O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Rooney inspira United na visita ao Club Brugge

Club Brugge 0-4 Manchester United (total: 1-7)
Wayne Rooney fez o primeiro "hat-trick" na Europa desde 2004 e garantiu um lugar ao United na fase de grupos.

Wayne Rooney celebra o seu golo inaugural
Wayne Rooney celebra o seu golo inaugural ©AFP/Getty Images

O Manchester United seguiu de forma impressionante para a fase de grupos da UEFA Champions League, após golear por 4-0 o Club Brugge, na segunda mão do “play-off”, jogada na Bélgica.

Wayne Rooney liderou o regresso à competição que o clube já venceu por três vezes fazendo um “hat-trick”, com a equipa de Louis van Gaal a fechar com 7-1 no total da eliminatória sobre um adversário que, há uma semana em Old Trafford, esteve em vantagem cinco minutos.

E se os homens de Preud'homme lamentaram o terceiro golo, de Marouane Fellaini, aos 94 minutos, não ficaram melhor quando Rooney abriu, no segundo jogo, aos 20 minutos, o activo. Memphis Depay, autor de dois tentos na primeira mão, assistiu o capitão de Inglaterra para uma elegante finalização sobre Sinan Bolat. Logo depois, Bolat negou o golo a Depay, com Ronney a quase repetir a conclusão.

As oportunidades anteriores não concretizadas por Tom De Sutter e Boli Bolingoli Mbombo assemelhavam-se agora a ocasiões perdidas. Depay também desperdiçou o golo inaugural, permitindo a Oscar Duarte bloquear o seu remate, após o que o Brugge pressionou até ao intervalo. De Sutter, Daley Blind – inadvertidamente – e Davy De Fauw causaram sustos na área do United antes de uma desmarcação de Abdoulay Diaby acabar aliviada por Sergio Romero.

Contudo, no terceiro minuto da segunda parte, as possibilidades de apuramento do Brugge congelaram. Uma jogada envolvendo Luke Shaw, Depay e Ander Herrera acabou concluída por Rooney. O capitão dos visitantes consumou então, calmamente, o seu “hat-trick” servido por Juan Mata. Foi o primeiro “hat-trick” europeu de Rooney desde que em 2004 fez três golos ao Fenerbahçe.

Bastian Schweinsteiger serviu depois Herrera para o quarto golo, enquanto a barra da baliza de Romero privou Hans Vanaken de um consolo espectacular. A única decepção para o United foi um penalty desperdiçado perto do fim por Javier Hernández. Próxima paragem para a equipa de Van Gaal, o pote 2, no sorteio da fase de grupos, quinta-feira no Mónaco.

©AFP/Getty Images

Reacções:
Michel Preud'homme, treinador do Brugge

Como dissemos antes do jogo, sabíamos que para conseguirmos ter a mais pequena das possibilidades ante um adversário desta qualidade, era necessário marcar em cada ocasião que surgisse. E é isso que eles fazem, marcam na primeira situação que surge. Tivemos três boas oportunidades na primeira parte e não marcámos. Na segunda parte a minha equipa optou por atacar, apostou em ir para a frente e deixou muito espaço para o adversário. Como a eficácia de passe do adversário é alta, deu para ver a diferença de qualidade entra as duas equipas.

Louis van Gaal, treiandor do Manchester United
Sempre acreditámos no apuramento. Precisamos de mais vitórias como estas. Pela quarta vez [esta época] não sofremos golos e criámos muitas ocasiões porque o Brugge tinha de atacar e jogou muito aberto contra nós, pelo que foi relativamente fácil, mas tivemos de fazer o nosso papel e isso nem sempre é fácil como toda a gente pensa. Mas fiquei satisfeito.