O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Atlético afasta Leverkusen nas grandes penalidades

Club Atlético de Madrid 1-0 Bayer 04 Leverkusen (ap; total: 1-1, 3-2 nos penalties)
Mario Suaréz empatou a eliminatória na primeira parte e o Atlético soube sofrer para vencer no desempate por penalties.

Atlético 1-0 Leverkusen: a história em fotos ©AFP/Getty Images

Atlético leva a melhor no desempate por grandes penalidades frente ao Leverkusen
• Mario Suaréz empata a eliminatória num remate que sofre um desvio, aos 27 minutos
Leverkusen falha três tentativas no desempate
Fernando Torres, entrado em campo durante a segunda parte, marca o penalty decisivo do Atlético
• Sorteio dos quartos-de-final em Nyon, na sexta-feira, dia 20 de Março, a partir da 11h00 (hora de Portugal Continental)

O Club Atletico de Madrid está nos quartos-de-final da UEFA Champions League, depois de afastar o Bayer 04 Leverkusen no desempate por grandes penalidades (3-2), após levar a melhor por 1-0 no final dos 120 minutos. Da marca dos 11 metros, o Atlético foi mais feliz, seguindo em frente depois de Stefan Kiessling ter falhado o derradeiro disparo, desperdiçado após o suplente Fernando Torres ter colocado o finalista vencido da época passada em vantagem.

A defender o 1-0 de vantagem trazido da Alemanha e moralizado depois de cinco vitórias seguidas sem sofrer golos, o Leverkusen entrou melhor no jogo e protagonizou o primeiro lance com algum perigo, aos minutos, com Karim Bellarabi a atirar muito perto do poste direito. A defesa do Atlético revelava alguns problemas na marcação aos irrequietos atacantes alemães, tendo visto, no 23º minuto, depois de mais uma jogada perigosa em que Son Heung-Min controlou mal a bola, Miguel Ángel Moyà lesionar-se, tendo entrado para o seu lugar Jan Oblak.

A precisar de marcar, o Atlético começa lentamente a tomar conta do jogo e, no minuto 27, na primeira vez que remata à baliza, marca. Alívio deficiente da defesa alemã após um livre de Koke, com a bola a chegar aos pés de Mario Suárez, à entrada da área, vinda da cabeça de Cani. O médio-defensivo dispara de primeira, de pé esquerdo, com a bola a desviar em Ömer Toprak, que tenta o corte e trai Bernd Leno. O Leverkusen acusa o golo, enquanto o Atlético, empurrado por um Vicente Caldéron em delírio, cresce, e o segundo poderia ter chegado quatro minutos depois, mas Mario Mandžukić, desmarcado por Arda Turan, perde demasiado tempo e permite o corte a Wendell. Depois, e até ao intervalo, registo apenas para um corte de Miranda, que se antecipa ao defesa brasileiro do Leverkusen, após jogada de Heung-Min.

Na segunda parte, os "colchoneros" entraram com tudo em busca da vantagem na eliminatória, mas não conseguiram criar perigo ante um Leverkusen bem organizado. Com o passar do tempo esta toada manteve-se, com os anfitriões sempre mais perto do golo. Um livre de Koke passa muito perto do alvo e, depois, Turan a dar a nota de maior inconformismo, estando por duas vezes perto do golo. Primeiro, com a bola a rasar a barra e, depois, com Leno a levar a melhor, na sequência de um belo trabalho de Antoine Griezmann, no minuto 80, naquele que foi o ultimo lance com algum perigo antes do prolongamento.

Aí, apesar de entrar melhor o Leverkusen, o perigo não rondou a baliza do Atlético, que lutava muito, como sempre, mas sem quaisquer resultados, pelo que foi sem surpresa que a decisão se encaminhou para os pontapés da marca de grande penalidade, onde o Atlético se revelaria mais eficaz.