Regresso ao Jogo: a UEFA está a preparar-se para o regresso seguro das suas competições de elite.
Saiba mais >
 

Pastore deixa Paris bem encaminhado

Paris Saint-Germain FC 3-1 Chelsea FC
Um golo de Javier Pastore, nos descontos, devolveu a esperança ao Paris que a lesão de Zlatan Ibrahimović quase fez perder.

Pastore deixa Paris bem encaminhado
Pastore deixa Paris bem encaminhado ©UEFA.com

O Paris Saint-Germain FC derrotou o Chelsea FC por 3-1 na primeira mão dos quartos-de-final da UEFA Champions League e somou o 29º jogo em casa nas competições europeias sem perder.

Eden Hazard, do Chelsea, respondeu ao tento inicial de Ezequiel Lavezzi para o Paris, mas David Luiz (na própria baliza) e Javier Pastore, este nos descontos, fixaram o resultado numa partida em que Zlatan Ibrahimović foi obrigado a abandonar devido a lesão.

A vantagem nascida para o Paris no golo madrugador de Lavezzi (4) – ao fuzilar Petr Čech após corte deficiente de Gary Cahill – teve efeito perverso para a equipa francesa, já que ao aumentar a agressividade a meio-campo, o Chelsea criou imensos problemas à circulação de bola dos locais ao mesmo tempo que se afirmava no jogo.

Com o avançado argentino a ser o único capaz de incomodar Čech – um remate às malhas laterais (24) e outro para defesa apertada do internacional checo (31) – a equipa inglesa tomou conta do meio-campo e com rápidas recuperações de bola, iniciou o assalto à baliza de Salvatore Sirigu. O empate para a equipa de José Mourinho surgiu quando Thiago Silva (26) derrubou Oscar na área, após o que Hazard, da marca de grande penalidade, colocou a bola no fundo das redes.

A tentativa de reacção do Paris esbarrou na boa organização defensiva do Chelsea que podia ter chegado ao intervalo a vencer, quando Willian (39), na área, assistiu Hazard para um remate cruzado que acertou no poste mais afastado, com Sirigu impotente para deter o curso da bola.

Com Edinson Cavani muito activo nas missões defensivas e Ibrahimović a não ser servido a preceito, continuou a ser Lavezzi o jogador mais perigoso, ganhando (52) nas alturas a Cahill para fazer passar a bola sobre o travessão.

Num jogo rico em fatalismos, Mourinho trocou André Schürrle por Fernando Torres e mostrou não estar disposto a baixar a pressão sobre a zona de criação do Paris mas, após um livre cobrado por Lavezzi (61), David Luiz fez autogolo e complicou-se o que parecia estar controlado. Hazard voltou a liderar a tentativa de reacção inglesa mas o único contratempo imediato para a equipa de Laurent Blanc foi a saída de Ibrahimović devido a lesão.

Sem o internacional sueco, Cavani teve o golo nos pés (84), mas falhou o alvo por milímetros num remate do limite da área. Já nos descontos, Pastore fez um “slalom” em plena área do Chelsea e atirou de pé esquerdo, metendo a bola entre Čech e o poste e quebrando o controlo que Mourinho queria impor. Na segunda mão, Ibrahimović é a grande dúvida e Ramires – por castigo – uma certeza. 

Conteúdos relacionados

Topo