O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Quaresma entra, marca e embala Porto

FC Porto 2-1 Athletic Club
Ricardo Quaresma entrou no decorrer do segundo tempo e foi crucial ao apontar o tento da vitória dos "dragões" frente ao Athletic.

Ricardo Quaresma marcou o golo da vitória do Porto
Ricardo Quaresma marcou o golo da vitória do Porto ©AFP/Getty Images

Mikel San José acerta no poste antes de Hector Herrera inaugurar o marcador para o Porto mesmo em cima do intervalo
Athletic reage na segunda parte e restabelece a igualdade por intermédio de Guillermo Fernández
Ricardo Quaresma precisa de apenas quatro minutos em campo para fazer o 2-1.
O Porto soma sete pontos e coloca-se em boa posição no Grupo H
Próxima jornada: Athletic - Porto (5 de Novembro)

O FC Porto recebeu a venceu o Athletic Club, por 2-1, na terceira jornada do Grupo H da UEFA Champions League.

Mikel San José ainda rematou ao poste da baliza portista no decurso da primeira parte, mas foi Hector Herrera quem inaugurou o marcador mesmo em cima do intervalo. Os visitantes ripostaram na etapa complementar e Guillermo Fernández restabeleceu a igualdade aos 58 minutos, mas a glória estava reservada para Ricardo Quaresma, que precisou apenas de quatro minutos em campo para fazer o 2-1 final.

O Porto assumiu as despesas do encontro desde o apito inicial e o primeiro fruto desse intenso domínio surgiu ao minuto sete, quando Casemiro recuperou a bola na área espanhola e cruzou para o desvio ao primeiro poste de Martins Indi, valendo ao Athletic o facto de o central holandês ter errado o alvo. Os "dragões" esmagavam na posse de bola, mas sentiam dificuldades crescentes para penetrar na muralha defensiva erguida pelo conjunto espanhol, cujas marcações pareciam ganhar eficácia à medida que o cronómetro avançava.

Christian Tello dispôs de uma boa oportunidade para alvejar a baliza forasteira aos 23 minutos, mas a sua excelente iniciativa individual, culminada com um remate de pé esquerdo, também não surtiu efeito. No entanto, e contra a corrente do jogo, foi o Athletic quem ficou mais perto de inaugurar o marcador. Mikel San José apareceu em posição frontal à entrada da área portista e não se fez rogado, com o seu disparo de pé direito a ver a bola ser devolvida pelo poste.

A resposta da equipa da casa não tardou e Jackson Martínez só não fez o 1-0 aos 31 minutos porque Óscar de Marcos efectuou um corte providencial quando o internacional colombiano já só tinha o guarda-redes Gorka Irairoz pela frente. O encontro parecia destinado a a ir sem golos para intervalo, mas uma excelente combinação do ataque "azul-e-branco" fez a diferença. Quintero tabelou bem com Tello e descobriu Herrera no interior da área espanhola, com o mexicano a não tremer frente a Irairoz e a facturar com um remate colocado.

Ciente da inoperância da sua equipa e da necessidade de dar a volta ao marcador, o treinador do Athetic, Ernesto Valverde, lançou Beñat e Iker Muniain para a segunda parte, na tentativa de conferir um maior pendor ofensivo. E a verdade é que o 1-1 esteve prestes a acontecer logo aos 51 minutos, quando Guillermo Fernández apareceu isolado perante Fabiano, mas o brasileiro levou a melhor.

O susto não teve o efeito desejado no Porto, que demorou apenas mais sete minutos a conceder o golo do empate. Guillermo Fernández levou a melhor sobre o seu marcador directo, Maicon, e colocou com mestria a bola longe do alcance do Fabiano.

O tento intranquilizou temporariamente os "dragões", que voltaram à carga após a entrada de Quaresma aos 71 minutos. O extremo foi lesto a assinar o 2-1, ao entrar na grande área espanhola antes de rematar violentamente de pé direito e fazer a bola passar por baixo do corpo de Irairoz.