O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Emery sobre o Paris, adaptação e a crença na vitória

Já encontrou um "café para frequentar" e está pronto para "sonhar acordado": Unai Emery falou com Graham Hunter sobre a mudança do Sevilha para o Paris Saint-Germain e da sua filosofia vencedora.

Unai Emery é agora treinador do Paris
Unai Emery é agora treinador do Paris ©Getty Images

Tendo em conta que venceu a UEFA Europa League em três temporadas seguidas como treinador do Sevilha, a conquista de troféus continentais não tem sido um problema para Unai Emery.

Talvez tenha sido por isso que o Paris Saint-Germain decidiu levá-lo para França este defeso, pois apesar dos quatro títulos da Ligue 1 e duas "triplas" em França, ainda não conseguiu igualar a caminhada de 1994/95 na UEFA Champions League, onde caiu apenas na meia-final.

Emery tem um plantel diferente na capital francesa, pois levou consigo Grzegorz Krychowiak, do Sevilha, tendo viajado também de Espanha, Jesé, registando-se, por outro lado, as saídas de David Luiz, Lucas Digne e, principalmente, Zlatan Ibrahimović. Emery sentou-se com o UEFA.com para discutir a mudança para Paris e os métodos para construir uma equipa ganhadora.

[VIDEO src="2106120" size="mediumLandscape" align="Right" caption=" Primeiro titulo: Final de 2014 da Europa League span>UEFA.com: Porque escolheu vir para Paris?

Unai Emery: Porque é um desafio sair de uma grande equipa como o Sevilha para outra também grande como o PSG. Cada uma tem vantagens e desvantagens, mas o PSG deu-me a possibilidade de sair da minha zona de conforto.

Apesar de ter sido muito exigente no Sevilha, onde poderia continuar a evoluir, o PSG é um novo desafio.

UEFA.com: Como se irá adaptar à nova cidade?

Emery: Penso que a adaptação é muito importante. Quando se está num local temos de nos adaptar a uma rotina diária, coisas básicas.

Por exemplo, encontrar um café para frequentar quando se quer tomar um. Sentar para tomar uma bebida e estar confortável. Ter uma casa. Saber o caminho para o centro de treinos. Isso é um processo.

E depois há o trabalho. Habituarmo-nos aos jogadores, treinadores, corpo técnico é também um processo, mas temos que nos adaptar depressa porque esperam de nós resultados no imediato. É sempre assim, há coisas que não se podem apressar.

[VIDEO src="2266450" size="mediumLandscape" align="Right" caption=" Segundo título: Final de 2015 da Europa League

UEFA.com: Quais as suas primeiras impressões do plantel?

Emery: É um plantel que venceu muita coisa e que cresceu a ganhar. Cheguei a um clube que queria continuar a ganhar e atingir um novo patamar. É esse o desafio e é algo bem difícil.

As exigências são muito altas e os jogadores vivem com isso. Quando sou questionado sobre a pressão depois de perder um jogo, respondo que não lido com a pressão, lido com exigência, com pedidos.

UEFA.com: Deixando de lado o clube onde está, que diferenças vê entre França e Espanha?

Emery: O futebol francês é agora dominado pelo PSG. O meu primeiro pensamento quando cheguei foi que é obrigatório ser campeão. Não ligo a quem diz que ganhar o campeonato é fácil. Porque se pensam que isso é fácil e depois se falha, então a situação agrava-se ainda mais.

Já vimos um exemplo disso. Vencemos os dois primeiros jogos do campeonato - houve jogos difíceis mas ganhámos. E depois defrontámos o Mónaco, uma equipa muito boa, da qual se espera que lute connosco pelo título e que fez um grande jogo e que nos ganhou.

[VIDEO src="2366450" size="mediumLandscape" align="Right" caption=" Terceiro título: Final de 2016 da Europa League

UEFA.com: Quando o clube o abordou foi-lhe dito que tinha um determinado estilo que teria que respeitar ou apenas o contrataram - sendo um coleccionador de troféus - para introduzir o seu próprio estilo?

Emery: A maneira como me defino é que quero ser competitivo. O que é que isso quer dizer? Jogar o que for preciso para estar mais perto da vitória.

Esse é um processo contínuo de aprendizagem para os jogadores porque, para se ganhar, precisamos de descobrir como podemos competir. Acima de tudo é claro que se espera que esta equipa ganhe a jogar bem. O que significa jogar bem? Para mim, significa ser competitivo.

UEFA.com: Se colocar de lado o treinador e responder como homem, ou até falando da sua parte de criança optimista: como se sentiria se ganhasse a Champions League depois de vencer a Europa League? Permite-se a si próprio sonhar com coisas dessas enquanto se é um profissional ao mais alto nível?

Emery: Gosto de sonhar acordado. Gosto de ter a minha mente aberta para coisas atractivas. Como costumo dizer aos jogadores, primeiro e antes de mais, temos que gostar de futebol. Mais que isso, precisamos de sentir paixão pelo que fazemos. Quando acordamos, estarmos gratos por ter a possibilidade de podermos fazer o que amamos e que faz muita gente feliz.