adversário, o PSV começou lento mas à medida que a primeira parte avançou surgiu mais no jogo e Bart Ramselaar por duas vezes que falhou o alvo em remates do limite da grande área.

Após o intervalo, a equipa da casa continuou a aumentar o seu domínio e posse de bola, mas sentiu dificuldades para criar situações de golos até aos cinco minutos finais. Foi então a vez do guarda-redes visitante, Soslan Dzhanaev negar o golo a Siem de Jong antes de abandonar os postes para bloquear Gastón Pereiro, surgindo depois Vladimir Granat a desviar para fora a recarga de Ramselaar.

O PSV pressionou muitos nos instantes finais, com o Rostov a recuar para a sua área e a aguentar firme – celebrando longa e efusivamente após o apito final.

Figura: Bart Ramselaar (PSV)
Um dos poucos jogadores do PSV que brilhou. Quando os remates surgiram…       e ele tentou sempre criar espaços e avançar para o ataque quando em posse de bola. O jogador de 20 anos mostrou-se também fisicamente capaz para lutar com os médios do Rostov.

PSV paga início cauteloso
A decisão de Phillip Cocu de alinhar com cinco defesas na maior parte do jogo surpreendeu. Por várias vezes que o PSV pareceu em inferioridade a meio-campo e quando tentou sair para o ataque deixou três defesas para lidar com o único atacante do Rostov, Sardar Azmoun. Uma formação inicial de cariz mais ofensivo poderia ter conseguido um resultado diferente.

Equipa surpresa
O Rostov foi claramente a equipa menos favorita do Grupo D mas nos últimos jogos deu a si própria alguma credibilidade. O seu compacto e pouco espectacular estilo de jogo funcionou e os dois atacantes, Azmoun e Dmitri Poloz pareceram sempre capazes de provocar danos caso a oportunidade surgisse. A sua defesa foi muito sólida, lidando com aparente facilidade com os esporádicos ataques do PSV.

©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images