O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

PSV com boas condições, Simeone diz-se paciente

Phillip Cocu afirmou que o PSV "criou boas condições" para a viagem a Madrid, com Simeone a mostrar-se confiante que vai fazer golos no próximo jogo.

Highlights: PSV 0-0 Atlético
  • PSV e Atlético empatam 0-0 em Eindhoven
  • Phillip Cocu: "Criámos boas condições para a segunda mão"
  • Diego Simeone, treinador do Atlético: "Os golos hão-de chegar. Sou um tipo paciente"
  • Segunda mão joga-se no Estadio Vicente Calderón, a 15 de Março

Phillip Cocu, treinador do PSV
Estou muito contente com este resultado. Tal como havia dito, se conseguíssemos não sofrer golos em casa estaríamos a criar boas condições. Temos agora algo por que lutar em Madrid; está tudo por decidir. Se conseguirmos marcar um golo lá temos uma oportunidade de nos apurarmos. Vamos dar tudo para que isso aconteça.

Na primeira parte eles tiveram uma série de boas oportunidade e nós criámos também uma bela ocasião. Na segunda metade jogámos grande parte reduzidos a dez homens contra uma equipa de topo, e toda a equipa fez então um excelente trabalho.

Pensei, na altura, que o segundo cartão amarelo para o Gastón Pereiro fora demasiado rigoroso, mas é uma lição para nós, e estou muito contente pela forma como a minha equipa lidou com essa expulsão.

[O guarda-redes do PSV, Jeroen] Zoet esteve muito bem. Forçou o atacante a fazer uma escolha [no um-contra-um com Antoine Griezmann]. Ele é importante para a equipa. Se todos estiverem no seu máximo então poderemos jogar para não sofrer golos. Normalmente fazemos um golo, mas hoje isso não sucedeu. Tentaremos fazê-lo no jogo da segunda mão.

Diego Simeone, treinador do Atlético
Os rapazes fizeram um jogo brutal. Eles foram um adversário muito difícil. Controlámos na segunda parte e o [guarda-redes Jan] Oblak não teve nada para fazer. Não fizemos qualquer golo mas não estamos fora da discussão da eliminatória. Quando damos o nosso melhor, temos as nossas oportunidades e jogámos no meio-campo do adversário, isso deixa-me feliz. Os golos hão-de chegar. Sou um tipo paciente.

Eles são um adversário duro e, acima de tudo, são rápidos, mas tivemos ocasiões claras para marcar. Volto para casa feliz. Estou relaxado por saber que teremos a segunda mão em casa.

Os jogadores não estão a fazer golos mas a responsabilidade é minha. Vou encorajar a minha equipa a continuar a criar situações para marcar. Se continuarmos a fazer isso iremos chegar aos golos. Como equipa defendemos bem, contra um adversário que nos poderia atingir no contra-ataque. Estivemos bem.

Fomos a melhor formação na primeira parte mas não fizemos golos. Estou contente com o trabalho dos jogadores em campo. Pressionámos fortemente a defesa do PSV, permitindo criar oportunidades. A segunda parte foi semelhante e continuámos a criar situações para marcar. Se jogarmos assim na segunda mão estou convencido de que iremos marcar.

Estamos numa situação difícil porque um empate pode apurá-los. O PSV tem uma grande equipa e a vantagem de que um golo fora conta a dobrar. Todavia, teremos o apoio do nosso público. Tenho uma boa sensação relativamente ao jogo da segunda mão.