Míchel em choque, mas mantém fé no Olympiacos

Míchel mantém-se confiante na qualificação apesar da derrota do Olympiacos, enquanto Laurent Blanc louva o carácter do Paris Saint-Germain a actuar com dez jogadores.

Roberto revela-se incapaz de evitar o golo tardio de Edinson Cavani
Roberto revela-se incapaz de evitar o golo tardio de Edinson Cavani ©AFP/Getty Images

Laurent Blanc, treinador do Paris
Preferia ter jogado com 11 homens para cada lado todo o desafio, mas revelámos o espírito de equipa que já havíamos demonstrado noutras situações. É fundamental ter isso, é importante. [Marco] Verratti [que foi expulso] foi infeliz, mas tentámos mudar. No entanto, tem sido uma boa campanha até agora e penso que é bom avançarmos como líderes do grupo.

Com o segundo golo houve um sentimento de alegria. Mesmo jogando dez contra 11 criámos grandes oportunidades. Quisemos ir para a frente e marcar golos para ganhar este jogo. Tivemos uma mentalidade atacante e ter alcançado o que queríamos nestas circunstâncias foi óptimo. Quando o Marco foi expulso, ainda quisemos manter dois avançados, dois avançados-centro, que foram o Edi [Edinson Cavani] e o Ibra [Zlatan Ibrahimović]. Jogámos com três no meio e quatro lá atrás. O Olympiacos estava mais e mais perigoso, por isso mudámos a equipa e colocámos o Edi na esquerda.

Míchel, treinador do Olympiacos
Estivemos perto de assegurar um bom resultado. Saímos daqui com um sabor amargo e doce – doce pelo nosso esforço e amargo pelo resultado final. A dois minutos do apito final estávamos virtualmente qualificados para a próxima fase. Agora temos de esperar até ao último minuto e manter-nos positivos. Temos de derrotar o Anderlecht. Acredito que vamos conseguir fazê-lo e seguir em frente. Evoluímos em termos de mentalidade, mas ainda nos falta a necessária experiência para manter o resultado desejado. Estamos desapontados com a derrota, mas continuamos confiantes de que nos qualificaremos.