United de cinco estrelas cilindra Leverkusenl

Bayer 04 Leverkusen 0-5 Manchester United FC
Os campeões ingleses apuraram-se para a ronda seguinte ao cilindrarem os alemães no jogo que se vaticinava como decisivo no grupo.

United de cinco estrelas cilindra Leverkusenl
United de cinco estrelas cilindra Leverkusenl ©AFP/Getty Images

Uma grande exibição de Wayne Rooney foi decisiva na qualificação do Manchester United FC para os oitavos-de-final da UEFA Champions League a uma jornada do fim, com a vitória por 5-0 na visita ao Bayer 04 Leverkusen a ser alcançada por cinco jogadores diferentes.

Antes do jogo desta noite, o Leverkusen vinha de oito vitórias seguidas em casa, em encontros da fase de grupos na UEFA Champions League, mas, depois de um mau começo na BayArena, Antonio Valencia inaugurou o marcador, a centro de Rooney. Um livre do 10 do United foi cabeceado para a sua própria baliza por Emir Spahić, e, na segunda parte, Jonny Evans, aumentou a vantagem, após um ressalto ganho por Rooney, que faria, a seguir, a assistência para Chris Smalling fazer o quarto. Nani, a dois minutos do fim, fez o resultado final.

Os "red devils" têm agora três pontos de avanço no Grupo A, enquanto o Bayer – que caiu do segundo para o terceiro posto – visita a Real Sociedad de Fútbol a 10 de Dezembro, sabendo que tem que fazer um resultado melhor que o FC Shakhtar Donetsk, que joga em Manchester, para ser apurado.

O treinador Sami Hyypiä prometeu um Leverkusen de ataque e os instantes iniciais mostraram isso mesmo. Um cabececamento de Spahić passou um pouco acima da barra e Stefan Kiessling viu o seu disparo ser bloqueado por uma oportuna intervenção de Evans, com Nani a dar a primeira resposta, com o seu tiro em arco, a passe de Ryan Giggs, a passar muito perto do alvo.

David Moyes foi claro ao afirmar que tinha a melhor equipa à sua disposição, apostando também na grande forma de Rooney. O internacional inglês não marcou, mas foi decisivo em mais do que nos primeiros dois golos, que silenciaram o público da casa. Shinji Kagawa desarmou Stefan Reinartz, com a bola a chegar a Rooney, que colocou a bola ao segundo poste, onde surgiu Valencia, que finalizou, de primeira. Oito minutos depois, um perigoso livre de Rooney embateu na cabeça de Spahić e fez o segundo, lance que deixou Bernd Leno impotente.

Os campeões ingleses controlavam os acontecimentos e, no segundo tempo, materializariam esse domínio. Os comandados de Hyypiä nunca conseguiram reagir à avalanche inglesa, com Rooney a também contribuir para o terceiro, depois da hora de jogo, quando o seu remate à queima-roupa foi negado por Leno, com Evans, no ressalto, a finalizar.

A seguir veio o melhor golo da noite: Rooney ocorreu ao fantástico chapéu de Kagawa, já na área, para depois colocar a bola fora do alcance de Leno, com Smalling a finalizar, sem dificuldade. Nani faria o resultado final, já perto dos 90, ao contornar Leno, naquele que foi o único golo em que Rooney, o melhor em campo, não participaria, numa altura em fora já substituído. Como costume, os contra-ataques e as bolas paradas eram as principais armas do Leverkusen, mas, nesta noite em que tudo correu bem ao United, nada saiu bem.