O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Simeone exuberante com feito do Atlético

Diego Simeone falou em "alegria" no Atlético por ter eliminado o Barcelona, ao passo que Gerard Martino queixou-se da falta de um golo que "teria mudado o jogo".

Simeone exuberante com feito do Atlético
Simeone exuberante com feito do Atlético ©UEFA.com

Diego Simeone, treinador do Atlético
Há uma grande alegria por termos superado uma eliminatória contra um grande rival, que tem uma história rica. Agora já estamos calmos porque sabemos que não chegámos ainda ao fim, e vamos tentar recuperar o mais depressa possível porque no domingo temos outro jogo.

A nossa atitude foi muito boa nos primeiros 20 minutos, na intensidade e no jogo. Depois o Barça começou a entrar no jogo e teve algumas oportunidades e as coisas ficaram mais complicadas para nós.

Os meus jogadores não precisam de palavras para se sentirem motivados; precisam de segurança, capacidade de decisão, factos, e a capacidade para tentar dar o máximo deles mesmos. Admiro estes jogadores. Admiro a sua dedicação e a forma como trabalham juntos, como uma equipa.

Adrian [López] foi enorme na primeira parte; quase marcou e entendeu-se perfeitamente com Koke e David Villa. Para lá de termos passado a eliminatória, estou contente pelo regresso de Adrián ao seu melhor. Repito: Adrian é agora um jogador diferente, e que pode dar-nos alternativas.

Gerardo Martino, treinador do Barcelona
Os resultados acontecem por alguma razão. Quando o Atlético foi a melhor equipa, marcou o seu golo. Também tivemos oportunidades e bastava-nos um golo para termos alterado o rumo do jogo.

Em determinados momentos não conseguimos fazer as coisas [que queríamos] pela forma como o nosso adversário jogou. O Atlético manteve vários jogadores perto da grande área; fizeram-no muito bem e isso dificultou-nos na busca por espaços.

Este ambiente [dos adeptos da casa no Vicente Calderón] é difícil de igualar na Europa, mas é mais comum na Argentina. O estilo do Barcelona é diferente da abordagem que o Atlético fez. Jogámos como o temos feito nos últimos dez anos, com a fórmula que conduziu ao nosso sucesso. Esta noite houve uma grande diferença entre as duas equipas nos primeiros 20 minutos; depois tivemos as nossas oportunidades.

No início, o jogo foi como o Atlético gosta: bolas longas e ressaltos para aproveitar. Não nos faltou intensidade, mas não conseguimos alinhavar quatro ou cinco passes seguidos. Esperávamos ter mais controlo e falhámos a esse nível.

Todos estamos tristes porque tínhamos grandes expectativas. Agora temos de falar com os jogadores e seguir em frente. Temos de continuar a lutar nas duas competições que ainda nos restam: a Liga e a Taça de Espanha.