Mehmedi dá ponto ao Leverkusen frente ao BATE

BATE 1-1 Leverkusen
Admir Mehmedi materializou pressão dos visitantes, mas a equipa da Bundesliga foi incapaz de vencer antes da visita a Barcelona.

BATE 1-1 Leverkusen
BATE 1-1 Leverkusen
  • BATE abre o activo logo no início, mas Leverkusen chega à igualdade no segundo tempo
  • Remate de Mikhail Gordeichuk passa entre as pernas de Bernd Leno
  • Admir Mehmedi empata na segunda parte com um chapéu a Sergei Chernik
  • Quinto jogo a marcar nas competições europeias para o internacional suíço
  • Última jornada do Grupo E: Leverkusen - Barcelona, Roma - BATE (9 Dezembro)

BATE e Leverkusen empataram na Bielorrússia em jogo do Grupo E  da UEFA Champions League e complicaram as contas de ambos. Os bielorrussos marcaram logo na primeira jogada do encontro, mas os alemães chegaram ao empate no segundo tempo.

O BATE partia para o encontro no derradeiro lugar do grupo, mas ainda na luta pela qualificação e a verdade é que as suas hipóteses de apuramento aumentaram exponencialmente logo ao segundo minuto, quando um aparentemente inofensivo remate de meia-distância de Mikhail Gordeichuk terminou surpreendente e inexplicavelmente em golo, depois de Bernd Leno ter deixado a bola escapar-lhe entre as mãos e entre as pernas.

A equipa de Roger Schmitt acusou sobremaneira o madrugador tento dos bielorrussos e, só nos derradeiros dois minutos antes do intervalo, somente através de um remate de meia-distância, aos 43 minutos, do especialista Hakan Çalhanoğlu é que começou a levar relativo perigo à baliza, mal-grado toda a sua posse de bola. Todavia, o disparo saiu ao lado.

No entanto, na derradeira jogada do primeiro tempo, Javier Hernández teve nos pés a melhor ocasião de todo o encontro, falhando o mais fácil: bater Sergei Chernik. O mexicano, a menos de dois metros da baliza, emendou o cruzamento rasteiro de Admir Mehmedi contra o pé do guarda-redes bielorrusso.

A segunda parte pertenceu por inteiro ao Bayer Leverkusen, não estranhando por isso que Leno não tivesse feito qualquer defesa (também não fizera alguma no primeiro tempo, embora tenha consentido aquele incrível golo).

A entrada dos alemães foi bastante forte e, após um remate em arco de Javier Hernández, seguiu-se um conjunto de oportunidades do veloz Karim Bellarabi. Numa delas, só mesmo uma intercepção in-extremis de Aleksandr Volodko impediu que o seu remate batesse Chernik.

Mas tão acentuada foi a pressão dos alemães nos primeiros instantes da segunda parte que acabou por surtir efeito e valeu mesmo o empate, que chegaria aos 67 minutos, por intermédio de Mehmedi, que apontaria o seu quarto golo em outros tantos jogos da fase de grupos, através de um chapéu a Chernik, após excelente passe de Hakan Çalhanoğlu para as costas da defesa, onde surge Mehmedi a fazer um chapéiu ao guarda-redes.

Até final, manteve-se o assalto à baliza de Chernik, que, a dois minutos, impediu o triunfo do Leverkusen graças a uma excelente defesa a disparo de Wendell.

©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images
©Pressball
©AFP/Getty Images
©AFP/Getty Images

Conteúdos relacionados