Bayern: Opções sem Robben nem Lewandowski

Com Arjen Robben e Robert Lewandowski lesionados no Bayern, Philip Röber, do UEFA.com, analisa como pode a equipa lidar com as ausências frente ao Barcelona.

Arjen Robben lesionou-se na passada terça-feira
Arjen Robben lesionou-se na passada terça-feira ©AFP/Getty Images

O FC Bayern München não vai poder contar com Arjen Robben para o que resta da UEFA Champions League devido a uma lesão nos gémeos, enquanto Robert Lewandowski poderá também vir a estar um período ausente por causa de um problema no maxilar.

Robben, que estava sem jogar desde 22 de Março devido a queixas na região abdominal, acabou por voltar a lesionar-se  na derrota de terça-feira, na meia-final da Taça da Alemanha, com o Borussia Dortmund após 16 minutos em campo. O avançado holandês apontou 17 golos na Bundesliga na presente temporada, bem como dois na UEFA Champions League, ficando ausente até ao início da próxima época.

Lewandowski, que alinhou nas dez partidas europeias do Bayern em 2014/15, tendo marcado por cinco vezes nesse período, fracturou o maxilar superior e o osso nasal na partida contra o Dortmund, no qual o Bayern foi eliminado nos penalties, em Munique. Desconhece-se ainda o período em que estará ausente.

O Bayern, que vai defrontar o FC Barcelona, antiga equipa do treinador Josep Guardiola, a 6 e 12 de Maio, não pode contar também com Tom Starke (tornozelo), Holger Badstuber (coxa), David Alaba (joelho), Franck Ribéry (tornozelo) e Javi Martínez (falta de ritmo). No entanto, as notícias sobre Thiago Alcántara são boas já que, tendo sido alvo de uma forte pancada no pé, na partida de terça-feira, parece ter apenas um ligeiro hematoma.

Como vai o Bayern suprir a ausência de Robben? Philip Röber, do UEFA.com, repórter junto da equipa de Munique nos últimos seis anos, reflecte sobre as opções de Guardiola...

Equipa provável: Neuer; Rafinha, Boateng, Benatia, Bernat; Lahm, Xabi Alonso, Schweinsteiger; Müller, Thiago; Götze.

O "timing" destes mais recentes desenvolvimentos dificilmente poderia ter sido pior – Robben e Lewandowski contribuiram com um total de 42 golos em todas as competições.

O Bayern festeja com os adeptos
O Bayern festeja com os adeptos

Recuemos no tempo até 22 de Abril, a manhã após a goleada de 6-1 sobre o FC Porto. Adeptos, jogadores e funcionários estavam todos bem-dispostos. Javi Martínez havia acabado de regressar aos treinos sem limitações pela primeira vez desde o Verão passado e o regresso de Robben após um mês de ausência também parecia iminente. Uma semana depois, o estado de espírito mudou para pior.

Ainda a lidar com o rescaldo da derrota frente ao Borussia Dortmund para a Taça da Alemanha, Guardiola recebeu a notícia de ainda mais lesões. Faltam apenas sete dias para a deslocação do Bayern até Camp Nou e os piores receios do Bayern acabaram por realizar-se: o jogador do ano, Robben, e o ponta-de-lança Lewandowski são difíceis de substituir, mesmo para um clube com abundantes recursos como é o Bayern. Ribéry também tem estado ausente desde meio de Março e, mesmo que consiga regressar a tempo, também não será o mais fiável.

Face a este panorama, será difícil para Guardiola manter Luis Enrique na expectativa sobre os jogadores que os bávaros utilizarão em Camp Nou. Mario Götze e Thomas Müller são as hipóteses mais prováveis para preencher a vaga de Lewandowski, mas nenhum deles possui o poderio físico necessário para defrontar a defesa do Barça como ponta-de-lança solitário e possuem uma muito menor capacidade para os duelos aéreos, o que significa que os campeões alemães terão que superiorizar-se ao Barcelona à altura da relva.

Veja golos entre Barcelona e Bayern
Veja golos entre Barcelona e Bayern

O regresso de Bastian Schweinsteiger poderá permitir a Thiago Alcántara mudar para uma posição mais avançada no terreno, no apoio Götze e/ou Müller. Thiago tem sido a maior fonte de inspiração do Bayern desde que ele próprio regressou à equipa, já este mês e agora defrontará a sua antiga equipa com muitas das esperanças do Bayern a recaírem sobre os seus ombros.

Se houver alguma boa notícia no meio de tudo isto, surge personificada sob a forma de Mitchell Weiser. O jovem de 21 anos, que impressionou com um excelente lance individual e uma assistência na vitória por 1-0 sobre o Hertha BSC Berlin, no passado fim-de-semana, tem justificado plenamente a confiança do seu treinador. É exuberante, corre bastante, é directo e, apesar de não ter o currículo de Robben, poderá ser o homem a fornecer capacidade ofensiva pela direita sem, simultaneamente, negligenciar os deveres defensivos.

Topo