Schalke optimista apesar da derrota com o Real

Nenhuma equipa pode ficar satisfeita por perder 2-0 em casa, mas depois da derrota por 6-1 da época passada frente ao Real Madrid, houve aspectos positivos para o Schalke.

Schalke 0-2 Real Madrid: a história em fotos ©AFP/Getty Images

Raramente uma derrota merece o aplauso dos adeptos da casa - em especial em Gelsenkirchen -, mas é claro que os indefectíveis do FC Schalke 04 ficaram satisfeitos com o desempenho da sua equipa na primeira mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League frente ao Real Madrid CF. Depois dos 6-1 com que o Schalke foi batido pelos "merengues" na mesma fase da época passada, vários foram os aspectos positivos que os alemães vão querer consolidar.

Devastada pela velocidade e poder de penetração do tridente atacante do Real composto Gareth Bale, Karim Benzema e Cristiano Ronaldo, em Fevereiro de 2014, o Schalke foi mais inteligente desta vez. Exibindo uma disciplina que tinha vindo a evidenciar nos últimos jogos da Bundesliga, os "royal blues" jogaram com três defesas-centrais, apostando na capacidade do reforço de Inverno, Matija Nastasić, a que se juntou a protecção extra de um médio-defensivo, situação que elevou o número de jogadores no último terço e que impediu os campeões da Europa de usar o espaço nas suas costas. Obrigados a circular a bola em seu redor, a formação de Carlo Ancelotti lutou com dificuldades de penetração até Ronaldo inaugurar o marcador de cabeça, após centro de Dani Carvajal, no minuto 26.

"Jogámos bem mais atrás do que na última vez", explicou Joel Matip, que sofreu na pele com o talento e velocidade de Ronaldo no ano passado, mas que, com a ajuda do capitão Benedikt Höwedes, teve um desempenho bem mais positivo. Para ele, o mérito vai para o treinador Roberto Di Matteo, que tem trabalhado muito para estabilizar uma linha defensiva que se vinha revelando uma das maiores dores de cabeça desde a sua chegada, em Outubro. "Estávamos mais bem preparados desta feita", continuou Matip.

Mas não foi apenas na defesa que o Schalke melhorou. Nas raras ocasiões que conseguiu ter a bola, foi corajoso na saída para o ataque. Apostando na boa forma do avançado Eric Maxim Choupo-Moting, ficou, para além de patente o seu enorme talento ao mais alto nível, que a formação alemã não mostrou medo e esteve à altura da ocasião.

Apesar de tudo, é clara a justiça da vitória do Real Madrid que, provavelmente, irá proporcionar o mesmo final da época passada - os detentores do troféu têm já um pé nos quartos-de-final e o Schalke deverá ser de novo eliminado nos oitavos-de-final. Mas Matip salientou: "Os adeptos sabem que estamos a construir algo aqui e estão por isso connosco." Tanto eles como o defesa sabem que estão a ser feitos progressos.