Aniversariante Saviola dá apuramento ao Olympiacos

Javier Saviola pediu ao Olympiacos para não se contentar com a vaga nos oitavos-de-final depois de assinalar o seu 32º aniversário com dois golos que selaram o apuramento grego.

Javier Saviola celebra contra o Anderlecht
Javier Saviola celebra contra o Anderlecht ©AFP/Getty Images

Javier Saviola completou esta terça-feira 32 anos tendo a família e os amigo avisado que o atleta gosta de escolher os presentes que recebe. O avançado marcou dois golos e apurou o Olympiacos para os oitavos-de-final.

Javier Saviola, avançado do Olympiacos
Foi uma noite linda. Dei a mim mesmo um presente de aniversário com aqueles dois golos e a equipa avançou para a fase seguinte. Estamos todos a desfrutar do momento depois de termos sofrido no decorrer da partida. Em certas alturas conseguimos impor o nosso futebol, mas nos jogos decisivos é assim mesmo. O Anderlecht causou-nos alguns problemas, mas o que importa é o resultado final. Vencemos, estamos qualificados e felizes.

Todos estávamos ansiosos por jogar bem, para trabalhar para a equipa e deixar os adeptos contentes. Hoje foi um dia lindo e emocionante para mim, porque a Champions League é uma competição prestigiante e estes golos foram muito importantes para a equipa. A próxima fase vai ser dura. Vamos ter de estar ao nosso melhor, trabalhar no duro e não ficar a viver dos louros do apuramento para a fase eliminatória.

Silvio Proto, guarda-redes do Anderlecht
Somos competitivos e jogamos para ganhar. Já estávamos eliminados mas damos sempre 100 por cento. Ao concedermos três penalties, havia pouco que pudéssemos fazer. Nunca na minha carreira tinha defendido dois numa só partida. É uma pena que não tenha ficado em campo até ao fim. Podia ter defendido também o terceiro, pois sabia que o [Alejandro Domínguez] gosta de atirar para aquele canto. Com um pouco de sorte teria defendido três grandes penalidades, mas fui expulso.

Acredito que o ponto de viragem na nossa carreira europeia foi o jogo na Bélgica contra o Olympiacos. Tivemos imensas oportunidades para marcar, enquanto eles, infelizmente, converteram todas as que criaram. Esse jogo tornou o nosso percurso na Champions League mais duro. Caso os tivéssemos derrotado, poderíamos ter conquistado algo mais. Para isso também contribuiu o facto de termos perdido [por muito tempo] a nossa estrela Matias Suárez, devido a lesão.

Conteúdos relacionados

Topo