Guarda-redes com veia goleadora

Eloy Casals, do Santa Coloma, juntou-se a Peter Schmeichel e Andrés Palop na lista dos guarda-redes goleadores nas competições europeias: o UEFA.com recorda outros feitos.

Guarda-redes com veia goleadora
Guarda-redes com veia goleadora ©Khachik Chakhoyan

O encontro entre FC Banants e FC Santa Coloma, na terça-feira, teve algo de inesperado, numa fase em que se concluiu a primeira eliminatória europeia esta época.

Na área contrária para um livre no minuto 94, o guarda-redes da equipa de Andorra, Eloy Casals, recebeu um ressalto e calmamente bateu o guardião contrário para apurar a sua equipa para a segunda pré-eliminatória da UEFA Champions League, graças à regra dos golos fora. O jogador de 31 anos junta-se a uma lista restrita de guarda-redes que marcaram nas provas da UEFA. O UEFA.com recorda alguns deles.

Eloy Casals
O Banants, com menos um jogador em campo – a ganhar por 3-1 na partida e 3-2 na eliminatória – estava prestes a conseguir o apuramento frente ao Santa Coloma quando, já no final dos descontos, Casals marcou na sequência de um livre apontado por Marc Pujol, que havia apontado um golo na primeira mão. "Eu fui para a área contrária para ajudar os colegas e nem pensei na possibilidade de poder marcar", disse Casals. "A partir de agora, vou pensar que tudo o que é impossível é possível."

Andrés Palop
O estatuto lendário de Palop entre os adeptos do Sevilha ficou selado a 15 de Março de 2007, quando, perante a hipótese de eliminação do campeão, em casa do Shakhtar, acorreu a um canto de Daniel Alves, aos quatro minutos do tempo de compensação, para empatar o jogo e levar a decisão para prolongamento. "Os nossos jogadores estavam todos marcados, por isso fiquei sozinho", explicou Palop. "Quando vi a bola vir na minha direcção, pensei: 'Isto é um presente de Deus'."

Hans-Jörg Butt
Um especialista em penalties, Butt era igualmente eficiente na sua marcação. Curiosamente, todos aconteceram na UEFA Champions League e frente à Juventus, ao serviço de três clubes diferentes: Hamburger SV, Bayer 04 Leverkusen e FC Bayern München. "Marcar penalties também me ajudou a defendê-los. Um duelo entre guarda-redes é o clímax absoluto da marcação de um penalty", disse.

Peter Schmeichel
O dinamarquês marcou alguns golos durante a sua longa carreira, apesar de apenas um ter sido nas competições europeias. Foi frente ao SC Rotor Volgograd, em Setembro de 1995, em partida da primeira eliminatória da Taça UEFA. O seu cabeceamento valeu um empate a dois, mas não evitou a eliminação do Manchester United FC.

Yuri Zhevnov 
Pouco habitual, este golo foi o primeiro da eliminatória, com o guarda-redes do FC BATE Borisov a fazer um alívio longo que, ajudado por um relvado molhado, fez a bola bater duas vezes e passar por cima do seu homólogo do FC Dinamo Tbilisi, Irakli Zoidze, na primeira mão da primeira eliminatória da Taça UEFA, em Julho de 2004.

Vincent Enyeama
Outro marcador de penalties, Enyeama detém um bom registo no campeonato israelita, mas o golo que mais o notabilizou aconteceu em Agosto de 2010, frente ao FC Salzburg, no "play-off" da UEFA Champions League, ajudando o Hapoel Tel-Aviv FC a apurar-se para a fase de grupos.

Marco Amelia
Amelia tornou-se no primeiro guarda-redes italiano a marcar nas competições europeias de clubes, em Novembro de 2006, quando o seu cabeceamento, a dois minutos do fim, deu o empate a um do AS Livorno Calcio frente ao FK Partizan, na fase de grupos da Taça UEFA. "Ninguém me pediu para subir no terreno. Segui os meus instintos pois não queria perder", disse Amelia.

Sinan Bolat
Aos quatro minutos de compensação do desafio com o AZ Alkmaar, em Dezembro de 2009, relativo à última jornada da fase de grupos da UEFA Champions League, o R. Standard de Liège precisava de um golo para transitar para a UEFA Europa League. Quem o conseguiu foi o agora guardião do FC Porto, Bolat, que concluiu de cabeça um livre de Benjamin Nicaise. No final, o treinador László Bölöni disse: "Um momento que entrará para a história do clube,"

Gilbert Bodart
Bolat seguiu as pisadas de Bodart, um dos seus antecessores no Standard, cujo penalty frente ao HNK Rijeka, na primeira eliminatória da edição de 1986/87 da Taça UEFA, garantiu um empate a um na segunda mão e o apuramento para a fase seguinte.

Dimitar Ivankov
Converteu quatro penalties para o PFC Levski Sofia, entre 1999 e 2002: nas duas mãos de uma pré-eliminatória da UEFA Champions League, frente ao F91 Dudelange, em Julho de 2000, na primeira eliminatória da Taça UEFA, frente ao HNK Hajduk Split, no ano seguinte, e no empate a um com o Brøndby IF, na primeira eliminatória da edição 2002/03 da Taça UEFA. O Levski apurou-se em todas essas rondas.

Stipe Pletikosa
Os reflexos ágeis de Pletikosa valeram-lhe a alcunha de "hobotnica" ("polvo") no HNK Hadjuk Split, mas também possuía outros dotes. Perante a falta de trabalho defensivo frente ao GÍ Gøta, na fase de qualificação da Taça UEFA, em 2002, (o Hadjuk apurou-se com um total de 11-0) não tremeu quando cobrou um castigo máximo na primeira mão, repetindo o feito no segundo jogo.

Mattias Asper
Quando o antigo guarda-redes da Suécia fez, de cabeça, à beira do fim, o empate do Mjällby AIF frente ao Häcken, em 2010, muitas pessoas ficaram surpreendidas. Mas não era caso para tanto. Dez anos antes, ao serviço do AIK, tinha marcado frente ao FC Gomel, na Taça UEFA, dando a vitória à sua equipa.