Ronaldo recordista ajuda Real a terminar em alta

FC København 0-2 Real Madrid CF
Luka Modrić inaugurou o marcador e Cristiano Ronaldo selou o triunfo com o seu nono golo na fase de grupos, novo máximo na competição.

Ronaldo recordista ajuda Real a terminar em alta
Ronaldo recordista ajuda Real a terminar em alta ©AFP/Getty Images

Cristiano Ronaldo bateu o recorde de golos numa fase de grupos da UEFA Champions League ao apontar o nono na vitória que levou o Real Madrid CF a acabar invicto no topo do Grupo B, jogando por terra as magras esperanças que o FC København tinha de seguir em frente.

Um remate em arco de Luka Modrić deu aos visitantes a vantagem aos 25 minutos, antes de Ronaldo selar a quinta vitória em seis jogos na competição desta época, três minutos após o intervalo. Este golo fixou novo recorde na fase de grupos e o jogador português teve oportunidade de elevar para dez a contabilidade pessoal através de uma grande penalidade, mas Johan Wiland defendeu a conversão.

O Copenhaga não tinha ainda perdido um jogo para a UEFA Champions League no estádio Parken, mas viu-se forçado a uma alteração logo ao início, já que Nicolai Jørgensen, que esteve em dúvida por lesão numa coxa, durou apenas sete minutos. A equipa da casa fez das fraquezas força, frente aos seus fervorosos adeptos, mas o ambiente vibrante foi silenciado a meio da primeira parte.

Ao guardar a posse de bola no limite da grande área, Modrić simulou o remate com o pé esquerdo e derivou para o pé direito, para um sumptuoso remate em arco sem hipótese para Wiland, e na direcção do canto superior da baliza. O Real Madrid conseguiu manter o domínio e, ainda antes do intervalo, Ronaldo testou os reflexos do guarda-redes em diversas ocasiões. Ainda que não tenha alcançado o sucesso naqueles momentos, o número 7 do Real Madrid não teve de esperar muito mais.

Pepe foi o improvável arquitecto do golo que permitiria a Ronaldo bater o recorde, cabeceando o longo cruzamento de Marcelo na direcção da zona de baliza. Escapando-se das atenções da defesa dos anfitriões, Ronaldo não falhou de curta distância.

O Copenhaga recusou entregar-se e esteve perto de reduzir distâncias em mais que uma ocasião, ainda que Ronaldo, no outro lado do campo, lhes reavivasse a memória várias vezes sobre o perigo que ele é. A quinze minutos do fim, conseguiu encontrar o caminho para a área, mas o seu remate de pé esquerdo foi devolvido pelo poste.

O avançado do Real Madrid teve uma oportunidade ainda melhor, a um minuto do fim, tendo sido derrubado na área por Thomas Delaney, e prontificando-se a bater ele próprio o castigo máximo. Wiland estirou-se para o lado direito, mas ainda conseguiu defender o remate de Ronaldo – um raro momento de frustração, numa memorável fase de grupos para o avançado e a sua equipa.

Conteúdos relacionados