O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Barcelona: Lionel Messi de fora durante dois meses

Com Lionel Messi ausente "entre sete a oito semanas", devido a uma lesão no joelho, avaliamos como o Barcelona poderá lidar com a perda do seu jogador mais valioso.

Lionel Messi após a lesão contraída no sábado
Lionel Messi após a lesão contraída no sábado ©AFP/Getty Images

Lionel Messi deverá falhar até quatro partida da UEFA Champions League devido a uma lesão no joelho.

O avançado do Barcelona saiu aos quatro minutos do encontro que a sua equipa venceu frente ao Las Palmas, por 2-1, e foi levado para o hospital. O clube fez a seguinte declaração: "Messi tem um estiramento no ligamento colateral interno do seu joelho esquerdo. Ficará de fora entre sete e oito semanas."

O Barcelona empatou 1-1 em Roma, na estreia no Grupo E e recebe o Bayer Leverkusen, na terça-feira. Messi deverá falhar também o duplo encontro com o BATE Borisov e o final da recuperação poderá coincidir com a recepção à Roma, a 24 de Novembro, dias depois do Barcelona jogar na capital com o Real Madrid para a Liga espanhola.

A época de Messi até agora ... 

A visão do correspondente: Joseph Walker

Ver um jogador sair lesionado nunca é bom para qualquer treinador, mas, para Luis Enrique, a lesão de Messi não poderia vir em pior altura.

Já privado do guardião Claudio Bravo e dos defesas Thomas Vermaelen e Jordi Alba, para além da longa paragem de Rafinha, antes do encontro com o Las Palmas, o problema de Messi no joelho deixa Enrique com um enorme vazio para preencher, numa altura em que se aproximam jogos ante adversários poderosos.

Leal ao 4-3-3 de sempre do clube, é provável que o técnico de 45 anos utilize Ivan Rakitić numa posição mais avançada no terreno, como aconteceu frente ao Atlético Madrid, no começo de época. No entanto, quem poderá beneficiar com a paragem de Messi poderá ser Javier Mascherano, que poderá contar com uma subida para o centro do terreno e ainda os jovens atacantes Munir El Haddadi e Sandro Ramírez.

Os avançados, ambos de 20 anos, começaram a aparecer no começo da última temporada - Munir chegou mesmo, entretanto, à selecção espanhola - e receberam números de camisola de elementos do plantel principal para esta época. Surge agora a oportunidade de realmente impressionarem o treinador e mostrarem que quando um dos elementos do tridente Messi, Neymar ou Luis Suárez não estejam disponíveis, eles podem ser capazes de ocupar o lugar.