Klopp festeja após noite conturbada

Jürgen Klopp mostrou-se aliviado após o Dortmund ter feito "tudo certo e mesmo assim muita coisa ter corrido mal", enquanto José Anigo elogiou o espírito do Marselha.

Jürgen Klopp assiste ao triunfo do Dortmund em Marselha
Jürgen Klopp assiste ao triunfo do Dortmund em Marselha ©Getty Images

José Anigo, treinador interino do Marselha 
Este encontro foi como, globalmente, toda a nossa campanha: em algumas alturas, tivemos azar; noutras, fizemos maus jogos. O que houve de novo esta noite, quando comparado com outros jogos, foi o nosso estado de espírito. Quando a equipa quer dar tudo, como fez hoje, o jogo é completamente diferente.

Já sabíamos que, com 11 em campo, já seria muito difícil frente ao vice-campeão da época passada; com dez, tornou-se ainda mais complicado. Mas não temos vergonha do que se passou esta noite, pois demos tudo. Este espírito é aquilo que queremos transmitir do nosso clube e da nossa cidade. Esta noite, os jogadores tiveram um desempenho consentâneo com aquilo que é necessário para se representar este clube, determinados valores. Hoje, ao contrário do que aconteceu noutros jogos, nada há a apontar-lhes.

Gostei de preparar a equipa para este jogo, de estar nesta prova, e adorei falar com os jogadores. Queríamos pregar uma pequena partida ao Dortmund e queríamos evitar terminar o grupo com zero pontos. Com este espírito em jogos anteriores, podíamos ter somado pontos aqui e ali.

Jürgen Klopp, técnico do Borussia Dortmund 
Basicamente, fizemos tudo bem esta noite e, ainda assim, muita coisa correu mal. Foi incrível quantas oportunidades de golo criámos frente a um adversário inacreditavelmente compacto, que também defendeu com paixão. Mas foi ainda mais incrível a forma como conseguimos desperdiçar essas oportunidades. Por duas vezes tivemos situações em que alguém não conseguiu tocar na bola quando esta já estava sobre a linha de golo e o [Robert] Lewandowski também conseguiu falhar um golo de baliza aberta. No final, precisámos de um remate com um ressalto do Kevin Grosskreutz – mas é uma grande sensação.

Tivemos bastantes problemas antes deste jogo e foi uma partida difícil e intensa. O Marselha lutou pelo seu orgulho. Eles não tinham quaisquer armas, mas, ainda assim, conseguiram marcar. É claro que ainda acreditámos que podíamos ganhar o encontro, porque chegávamos à área adversária a cada 30 segundos. Mais tarde ou mais cedo, a bola teria de entrar. Os rapazes esforçaram-se bastante esta noite e estavam completamente concentrados. Superaram-se, porque estávamos sob bastante pressão.