O UEFA.com funciona melhor noutros browsers
Para a melhor experiência possível recomendamos a utilização do Chrome, Firefox ou Microsoft Edge.

Dortmund tranquilo para receber o Zenit

Apesar de o Dortmund ter uma vantagem de 4-2 sobre o Zenit, futura equipa de André Villas-Boas, Jürgen Klopp está determinado em tratar a segunda mão como um "jogo normal".

A equipa de Jürgen Klopp perdeu em casa no sábado e o Zenit pode sentir-se encorajado
A equipa de Jürgen Klopp perdeu em casa no sábado e o Zenit pode sentir-se encorajado ©AFP/Getty Images

O Borussia Dortmund recebe o FC Zenit na segunda mão dos oitavos-de-final da UEFA Champions League com "nada mais" do que a vantagem de estar em "melhor posição", após o triunfo por 4-2 há três semanas.

É esta a perspectiva do treinador dos alemães, Jürgen Klopp, que se recusa a considerar que a sua equipa, finalista vencida da edição passada, esteja já apurada para os quartos-de-final.

O homólogo Sergei Semak vai dirigir o Zenit pela segunda e última vez antes de André Villas-Boas ser formalmente apresentado na quinta-feira como sucessor de Luciano Spalletti. Concedendo que a equipa russa "não tem grandes hipóteses" de apuramento, Semak está, acima de tudo, mais preocupado em que os visitantes ofereçam uma boa exibição na procura da segunda vitória desde o início da fase de grupos.

Dortmund
Jürgen Klopp, treinador

Idealmente, jogaremos como se fosse a segunda parte de um jogo normal. Temos conseguindo acumular razoável experiência nas rondas a eliminar da Champions League.

Conseguimos colocar-nos numa boa posição para a segunda mão [com a nossa exibição em São Petersburgo] e nada mais do que isso. Não arriscaremos muito, mas seria igualmente estúpido limitarmo-nos a defender a nossa vantagem, pelo que faremos um jogo normal.

Atingimos os nossos objectivos na Champions League ao apurarmo-nos na fase de grupos. Tudo o que acontecer a partir daqui será um bónus para o clube e não haverá qualquer buraco no nosso orçamento se formos eliminados.

É diferente na Bundesliga. Aí, o objectivo é voltar a qualificarmo-nos para a UEFA Champions League. E estamos a caminho disso. Alguns observadores podem pensar de forma diferente, mas estamos no bom caminho. Há que retirar o máximo de cada competição em que entremos e tratá-las de forma diferente.

Resultado do fim-de-semana
Sábado: Borussia Dortmund 1-2 VfL Borussia Mönchengladbach (Jojić 77; Raffael 31, Kruse 40)

Weidenfeller; Piszczek (Ducksch 67), Papastathopoulos, Hummels, Schmelzer; Kehl (Jojić 63), Şahin; Aubameyang (Schieber 82), Hofmann, Grosskreutz; Lewandowski.

• O Dortmund, segundo classificado, sofreu a quarta derrota em casa na presente edição da Bundesliga. Os visitantes jogaram os derradeiros 21 minutos reduzidos a dez elementos.

Notícias da equipa
Sven Bender contraiu uma lesão numa virilha a 22 de Fevereiro e deverá estar parado para as próximas dez semanas. Marco Reus, que falhou os últimos dois jogos devido a um problema muscular, "está a sentir-se bem", mas não fará parte da equipa. "Ele conseguiu correr hoje, não teve dores, mas não pode participar em todo o treino", disse Klopp.

Zenit
Sergei Semak, treinador interino
Todos adoramos o futebol. E tudo é difícil no futebol. É claro, não temos grandes hipóteses. Vamos defrontar uma das melhores equipas da Europa e, até, do Mundo. Seria importante conseguirmos uma boa exibição.

O Borussia tem uma equipa muito forte e creio não precisar de explicar a sua filosofia de jogo. Eles são muito fortes no que concerne a atacar. Para nós, jogar aqui constitui uma experiência nova e certamente que aprenderemos várias coisas novas. Não é fácil defrontar uma equipa assim.

Não tivemos muito tempo para mudar as coisas. A tarefa mais importante para mim foi a de unir a equipa, de incutir um espírito de equipa. Temos vários grandes jogadores, mas quero melhorar o espírito colectivo, o seu sentido de união. Temos verdadeiros profissionais. Quero melhorar o espírito de equipa, para que eles se apresentem da melhor forma possível.

A situação não é fácil para mim. O resultado apenas me interessará se for suficientemente bom para ganharmos e nos apurarmos. É muito mais importante para nós apresentarmo-nos da melhor forma possível, que a equipa permaneça unida e que não lamentemos nada após o encontro. Só então teremos hipótese de reverter esta situação.

Resultado do fim-de-semana
Sábado: PFC CSKA Moskva 1-0 Zenit (Milanov 32)
Lodygin; Hubočan, Anyukov, Smolnikov, Lombaerts; Witsel, Ryazantsev (Zyryanov 82), Fayzulin (Shatov 46), Danny (Kerzhakov 46); Rondón, Hulk.

• O treinador-interino Semak fez a sua estreia como técnico, mas não conseguiu inspirar a equipa para uma vitória, o que significa que o segundo classificado Zenit somou apenas um ponto nas duas partidas realizadas desde o reatamento da Liga russa.

Notícias da equipa
Cristian Ansaldi (lesão muscular) e Andrey Arshavin (tendão de uma coxa) ficaram na Rússia. O terceiro guarda-redes Egor Baburin ficou de fora devido a um problema nos ligamentos de um joelho.

Facto do jogo
• O Zenit perdeu as três eliminatórias nas quais saiu derrotado de casa na primeira mão, todas na Taça UEFA: frente ao 1. FC Dynamo Dresden, na primeira mão de 1981/82 (1-2 em casa, 1-4 fora), frente ao VfB Stuttgart, na segunda eliminatória de 1989/90 (0-1 em casa, 0-5 fora) e frente Bologna FC, na primeira eliminatória de 1999/2000 (0-3 em casa, 2-2 fora).