"Coração e paixão" no triunfo do Áustria

A primeira vitória do Áustria na fase de grupos foi fruto da "determinação e da vontade de ganhar", segundo Nenad Bjelica; Luciano Spalletti lamentou exibição do Zenit na segunda parte.

Austria Wien celebra triunfo sobre o Zenit
Austria Wien celebra triunfo sobre o Zenit ©AFP/Getty Images

Nenad Bjelica, treinador do Austria Wien
Gostava de dar os parabéns às outras três equipas por terem seguido em frente. Faltou-nos um pouco de experiência mas penso que representámos bem o futebol austríaco, não apenas hoje, mas em todas as seis partidas. Após os golos adquirimos muita confiança. É preciso ter coração e paixão. E foi isso que mostrámos hoje.

Fomos capazes de compensar a nossa falta de qualidade. Claro que também precisámos de um pouco de sorte, mas corremos 121 quilómetros. A média é de 114 km. A determinação e a vontade de vencer estiveram hoje aqui presentes.

Luciano Spalletti, treinador do Zenit
É difícil receber os parabéns depois de um jogo como este. Tal como disse muitas vezes, valorizo mais a exibição do que o resultado. Estivemos bem na primeira parte e merecíamos ter feito o segundo golo, mas depois o nosso jogo desmoronou-se.

Após termos marcado, perdemos o entusiasmo e o espírito de luta que havíamos mostrado nos minutos iniciais. Cometemos erros estúpidos. Ao intervalo vimos o marcador em Madrid. Os meus jogadores mostraram a sua reacção em campo e isso pode acontecer a uma equipa com o Zenit.

O Atlético mereceu vencer o grupo. Nós atingimos o nosso objectivo, estamos nos oitavos-de-final. Baseado no desempenho de hoje, o Áustria merecia uma melhor classificação. Era muito importante para nós qualificarmo-nos e atingimos esse objectivo. Ao mesmo tempo, não fomos capazes de exibir o futebol que devíamos ter mostrado. 

Conteúdos relacionados