O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Penalties colocam Atlético nos quartos-de-final

Atlético 0-0 PSV (total: 8-7 pen)
A primeira eliminatória da UEFA Champions League sem golos em duas mãos caiu para o lado do Atlético após o falhanço de Luciano Narsingh.

1503_ATL-PSV_AMB
  • Atlético elimina PSV nos penalties após primeira eliminatória sem golos
  • Luciano Narsingh, do PSV, acerta na trabe após 14 tentativas bem-sucedidas
  • Guarda-redes visitante Jeroen Zoet evita golo do Atlético em diversas situações
  • Jürgen Locadia, do PSV, com remate desviado para o poste na segunda parte
  • Sorteio dos quartos-de-final transmitido em directo no UEFA.com a partir das 11h00 (de Portugal Continental) desta sexta-feira

O Atlético garantiu a passagem aos quartos-de-final da UEFA Champions League e a presença no sorteio desta sexta-feira, ao afastar o PSV Eindhoven no desempate por grandes penalidades. Isto depois de, nesta segunda mão, no Estádio Vicente Calderón, em Madrid, as duas equipas terem repetido o nulo da primeira mão.

Esta foi a primeira eliminatória da história da UEFA Champions League decidida nos penalties sem qualquer golo marcado em 210 minutos, nas duas mãos. E tal deveu-se à férrea organização defensiva do PSV e à desinspiração "colchonera", para além da boa forma de Jeroen Zoet. Porém, este não foi um jogo sem incidências e ocasiões de golo.

Logo aos 15 minutos, Yannick Carrasco fugiu pela direita e descobriu Antoine Griezmann na grande área. O francês, apenas com Zoet pela frente, permitiu a defesa do guarda-redes. Logo a seguir foi Diego Godín a cabecear ligeiramente por cima, após um canto da direita. E aos 28 minutos o PSV respondeu com Marco van Ginkel a fugir pela direita e a centrar, mas Jan Oblak estirou-se e evitou que a bola chegasse ao segundo poste, onde estava Jürgen Locadia pronto para encostar, e Luuk De Jong chegou ligeiramente atrasado ao lance para a recarga.

Zoet voltou a estar em evidência aos 37 minutos, quando uma jogada pelo ar chegou a Griezmann na pequena área, mas o cabeceamento deste teve resposta de grande nível do guardião do PSV. Perto do intervalo, Saúl Ñíguez rematou no meio de muitos defesas contrários, a bola ainda sobrou para Antoine Griezmann, mas a insistência "colchonera" esbarrou na "muralha" holandesa.

Os momentos antes do descanso foram os melhores do Atlético na primeira parte, na qual o PSV assumiu sempre muita ambição. Aliás, os holandeses, baseados numa defesa de cinco elementos e laterais muito ofensivos, chegaram a ter mais bola que os da casa a meio da etapa inicial, criando mesmo situações de perigo, mas os ataques de ambas as equipas não mostraram inspiração.

Muita sorte para o Atlético no reatamento, com o PSV a iniciar um contra-ataque com muitos elementos e Jürgen Locadia a rematar cruzado, de pé direito, e a acertar no poste. De Jong não foi lesto a reagir e falhou a emenda de cabeça. Na resposta, Carrasco atirou muito por cima só com Zoet pela frente.

No segundo tempo o PSV sentiu muitos mais problemas para se soltar nas transições, sendo obrigado a encolher-se perante a pressão de um Atlético já com Fernando Torres em campo e em busca de evitar o prolongamento. Nesta fase valeu aos holandeses o elevado número de elementos dentro da grande área, que impediu os muitos remates contrários de levar a melhor direcção. E quando não era a defesa era Zoet, que aos 86 minutos desviou um remate de Torres para o ferro.

O prolongamento acabou por ser uma inevitabilidade, mas neste período, apesar do ambiente quente no Vicente Calderón, a clarividência e frescura física andaram arredias, tal como as oportunidades de golo, pelo que tudo se decidiu no desempate por penalties. E aqui, os espanhóis foram mais felizes, com Juanfran a converter o oitavo pontapé, depois de Luciano Narsingh acertar na barra.

©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©Getty Images
©AFP/Getty Images